Estação Gran Via em Madri

Sozinha em Madri: experiência, dicas e roteiro de 5 dias

Madri é um destino cheio de opções para viajar sozinha ou em grupo. Já tive as duas experiências e não tenho receio nessa afirmação. Nas duas vezes fui sozinha, no início para estudar, quando meus novos colegas viraram meus melhores amigos nas primeiras horas na Espanha. Dez anos depois fui a trabalho e tirei mais cinco dias para curtir a cidade. É sobre a Madri da última viagem, com roteiro e dicas para economizar e viajar sozinha, que vou contar agora.

Sozinha em Madri

 

Cresceu bastante, mas a essência e os principais pontos turísticos de Madri continuam os mesmos. Portanto, as recomendações feitas no texto Vale conhecer Madrid (o resumo do meu tempo de estudante) continuam válidas. As principais novidades são a região Arganzuela revitalizada e lugares para ver Madri do alto.

Margem do Rio Manzanares revitalizada e cheia de famílias
Margem do Rio Manzanares revitalizada e cheia de famílias

Dicas para não perder tempo

Antes de visitar qualquer metrópole, tenho dois hábitos no planejamento da viagem: ver quais eventos vão acontecer durante a minha estada e criar um mapa com todos os pontos turísticos e serviços que eu possa precisar. Agenda de eventos vejo em sites como Guia del Ocio e confirmo ao chegar pegando as várias revistas grátis de atrações em Madri. Facilmente encontradas no aeroporto, quiosques de atenção ao turista e centros culturais.

O mapa eu uso minha conta do Google para criar um personalizado com anotações, links e rotas. Desta forma organizo os passeios de cada dia conforme a proximidade e facilidade de transporte público. Também posso consultar no celular durante a viagem e traçar novas rotas, caso eu me perca ou mude de ideia.

O que fazer em Madri: meu roteiro de 5 dias

Como já conhecia, não priorizei os tradicionais pontos turísticos de Madri, mas acabei passando na frente ou entrando em quase todos por estarem no meu caminho. Então o roteiro a seguir também vale para quem visita pela primeira vez. Os museus e centros culturais voltei em todos onde havia exposição interessante. E baseado nas dicas para não perder tempo, selecionei o que queria ver, marquei no mapa abaixo e consegui ver tudo em cinco dias. Quer dizer, faltou o teleférico porque era inverno e os horários eram limitados.

Templo de Debot no Parque del Oeste
Templo de Debot no Parque del Oeste

Dia 1 Parque del Oeste e Gran Via

Comece se localizando e tendo uma ideia geral do que fazer em Madri no mirante mais alto da capital – o Faro de Moncloa. Fui no fim do dia e não foi a melhor escolha, por isso vou adaptar um pouco pra facilitar o seu roteiro. Ali perto fica o Museu da América, o Arco de Moncloa e o Parque del Oeste, onde fica o Templo de Debot. O templo esta dois quilômetros de caminhada em meio ao verde ou pode pegar o metro na Estação Moncloa e descer na Plaza España.

A partir da estação tem acesso ao final da Gran Via, a avenida mais atraente por causa dos prédios antigos, movimentação intensa e comércio. Eu adoro caminhar por ali olhando pra cima, seja de dia ou de noite. Pode passar no Espacio Fundación Telefónica para alguma exposição e terminar o dia jantando no Mercado San Antón, bem perto da Estação Chueca.

Plaza Mayor
Plaza Mayor

Dia 2 Bairros Centro, La Latina e Lavapiés

Se for domingo, aproveite a manhã na Feira do Rastro, no bairro La Latina. São várias ruas com todo tipo de mercadoria nova e usada, manifestações artísticas e comida barata. Então vá para o centro e explore as ruas estreitas e repletas de história entre Plaza Mayor e Puerta del Sol. Prove o autêntico churros na Chocolateria San Ginés, beba chope em algum dos diversos bares tradicionais e termine no badalado Mercado de San Miguel ou participe do Pub Crawl.

Se for qualquer outro dia da semana, esses bairros terão maior movimento de pessoas e comércio aberto. Mesmo sem a feira do Rastro, quem gosta de ver o cotidiano dos locais, vale caminhar pelas ruas dos bairros La Latina e Lavapiés. Ou conforme a agenda de eventos, visitar os centros culturais Tabacalera e La Casa Encendida seguindo em direção ao metro Embajadores.

Parque del Buen Retiro
Parque del Buen Retiro

Dia 3 Paseo del Prado e Parque del Buen Retiro

Se gosta de museus pode reservar um dia inteiro para o Paseo del Prado, ali tem pelo menos três entre os mais interessantes da Europa: Reina Sofía, Prado e Thyssen-Bornemisza. O primeiro contemporâneo, o segundo clássico e o terceiro reúne todas as épocas e tipos de arte no mesmo prédio histórico. A rua é charmosa para caminhar e tem outros centros culturais como Centro-centro e Caixa Forum e o cartão postal Fonte de Cibeles.

Visitar todos no mesmo dia fica cansativo, mas pode escolher alguns e intercalar com descansos no Parque del Buen Retiro. O parque mais visitado de Madri tem um lago, o Real Jardim Botânico, o Palácio de Cristal e outras atrações. Não deixe de passar na Porta de Alcalá na entrada ou na saída do parque. E pra terminar com muito estilo, assista ao pôr do sol no Azotea, o café no terraço do Círculo de Bellas Artes.

