CAChoeira Boca da Onça

Trilha para a Cachoeira Boca da Onça


Bonito é considerado o melhor destino de ecoturismo no Brasil e fui logo imaginando variedade em trilhas pra fazer. Ainda no planejamento da viagem, consultei o receptivo e, pra minha surpresa, a única sugestão era a trilha ecológica até a Cachoeira Boca da Onça, no Parque Nacional Serra da Bodoquenha. Vou contar como foi e o motivo da minha decepção.

Decepção com as trilhas em Bonito

Primeiro, eu fui na época errada. Pra ver aquela cor de água maravilhosa divulgada nas fotos de Bonito, deveria ter ido na época da seca e fui em fevereiro. Ou seja, encontrei água turva, barrenta e somente nas nascentes mais protegidas havia água cristalina. Não era o caso da Fazenda Boca da Onça. Por outro lado, a temperatura da água estava ótima, o clima agradável pra caminhar e encontrei detalhes interessantes da fauna e flora local.

Então veio a segunda decepção. Eu gosto de fazer trilha sem pressa observando e fotografando cada detalhe. Geralmente fico por último e o guia me espera e permite um tempo para fazer as fotos. As vezes pede para eu me apressar para acompanhar o grupo, tudo bem, mas neste passeio eu fui proibida em todas as paradas. O guia nervosinho dizia que o próximo grupo estava chegando e eu não podia ficar pra trás. Mesmo na temporada baixa, o tempo entre um grupo de outro é de apenas 30 minutos. Sem opção de conversa. Bom para os apressadinhos que gostam de chegar primeiro, pra mim, foi péssimo.

Passei uma semana em Bonito e descobri algumas coisas chatinhas, entre elas a rigidez em manter os padrões de ecoturismo seguro em excesso. E isto descarta a possibilidade de existir uma trilha mais difícil como alternativa para um público como eu. Os responsáveis não estão errados em formatar uma cidade turística “perfeita”, mas eu esperava muito mais do melhor destino de ecoturismo do país.

Abraçada em árvore gigante
Abraçada em árvore gigante

Na verdade, quase todos os passeios tem trilhas, mas são curtas e super fáceis. Por exemplo, toda flutuação começa com uma leve caminhada pela mata ciliar até alcançar a margem do rio desejado.

Veja o que deu pra registrar sendo pressionada pelo guia:

 

 

 

Pra quem eu indico Bonito

Feita a reclamação, vamos ao lado bom. Sim, Bonito é maravilhoso, eu ainda vou voltar na época da seca e recomendo aos leitores. Principalmente pra crianças, idosos e quem quer ser aproximar da natureza preservada, mas não esta acostumado e se sente inseguro. Também vale para os mais aventureiros, mesmo sem trilhas complexas, tem rapel, mergulho em caverna e a experiência mágica de flutuar em rio de água doce. E quem busca algo mais selvagem, pode passar o dia no Pantanal.

Udu de Coroa Azul
Udu de Coroa Azul

ENCONTRE HOTÉIS EM BONITO BRASIL

Como foi o passeio até a Cachoeira Boca da Onça

Começa com uma mini palestra com instruções e momento para tirar dúvidas. Quando todos devem preencher um termo de conhecimento de risco e optar por fazer ou não o rapel de 90 metros. O esporte é opcional e quem escolhe faz um trajeto diferente. Escolhi não fazer porque o meu medo de altura permite eu me jogar somente em atividades rápidas. Descer devagar sem ter onde se apoiar (não pode tocar no paredão para preservar o cânion, a corda fica afastada a partir de uma plataforma) é demais pra mim.

Cada grupo parte com máximo de 20 pessoas e é levado até o início da trilha em caminhão. A caminhada segue o curso do Rio Salobra, por 4,5 km, com paradas em poços, quiosque pra lanche e cachoeiras. Ao total são oito cachoeiras com opção de banho em quatro piscinas naturais. Entrei apenas no Poço da Lontra pra me refrescar no meio do trajeto.

Mergulho no Poço da Lontra
Mergulho no Poço da Lontra
Cachoeira Boca da Onça e piscina natural
Cachoeira Boca da Onça e piscina natural

A última é a Cachoeira Boca da Onça, a maior do Mato Grosso do Sul leva este nome por ter o formato do rosto de onça esculpido na rocha. Conforme o ângulo e volume de água, muda a visualização, mas achei bem fácil de identificar no meio da queda.

 

 

Maior cachoeira do Mato Grosso do Sul
Maior cachoeira do Mato Grosso do Sul

O trecho final é a parte difícil (mais cansativa do que difícil), porém é opcional para quem não aguenta subir 886 degraus de madeira. O calor atrapalha, mas a vista para o vale com o Rio Salobra e parte da Cachoeira Boca da Onça recompensam o esforço.

886 degraus
886 degraus no fim da trilha
Vista para o Rio Salobra
Vista para o Rio Salobra
  • CURIOSIDADE
Essas formações diferentes visíveis em algumas cachoeiras de Bonito e Bodoquenha são chamadas tufas calcárias. São frágeis esculturas da natureza como a cara da onça na Cachoeira Boca da Onça.

Tome Nota Boca da Onça

Almoço regional
Almoço regional

O período da seca vai de maio a setembro. Quando as águas ficam mais cristalinas e de cor vibrante.

Boca Da Onça Ecotour possuí uma infraestrutura legal pra passar o dia e descansar depois da trilha. Tem bar, piscina, redário, almoço regional, seguro e guia, tudo incluso no pacote. Crianças devem ter mais de 5 anos. Saiba mais sobre BOCA DA ONÇA ECOTOUR no site.

A atração esta localizada dentro da fazenda Boca da Onça, na Serra da Bodoquena. Pertence ao município de Bodoquena, 55 quilômetros distante de Bonito. O acesso é pela Rodovia MS-178. Pode alugar um carro (reserve com RENTAL CARS), contratar um translado privativo ou ir nas vans organizadas pelos receptivos. Mas não chegue no local querendo entrar porque é preciso reservar com antecedência nas agências locais. O preço é tabelado e a escolha é pelo atendimento da sua preferência.

Cancele o passeio se chover mais de 80 ml no dia anterior.

Piscina para depois da trilha
Piscina para depois da trilha

Saiba o que fazer em Bonito:

Flutuação no Rio da Prata

As cachoeiras de Bonito

Flutuação na Barra do Rio Sucuri

Restaurante Casa do João

 

Fotos de Roberta Martins e Leandro Gabrieli.

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais.

Roberta Martins

Roberta Martins

Publicitária, geradora de conteúdo sobre turismo, idealizadora deste site, fotógrafa e guia de turismo. Há 12 anos relata suas experiências de viagem focando em cultura e ecoturismo. Saiba mais na página da autora.

1 comentário

  1. Olá Roberta Martins como vai? Gostei do seu post sobre a Boca da Onça, lamento apenas pelo fato de ter tido alguma experiência negativa em relação ao guia. Hoje a Boca da Onça tem mais para lhe oferecer, da época que você nos visitou para hoje, muito coisa mudou na NOVA gestão de Marketing da BOE. Hoje buscamos de forma muito objetiva e planejada, as melhorias de infraestrutura e de colaboradores. Deixo aqui nosso convite para que você nos dê o privilégio de seu retorno, será bem-vinda! Estou a disposição! Parabéns mais uma vez pelo post.
    Spherart Marketing Digital

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.