fbpx
Catedral do Sal em Bogotá

Um fim de semana em Bogotá


Para comemorar meu aniversário, resolvi que o melhor presente seria uma viagem. Como tenho um projeto para conhecer toda a América, acabei decidindo por Bogotá, na Colômbia. Ainda não conhecia e nem era tão distante para quem só tinha o final de semana para viajar.

Cores de Bogotá
Cores de Bogotá
Precisa de seguro viagem? Pegue o cupom de desconto
Falta reservar hotel? Veja onde nos hospedamos
Leia todos os artigos sobre a Colômbia

Dicas para visitar Bogotá

Partindo de São Paulo, em apenas seis horas estava aterrissando no Aeroporto Internacional El Dorado, porta de entrada principal da Colômbia. A imigração foi tranquila sem muitas perguntas, aliás, como em toda a América Latina, o brasileiro é muito bem vindo e a recepção costuma ser agradável.

Para ir até a cidade, o trajeto leva mais ou menos 40 minutos de táxi e nessa hora já percebemos como o trânsito de Bogotá não é nada agradável, pois são quase 10 milhões de habitantes e não tem metrô. O único facilitador é um sistema de ônibus parecido com o fura-fila paulistano chamado Trans-milênio, o restante são ônibus normais mesmo, muitos táxis e carros particulares.

 

Bogotá vista de Montserrate
Bogotá vista de Montserrate
Zona Rosa
Zona Rosa

Para se hospedar o mais indicado é ficar na Zona Rosa, também conhecida como zona T (região norte de Bogotá), ou na região da Candelária que é a parte central da cidade e em ambas pode-se andar tranquilo, pois a segurança é muito boa. Na Zona Rosa existem várias opções de diversão como bares e restaurantes, além de ruas arborizadas e gostosas de caminhar. Lá estão situadas as melhores lojas e os centros de compras.

Palácio Presidencial
Palácio Presidencial

Fim de semana em Bogotá

Pra começar o passeio, o melhor é ir para a região da CANDELÁRIA, onde ficam a parte histórica e os museus. Tem a praça Bolívar, o Palácio do governo e a CATEDRAL PRIMADA DA COLÔMBIA que tem uma elegante arquitetura e possui criptas das figuras mais importantes do país. Fundada pelos colonizadores espanhóis em 1538, a Catedral originou-se de uma pequena capela com telhado de palha e foi reconstruída várias vezes por conta de fundações frágeis e danos causados pelos terremotos. Ao observar a fachada neoclássica do século 19 é difícil imaginar quanta história existe neste local.

Catedral Primada da Colômbia
Catedral Primada da Colômbia
Fachada Museo Botero
Fachada Museo Botero

Saindo da Catedral, pode-se caminhar pela região. Além de bastante segura é linda por causa das muitas construções antigas bem conservadas. Podemos facilmente localizar o Museu Botero que conta com uma boa parte da coleção de obras do renomado artista Colombiano Fernando Botero. Foi inaugurado no ano 2000, quando o próprio Fernando Botero doou uma coleção de mais de 200 obras dele e de outros artistas internacionais como Salvador Dali, Pablo Picasso e Renoir, entre outros. Só a visita a este museu, para mim, já valeu a viagem, pois é muito bonito e bem organizado.

Dividindo o prédio com o Museu Botero, existe a Casa da Moeda que conta um pouco da história do dinheiro local. Tem muitos maquinários antigos interessantes de se ver.

O próximo destino foi o Museu do Oro, considerado o maior museu da história do Ouro e o principal do mundo nesta área. Foi fundado em 1939 e seu acervo é constituído de trabalhos pré-Colombianos que utilizam como matéria prima o ouro da região. Vale a visita pela originalidade e pelo contexto histórico único

Interior do Museo do Oro
Interior do Museo do Oro

Outro passeio imperdível é visitar o Cerro Monserrate, localizado a 3.200 metros de altitude de onde pode-se avistar a cidade toda do alto. Para subir paga-se o equivalente a 40 reais podendo optar pelo teleférico (mais emocionante) ou pelo funicular. O legal é poder subir por um e descer pelo outro. Para chegar lá, o mais fácil é pegar um táxi na região da Candelária, pois a base do Cerro fica bem próxima a esta região.

