fbpx
Saíra Lagarta (crédito Ricardo Mendes)

Começa a temporada de birdwatching


Os meses de primavera e verão são os melhores para praticar observação de aves, ou birdwatching ou passarinhar para os nacionalistas. Isto porque elas estão mais ativas e exibidas nessa época. É o período de reprodução da maioria das espécies e o colorido da estação convida todos a sairem da toca, nós e os animais. Concorda?

Não sou praticante da modalidade, mas adoro encontrar animais na natureza e acredito que incentivar o hobby ajuda na conscientização e preservação ambiental. Inclusive, já vivi encontros especiais assistindo revoadas e fazendo trilhas pelo mundo. Não por acaso, aconteceram com maior frequência entre os meses de setembro a março como:

Também no outono e inverno como:

  • Revoado dos Guarás no Delta do Parnaíba  
  • Revoada das Andorinhas na Chapada das Mesas (com vídeo) 
  • Jacuaçu quando esperava o pôr do sol no Santuário do Caraça
No final do dia pássaros grandes se reuniram no jardim da Igreja
Jacuaçu

E falando em Caraça, foi uma notícia (leia a seguir) vinda de lá que me motivou a publicar este artigo. O Santuário do Caraça, próximo a capital mineira, possui mais de 380 espécies para observação e uma pousada histórica dentro da área de preservação. Eu já me hospedei lá e conto a experiência na palavra em vermelho acima.

Começa a temporada de birdwatching 

De acordo com os dados da Avistar Brasil, grupo que promove o maior encontro de praticantes de birdwatching no país, existem mais de 35 mil observadores de aves por aqui. E não poderia ser diferente, já que o território nacional é o segundo maior do mundo em número de aves, passando de mais de 1.900 espécies, o que totaliza cerca de 20% das aves do mundo, conforme pesquisa feita pela Save Brasil, braço da BirdLife International.

Além de auxiliar, e muito, para a preservação e conscientização ambiental e catalogação das espécies, a modalidade faz muito bem para quem a pratica. Pesquisas da Universidade de Exeter, na Inglaterra, apontam que observar aves, mesmo que em ruas perto de casa, ajuda a combater a depressão e a ansiedade. O estudo comprovou que as pessoas que moram em bairros arborizados e com mais aves por perto, tem menos chances desenvolverem problemas de saúde, como o estresse. A pratica também estimula e aprimora a capacidade de atenção e os sentidos, como audição e visão.

É muito fácil encontrar espécies em praticamente todos os ambientes, portanto, as aves podem ser observadas em praças, parques e jardins das cidades. Para observar espécies mais raras é necessário sair das zonas urbanas e se aventurar em expedições. 

Santuário do Caraça tem guia especializado

Um ótimo lugar para ter esse contato com as aves é no Santuário do Caraça, na divisa dos municípios de Barão de Cocais, Catas Altas e Santa Bárbara, em Minas Gerais. Composto por quase 13 mil hectares de Mata Atlântica, Campos Rupestres e Cerrado, com diversas trilhas desde as mais curtas, até as que levam horas de caminhadas, passando por belíssimas cachoeiras, o Santuário possui mais de 380 espécies de aves, algumas existentes só naquela região e com risco de extinção como:

  • Macuco
  • Uru
  • Águia-Cinzenta
  • Gavião-de-Penacho
  • Falcão-de-Peito-Laranja
  • Negrinho-do-Mato

Marcelo Vasconcelos, mestre e doutor em aves das montanhas do leste do Brasil e guia do Caraça, diz que é crescente a visita de adeptos da prática ao Santuário, inclusive de outros países. Estão sempre em busca das seguintes aves:

  • Beija-Flor-de-Gravata-Verde
  • Formigueiro-da-Serra

Tapaculo Serrano (crédito Ricardo Mendes)

  • Tapaculo-Serrano (crédito Ricardo Mendes)
  • Garrincha-Chorona
  • Tesourinha-da-Mata

Papa-Moscas-de-Costas-Cinzentas (crédito Ricardo Mendes)

  • Papa-Moscas-de-Costas-Cinzentas (crédito Ricardo Mendes)

Rabo-Mole-da-Serra durante birdwatching no Santuário do Caraça (crédito Ricardo Mendes)

  • Rabo-Mole-da-Serra (crédito Ricardo Mendes)

Para praticar o birdwatching no Santuário do Caraça, é recomendado que o observador se hospede nas acomodações disponíveis no local. Assim ele pode começar a expedição bem cedo, explorando melhor as trilhas, sem precisar se preocupar com o horário de funcionamento do local.

Observação de aves de amador para amador

Para começar a praticar o birdwatching não é necessário alto investimento ou especialização. Mas é preciso estar atento, ficar em silêncio e o ideal é levantar cedo, pois é pela manhã que as aves estão mais ativas. Com uma lente boa na câmera ou um binóculo de qualidade é fácil registrar e observar. Uma publicação ajuda na identificação das espécies e nem precisa ser guia impresso. Hoje existem sites como WikiAves ou aplicativos específicos, além disso, lugares especializados, geralmente, tem guias impressos para emprestar aos turistas.
Santuário do Caraça
Santuário do Caraça

Fotos de Roberta Martins e destaque de Ricardo Mendes.

Tome Nota Santuário do Caraça

Endereço: Estrada do Caraça, KM9 – Entre os municípios de Barão de Cocais, Catas Altas e Santa Bárbara. O acesso é fácil pelas rodovias BR 381 e MG 436, além do charmoso acesso por trem (Estação Dois Irmãos – Barão de Cocais/MG)

Horário para visitantes não hóspedes: diariamente das 08h às 17h

Valores: a partir de R$ 12,00

Pousada do Caraça

Já foi colégio de padre, hospedou Dom Pedro II e esta rodeado de atrativos naturais como trilhas e cachoeiras. Funciona no regime pensão completa e todas as refeições, tipicamente mineiras, são servidas no fogão a lenha do refeitório. No café da manhã cada um pode fazer o seu ovo direto no fogão e todos sempre devem colocar a louça suja na estante. As bebidas são vendidas no bar e uma mesa serve água e chá à vontade. 

Os quartos são bem simples com banheiro. No corredor tem uma peça compartilhada com micro ondas e água. Em outras alas tem suítes com cozinha, chalés e casas nos arredores da igreja.

RESERVE AQUI  |  COMPARE VALORES

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais.

Roberta Martins

Roberta Martins

Publicitária, geradora de conteúdo sobre turismo, idealizadora deste site, fotógrafa e guia de turismo. Há 13 anos relata suas experiências de viagem focando em cultura e ecoturismo. Saiba mais na página da autora.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.