Itens indispensáveis na trilha

Na onda do concurso cultural dos 7 anos – O que não pode faltar numa viagem, vamos aos acessórios que ajudam quando se está no meio do mato.

Trilha do Rio do Boi
Trilha do Rio do Boi
Outhouse Toilet, para levar o papel higiênico
Outhouse Toilet, para levar o papel
higiênico

Durante o Adventure Bloggers Rota dos Canyons, testamos alguns equipamentos enviados por marcas de aventura parceiras. Alguns pareciam pouco úteis para o tipo de passeio, mas se mostraram práticos e divertidos em determinadas situações. Como o saco para papel higiênico estanque e o balde dobrável. Veja os produtos abaixo:

MOCHILA DE ATAQUE – tem que ser leve, confortável e melhor se tiver bolsos ou aberturas fáceis de acessar durante a caminhada. Por exemplo, que não precise tirá-la das costas para pegar a água, o bastão, a barrinha de cereal… Deuter nos enviou a Mochila Spectro AC 28 litros e foi a mais confortável que já usei. É feita pensando na anatomia feminina e o peso fica nos quadris, não nos ombros.

Deuter Spectro é mochila de mulher
Deuter Spectro é mochila de mulher
Estojo primeiros socorros sendo útil
Estojo primeiros socorros sendo útil

KIT PRIMEIROS SOCORROS – tropeçar, ganhar bolhas e ser picado fazem parte do roteiro, melhor estar prevenido levando um estojo com remédios de uso pessoal. Aconselho ter sempre esparadrapo, antisséptico, spray anti-inflamatório e antialérgico. Usamos o Estojo Ios Socorros da Deuter, tem divisões para organizar os produtos e vem em vários tamanhos. A dica é deixar em lugar fácil de pegar na hora do imprevisto.

TOALHA – as melhores trilhas tem cachoeira, rio ou lago para dar aquele mergulho revigorante. As mais indicadas são as de microfibra que secam rápido e são leves. Usamos a Micro towel xlarge da Sea to Summit.

Depois do banho nas piscinas do Malacara
Depois do banho nas piscinas do Malacara
Os mangos curtindo o banho
Os mangos curtindo o banho

 

Leandro usou o bastão como tripé
Leandro usou o bastão como tripé

BASTÃO DE CAMINHADA – não é necessário em todas as trilhas, mas indispensável em decidas para proteger os joelhos. Caminhar com dois bastões, em terrenos planos, dá muita velocidade e levar só um ajuda no equilíbrio para trajetos dentro de rio com pedras soltas, como nas trilhas no interior do Malacara e Itaimbezinho. Usamos o bastão de caminhada Triax, da Aztec, o melhor é o jeito como ele se desdobra facilmente e não pesa nada. Mas não tem regulagem de altura, deveria ser um pouco menor para o meu tamanho. Aconselho sentir a altura antes de comprar, o cotovelo deve estar dobrado em 90 graus.

SACO ESTANQUE – são tantos modelos e usos que rendeu um post exclusivo.

Balde dobrável aguenta 20 L
Balde dobrável aguenta 20 L

BALDE DOBRÁVEL – quando abri a embalagem achei perfeito para os acampamentos no Uruguai, onde temos que buscar água seguidamente. Mas os dias nos canyons seriam em pousadas com todo o conforto. Como era um estojo leve e pequeno, coloquei na mochila para ver se seria útil. No segundo dia já virou arma na guerra d’água dentro do Itaimbezinho e depois conservou a temperatura do espumante nos nossos brindes de final de tarde em Cambará do Sul.

Balde de gelo
Balde de gelo

CANIVETE – sempre bom na hora do lanche e pode ter outros usos criativos em caso de necessidade.

LANTERNA – mesmo que a caminhada seja durante o dia, sempre é bom levar uma pequena para emergências.

Óculos de sol, protetor solar e repelente são obrigatórios em qualquer atividade outdoor. Repelente eu só levava em dias quentes, mas com esse tempo louco está sempre na minha nécessaire.

Sol forte no Canyon Fortaleza exigia óculos
Sol forte no Canyon Fortaleza exigia óculos

[box]TOME NOTA

Leia o texto sobre roupas e sapatos para usar nos Aparados da Serra.
Todos esses produtos estão à venda na loja Território Online.
[/box]

Essa viagem foi patrocinada.
© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais. Fotos de Leandro Gabrieli e Maurício Oliveira.

Roberta Martins

Roberta Martins

Publicitária, geradora de conteúdo sobre turismo, idealizadora deste site e fotógrafa. Há 11 anos relata suas experiências de viagem focando em cultura e ecoturismo.

Deixe uma resposta