fbpx
Veneza

Veneza delírios palpáveis


“Todas as histórias de amor acontecem em Veneza / mesmo as que não acontecem por aqui”. – autor desconhecido

Seguro viagem é obrigatório na Europa? Pegue o cupom de desconto e saiba como comprar aqui   Leia todos os textos sobre o país

Saia do Brasil conectado com o chip de celular da EasySim4U

Veneza por Davi Carneiro
Veneza tem cerca de 500 gondoleiros. Uma tradição que se passa de pai para filho

“Veneza é como a vida”, descreveu a escritora espanhola Eugenia Rico. “Todo mundo fala dela como se a conhecesse, como se soubessem seus segredos, mas na realidade ninguém a conhece. Veneza e a vida são o mistério de saber por que tanto mistério, em que consiste a fascinação de uma serie de canais pútridos e de palácios assediados por gaivotas e porque seguimos presos em um conto do qual já conhecemos o final”.

O lindo entardecer no Grande Canal
O lindo entardecer no Grande Canal

Veneza em meus delírios palpáveis

A primeira vez que estive nessa cidade de mistérios foi em janeiro de 2008. Éramos seis estudantes brasileiros em intercâmbio e havíamos resolvido passar a virada do ano na Itália. O inverno havia chegado à Veneza. Fazia bastante frio. Eu havia acabado de completar 23 anos.

Pequenos brinquedos luminosos recebem os viajantes no céu da Praça São Marco
Pequenos brinquedos luminosos recebem os viajantes no céu da Praça São Marco

Agosto de 2012. Quatro anos se passaram. E volto à Veneza depois de sete dias entre Roma, Florença, San Gimignano e Siena. É verão, faz muito calor. E o feitiço de Veneza – que mesmo no inverno havia tido um efeito embriagador sobre mim – ganhou novas (e incrivelmente intensas) cores, tons, personagens e sabores. Foi incrível voltar à uma cidade como Veneza anos depois: pude perceber claramente o quanto mudei nesses quatro anos. Mas uma coisa definitivamente não se alterou: Veneza continua ocupando um lugar muito especial no meu coração. Afinal, como não se apaixonar por uma cidade onde tudo parece flutuar?

Relaxar sem maiores compromissos e deixar-se perder. Ao se envolver nas teias de sua inevitável atmosfera de sonhos é fácil compreender que, apesar da beleza dos seus monumentos, a atração principal de Veneza é à cidade em si. Seja caminhando sem rumo em seu labirinto de ruelas apertadas ou ao entrar nas belíssimas lojas de máscaras. Seja ao sentar a beira de um canal para molhar os pés ou observando o cruzar das gôndolas e dos casais apaixonados. Seja admirando suas casas antigas ou suspirando em alguma de suas belas pontes, que parecem objetos de decoração. A essência veneziana mostra-se extremamente delicada e romântica em seus pequenos detalhes.

Casal observa as cores do entardecer aos pés da Praça São Marco
Casal observa as cores do entardecer aos pés da Praça São Marco
A gastronomia também é um dos fortes de Veneza
A gastronomia também é um dos fortes de Veneza

Já estava se aproximando da hora de me despedir da cidade. Olhando para o Grande Canal procuro uma palavra para definir aquele sentimento. Logo desisto. Este é um lugar que desafia definições. Muitos, de Twain a Nietzsche, tentaram a difícil façanha de descrevê-la. Certas coisas, porém, só podem ser entendidas plenamente quando vividas, sentidas, compartilhadas, repartidas. E esta é definitivamente uma cidade para ser vista e vivida. Mesmo assim, é possível que você tenha alguma dificuldade em acreditar que ela seja feita de material concreto e não de sonhos. Fiquei ali, então, sobre uma daquelas pontes, tomando um “gelatto” italiano, olhando o vai e vem de turistas e suspirando antecipadas saudades.

 

A vida dos venezianos transcorre sem pressa em uma das muitas cafeterias da Serenissima
A vida dos venezianos transcorre sem pressa em uma das muitas cafeterias da Serenissima

Tome Nota

Acessse o site de turismo da cidade.

Idioma: italiano (oficial), embora haja habitantes que falem o veneziano, variante do dialeto vêneto.

Melhor época: De maneira geral, a primavera (março a junho) e o outono (setembro a dezembro) são agradáveis, com temperaturas moderadas. Consultar a previsão do tempo é sempre uma boa ideia quando se planeja visitar Veneza. A cidade alaga desde o século 13, quase sempre entre novembro e abril. O motivo resulta de uma combinação de fatores: fortes chuvas, oscilação das marés, a estrutura peculiar da cidade e o aquecimento global.

Evite filas nas principais atrações de Veneza, compre ingressos antecipados na Get Your Guide. Clique no link e veja as atrações em Veneza.

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais.

Davi Carneiro

Davi Carneiro

Davi Carneiro é baiano, jornalista, viajante, blogueiro de viagens, aprendiz de escritor e formado no Master de Periodismo de Viajes em Barcelona. Atualmente mora na Romênia.

2 comentários

  1. Olá Angelica,

    Sim, fui eu quem tirou a foto. Que coincidência legal! Fiquei curioso para ver sua foto dele 🙂 Quando vc esteve lá?

    um beijo,

    Davi

  2. Hey querido, essa foto voce tirou do gondoleiro ? Eu tambem tirei uma foto dele , kkkkkkkkk eu acho que ele e famoso kkkkkkkkkkk , Claro que agora ele tem um pouco mais ruguinhas nos olhos , mas muito legal ter gosto essa foto , eu acabo de chegar Dali e gostei muito .

    Um beijo

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.