voo de balão

Voo de balão pela savana africana

O passeio mais esperado e um dos mais emocionantes da viagem ao Quênia foi o safari a bordo de um balão em Maasai Mara, um santuário selvagem na fronteira com a Tanzânia. Uma oportunidade única de ver a grandiosidade da savana e o nascer do sol por um novo ângulo.

Voar de balão era um sonho
Voar de balão era um sonho

Foi preciso madrugar e encarar uma hora de viagem no frio para chegar ao local da partida. Mas a visão ao descer do carro logo compensa, uma lua bem fininha se destacava no céu ao lado dos tons de rosa anunciando o amanhecer. Chá e café nos esquentaram enquanto o Lennart, o piloto sueco, verificava as condições climáticas que não estavam favoráveis devido à ventania.

Sem garantias, Lennart disse que iria fazer uma tentativa e pediu para ficarmos dentro do cesto enquanto enchia o balão ou seria mais complicado entrar depois.

Homens ajustando o balão
Homens ajustando o balão

O Voo de Balão

Emas correram rápido quando voamos baixo
Emas correram rápido quando voamos baixo

E assim começou a aventura, ficamos os seis deitados no cesto vendo, de cabeça pra baixo, o fogo esquentar o ar (além da minha cabeça) e dar forma ao balão. Eram vários homens trabalhando e o meu pensamento estava fixo na ideia de que tudo daria certo… e deu! Gritaram para eu parar de fotografar e segurar firme. O piloto pulou no cesto e lá fomos nós.

O deslocamento é muito leve e agradável, mas o espaço é pequeno e limitador de movimentos. Fato completamente esquecido quando o sol deu um espetáculo brotando lágrimas em algumas tripulantes e iluminando os outros balões que nos acompanhavam.

Planície mais bonita com os balões
Planície mais bonita com os balões

Então começa o jogo de visualizar e fotografar o máximo de animais possíveis. Pelo horário imaginei que encontraríamos vários, estava enganada, ou talvez o vento forte também tenha atrapalhado a noite deles. Passamos por antílopes, emas, elefantes e javalis. Mesmo voando alto, uma manada de elefantes percebeu a nossa presença e mudou a formação rapidamente. Fizeram um círculo, todos com a cabeça pra fora, deixando os filhotes protegidos no centro. Imagina se precisássemos pousar naquele momento! Não estaria aqui para contar esta história.

Por vezes o balão voava baixo, outras ia bem alto e parecia estar devagar, mas estávamos muito rápido, tanto que a programação era voar mais de uma hora e durou cerca de quarenta minutos. Quando nos aproximamos do rio, o piloto avisou que seria complicado a equipe de resgate nos alcançar na outra margem, por isso ele forçou a descida antes de tempo.

Elefantes
Elefantes
Tentando esquecer que eu era uma presa fácil
Tentando esquecer que eu era uma presa fácil

A descida

Segura firme de novo, esquece as fotos, agacha e reza pra não cair em cima de leões… O impacto não foi forte, mas foi se arrastando por alguns metros pela vegetação alta até parar. Estava em um dos cantos e vi tudo por uma micro janela.

Todos ríamos de nervosos, o mato estava alto e algum animal poderia aparecer a qualquer momento. Segundos de adrenalina a mil até o piloto pedir para dois subirem no cesto e acenarem com um lenço. Aos outros alertou para não se afastarem. Enquanto não havia sinal de resgate, Lennart contou histórias sobre balonismo e eu tentei me acalmar tirando fotos, mas a espera foi longa e tensa. Só de recordar o coração já acelera, mas já me viciei nesses momentos e faria tudo de novo sem pensar.

Lennart contando histórias
Lennart contando histórias

Ver o jipe correndo em nossa direção foi um alívio. Nos levaram para onde o café da manhã estava montado ao ar livre e um cozinheiro preparava omeletes na hora. Mas antes teve o brinde e mais histórias contadas pelo corajoso piloto. A nossa aventura ficou confirmada em certificado e registrada na minha memória pra sempre.

Café da manhã na savana
Café da manhã na savana

Tome Nota

Certificado
Certificado

O passeio é salgado, mas vale ajustar o orçamento e garantir um piloto experiente como foi o nosso. O custo foi U$450 com a empresa Hot Air Safaris.

O transporte até o passeio foi feito pelo motorista do Hotel Olare Mara Kempinski, onde estávamos hospedados.

Este passeio é uma das 17 coisas para fazer antes de morrer que fiz no Quênia. 

Esta viagem foi patrocinada pelo Kenya Tourism Board.

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais. Fotos por Roberta Martins e Tarcila Ferro.

café da manhã depois do voo de balão café da manhã depois do voo de balão café da manhã depois do voo de balãovoo de balãovoo de balãoo pousosol ilumina balãoEsperando o nascer do sol Esperando o nascer do sol Roberta Martins no voo de balão O pouso do balãoO pouso do balão

Veja todos os posts sobre os 10 dias no Quênia:

Brunch na savana africana

Luxo e vista no Hemingway’s Nairóbi

Meu encontro com os Masais

Lewa, o verdadeiro Safari Camp

Sea Safari e meus dias em Diani Beach (vídeo)

Acampamento luxuoso e selvagem no Olare Mara Kempinski

Dois dias na capital do Quênia

Um dia no Kisite Marine Reserve

O paraíso no Quênia (vídeo)

Babies africanos

Orfanato de elefantes (vídeo)

Safari a cavalo

10 dias em 1 minuto (vídeo)

Fotos da Semana : CamaleãoLeopardoContador de rinocerontesBaobáDia Mundial do LeãoEstrela do mar e Girafa.

Roberta Martins

Roberta Martins

Publicitária, geradora de conteúdo sobre turismo, idealizadora deste site e fotógrafa. Há 11 anos relata suas experiências de viagem focando em cultura e ecoturismo.

Deixe uma resposta