Como Bogotá já é uma cidade com ar mais rarefeito em função da altitude, no alto do cerro essa sensação fica ainda mais acentuada. Por isso aconselho a fazer este passeio no segundo dia quando o corpo já começa a se acostumar um pouco mais com a altitude.

No topo do Cerro Monserrate
No topo do Cerro Monserrate

Para curtir a noite de Bogotá, com bons restaurantes e alguns bares/baladas, o caminho é o mesmo da hospedagem. Quase todos os bons endereços da noite ficam na Zona Rosa ou Zona T.

Catedral de Sal em Zipáquira

Antes de ir a Bogotá, tinha ouvido falar na CATEDRAL DE SAL, uma igreja localizada numa cidade próxima chamada Zipáquira. Fica dentro de uma mina de Sal e, é claro que depois de ver algumas fotos, fui conferir pessoalmente no Domingo de manhã.

Catedral do Sal
Catedral do Sal

O tempo para ir até lá varia, pois dá pra ir de táxi ou de ônibus e, é claro, o dinheiro gasto também varia. Acabei optando pelo táxi pelo pouco tempo e não queria correr o risco de perder meu voo que saia no começo da noite.

Partimos do hotel as 8:30hs e uma hora depois já estava na porta do parque da Mina. Onde foi montada uma estrutura turística com praça de alimentação e até parede de escalada para crianças.

A visita é guiada. Dura em torno de uma hora e o roteiro foi montado de forma a seguir a peregrinação de Jesus até o Calvário da Cruz. A cada passagem a cruz que a simboliza está um pouco mais enterrada na terra, até chegarmos ao ápice da visita – a nave da catedral.

O que impressiona é a grandiosidade da mina. Também o jogo de luzes colocado junto com alguns hinos religiosos dando ao local um sentimento de meditação obrigatória.

Depois desta parte, o passeio acaba num corredor tradicional de lojinhas de lembranças da visita. O guia se despede deixando os visitantes a vontade para explorar novamente o trecho, caso queiram. Eu acabei refazendo todo o caminho para tirar fotos melhores do local. O passeio todo incluindo uma passada rápida no centro de Zipaquirá e a volta ao hotel levou 4 horas e meia.

Catedral de Sal
Catedral de Sal
Catedral de Sal
Catedral de Sal

Interior da Catedral do Sal
Interior da Catedral do Sal

Claro que ainda dava para explorar mais a região, mas para um fim de semana de Sexta, Sábado e Domingo, valeu muito a pena.

Veja mais fotos de Bogotá:
Bogotá Bogotá Bogotá Bogotá Bogotá Bogotá Bogotá Bogotá Bogotá Bogotá Museu do Oro Bogotá

 

 

Tome Nota

O DINHEIRO utilizado é o Peso Colombiano e a primeira dica é trocar apenas o necessário no aeroporto, pois o câmbio na cidade é mais atrativo.

O táxi do aeroporto até a Zona Rosa (local da minha hospedagem) custou 40 mil pesos em 2014.

Hotel em Bogotá: achei o HOTEL B3 muito legal e bem localizado. Tem um café da manhã top e um pessoal muito atencioso.

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais.

Raul Botelho

Raul Botelho

Apesar de ser nascido em uma cidade pequena, no interior do estado de São Paulo, tive a oportunidade de conhecer várias cidades ainda muito novo, pois meu pai era motorista de caminhão e eu sempre aproveitava pra viajar junto, quando possível. Hoje percebo que foi nessa época, ainda criança que descobri a paixão por viagens, por novos lugares, novas pessoas e diferentes costumes.

1 comentário

  1. Muito legal, toda viagem vale a pena, belas fotos. bjs.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.