trilhas em urubici

Trilhas em Urubici


Caminhamos cerca 25 quilômetros em 5 trilhas diferentes nos três dias em Urubici. Teria muito mais para fazer com mais tempo. O município tem 82 cachoeiras e estão investindo em turismo. Muita água, ar puro, plantações, morros, pedras, subidas e descidas. Chamam de a Suíça brasileira por ser o lugar que neva de verdade e possui paisagens incríveis. Viajei em excursão e o grupo foi perfeito, pessoas divertidas com idades e profissões distintas, mas com as mesmas afinidades em relação à natureza e às caminhadas.

Read in English

Urubici em 3 dias

Foram oito horas de viagem entre Porto Alegre e Urubici pela Serra do Rio do Rastro, pena ser noite para não poder apreciar a paisagem. Chegamos cedinho e em seguida já começaram as trilhas.

Conheça a Rota da Baleia Franca

AGILIZE SUA VIAGEM
Veja opções de excursões, ingressos e transfer em Florianópolis, Bombinhas e Balneário Camboriú

Na natureza
Na natureza

1° dia – Pedra Furada

A Pedra Furada é um lugar místico, sagrado para os Xamanistas e com algumas lendas. Mata fechada, muito barro preto. Bom não ter chovido ou as descidas seriam super escorregadias, mesmo assim houveram alguns tombos, arranhões, tênis perdido no meio da lama e calção rasgado. Tinha muita pedra solta, barrancos e lugares que sem uma corda seria impossível. A caminhada foi muito boa, ótimo clima e sol entre nuvens, não estava tão frio, temperatura entre 10 e 24 graus, e tinha boa visibilidade. Quando o céu está limpo é possível enxergar o mar na direção de Garopaba, mas só vimos névoa. Chegamos no objetivo, o meio da Pedra Furada ou Portal, como dizem alguns, esta seria uma passagem para outra dimensão. Estávamos a 1822 metros de altitude, o ponto mais alto e frio do sul do Brasil.

2° dia – Rio 7 Quedas, Morro da Cruz e zona rural

Começamos cedo subindo pelo meio do rio e passando por 7 cachoeiras com uma água especial, não sei quais propriedades ela tem, mas é ótima! Minha pele ficou macia, cabelos brilhosos e os pés nem pareciam os de alguém fazendo trilha, ficaram super macios, melhor que muito creme. Deu para tomar banho e curtir um belo visual. Saindo da trilha do rio, entramos no mato e passamos por propriedades rurais típicas da região.

Subindo a cachoeira
Subindo a cachoeira
Subi tudo isso
Subi tudo isso

 

Durante a tarde, o passeio foi mais pesado, porém a paisagem valeu o esforço. Foi literalmente de tirar o fôlego, pela vista e pela subida! O objetivo era o Morro da Cruz, outra pedra furada. Lá em cima minhas energias quase faltaram, sorte que eu tinha chocolate na bolsa, me deu uma tremedeira pela falta de glicose. A última trilha do dia foi a volta para o hotel pela estrada, comendo poeira dos carros e tirando fotos dos locais. Paisagem bem da serra sulista, muito verde das araucárias e pinheiros. Várias flores em todos os caminhos e estamos no outono, fiquei imaginando como deve ser lindo na primavera. Hoje foi um dia especial, vista incrível, cachoeira energizante e noite divertida com novos amigos.

Cachoeira do Avencal
Cachoeira do Avencal

 

 

3° dia – Cascata do Avencal

As dores no corpo começaram a incomodar, disseram que a trilha seria fácil, mas que nada, escalar pedras grandes e troncos caídos com dor no corpo e umidade é complicado. Novamente valeu o esforço, outra cachoeira grandiosa com uma força que criava um vendaval em tudo o que estava por perto. Foi uma ginástica para todo o corpo. Mas os rostos cansados e felizes das fotos dizem tudo, como é bom fazer este tipo de passeio com amigos assim. Valeu!!!

Tome Nota Urubici

Truta à Portuguesa
Truta à Portuguesa

Guias: A viagem foi organizada pelo grupo ECOCAMINHANTES e tinha o Iran como guia local que pode ser encontrado na Secretaria de Turismo. Virei fã do grupo (Ronaldo, Susy e Guilherme), pessoas especiais que fazem de tudo para a viagem ser inesquecível.

Hospedagem: URUBICI PARK HOTEL, gostei, acho que é o melhor hotel da cidade. Mas devem ter hotéis fazenda interessantes.

Restaurante: A TABERNA, lugar acolhedor onde jantamos uma Truta a Portuguesa maravilhosa. A comida do hotel também estava ótima, caseira.

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais.

Roberta Martins

Roberta Martins

Publicitária, geradora de conteúdo sobre turismo, idealizadora deste site, fotógrafa e guia de turismo. Há 12 anos relata suas experiências de viagem focando em cultura e ecoturismo. Saiba mais na página da autora.

2 comentários

  1. “Estávamos a 1822 metros de altitude, o ponto mais alto e frio do sul do Brasil.” O ponto mais alto do Sul do Brasil é o Pico Paraná, que fica a 1.877 metros de altitude em relação ao nível do mar.

    1. Oi Lucio, obrigada pela informação, este texto é bastante antigo quando eu escrevia por hobby e não me atentava para detalhes como este. O Sul para mim, na época, era SC e RS. Aos poucos tenho revisado e arrumado os textos antigos, afinal são quase 1500 ao total

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.