Em frente ao Museu de Arte Reina Sofia
Em frente ao Museu de Arte Reina Sofia

Dia 4 Museus ou arredores de Madri

Aconteceu de querer entrar em todas as recomendações anteriores, exceto Museu do Prado porque esse tipo de arte me dá sono. Tudo bem, volte outro dia como eu fiz e prefira deixar o Reina Sofía, Real Jardim Botânico e Caixa Fórum neste itinerário. Passe pela Estação de Atocha e prove o tradicional bocadillo de calamares do El Brillante. Um boteco típico madrileno. E não deixe de subir no terraço do Museu Reina Sofía. Se museu não é a sua praia, visite os arredores. Pegue o trem na Estação Atocha ou contrate um passeio de um dia para as cidades medievais Toledo ou Segovia. Conheci as duas na primeira viagem a Madri e adorei.

A moderna Ponte de Arganzuela
A moderna ponte de Arganzuela

Dia 5 Arganzuela e Tetuán

A região revitalizada e menos turística de Madri é ideal pra descansar e ver a rotina dos madrilenos. Comece pelo centro cultural Matadero, sempre tem alguma exposição interessante ou é caminho entre o metro e rio Manzanares. A orla entre Matadero e Ponte de Toledo se transformou em um belo e moderno jardim com diferentes cenários ao ar livre. Entre eles a ponte de Arganzuela e parque infantil com brinquedos integrados ao jardim como escorregadores de metal.

Se gosta de caminhadas, pode passar a Ponte de Toledo e seguir a orla por vários quilômetros. O caminho de pedestres continua até o Palácio Real de Madrid e passa pelo estádio do time de futebol Atlético de Madrid. Se quiser visitar o estádio do Real Madrid, deve pegar o metro para o outro lado da cidade. Por acaso onde estava hospedada e era sempre fácil me locomover para todos os lados. O bairro Tetuán é o centro financeiro da capital com prédios modernos, grande oferta em restaurantes e todo tipo de loja. Excelente para fazer compras longe dos pontos turísticos, ainda mais nas liquidações de janeiro como aconteceu comigo.

Dicas para economizar

Tapas e vinho da casa no Mercado San Antón
Tapas e vinho da casa no Mercado San Antón

Hospedagem e comida acabam sendo os principais gastos de quem viaja sozinha por nem sempre ter com quem compartilhar despesas. A dica de hostel esta no item abaixo e quando tem cozinha é bom pra comprar em mercados e preparar seus próprios lanches. Sugiro economizar no almoço e gastar mais no jantar. Aproveite os menus do dia, os sanduiches chamados bocadillos e prove o máximo de tapas que puder. São vendidas individualmente e podem ter ingredientes bem requintados por um preço razoável. Pra quem come pouco como eu, foi uma bela solução em várias refeições. Aproveite os vinhos da casa, sempre bons e baratos. Se o café da manhã do hotel for caro, saia pra rua experimente algo diferente a cada dia.

Entre os restaurantes econômicos, recomendo as redes Rodilla, 100 Montaditos (cervejaria), Museo del Jamón (chop muito barato) e Vip’s. Os três primeiros são lanches e saladas. Vip’s serve pratos mais elaborados e fartos, além de ser um tipo de loja de conveniência, mas esta parte é pra quebrar galho porque é mais caro que um mercado. Todos estão presentes em várias partes da cidade.

Se pretende usar transporte público, a partir de quatro viagens por dia escolha o bilhete semanal ou mensal. Dá direito a andar quantas vezes quiser em ônibus, trem e metro em qualquer zona. Inclusive, o meu amassou e não quis funcionar no segundo dia, apresentei ao fiscal e prontamente me deu um novo. Comprei dentro do aeroporto em um quiosque de informações turísticas quando ia em direção à Estação de metro. O transporte público em Madri funciona super bem pra circular por toda a cidade.

A maior dificuldade de viajar sozinha é ter boas fotos comigo. A solução tem sido usar o controle remoto da câmera porque não me acho bem em selfies
A maior dificuldade de viajar sozinha é ter boas fotos comigo. A solução tem sido usar o controle remoto da câmera porque não me acho bem em selfies. Dentro do Palácio de Cristal

Dicas para mulher viajar sozinha em Madri

Madri continua segura e com bastante movimentação nas ruas, inclusive à noite. Embora a quantidade de sem teto tenha aumentado consideravelmente, nunca fui incomodada ou me senti ameaçada. Porém, é bom cuidar o jeito como se veste, como exibe seus pertences e estar atenta a qualquer situação suspeita. Lembrando que imigrantes de culturas muito diferentes da nossa estão indo em peso para Espanha e nem sempre são respeitados e bem acolhidos. Isto pode refletir diretamente na nossa segurança.

Estar sempre conectada à Internet comprando um chip de celular local ajuda muito. Eu usava para ver horários de atrações e traçar rotas no Google Maps quando estava perdida. Comprei o chip da Vodafone com dados e chamadas por 15 euros que rendeu bem para uma semana. Compre agora na Ticket Bar e retire o chip no centro de Madri.

Ficar em hostel é a maneira mais rápida de fazer amigos e economizar (isto se dormir em quartos compartilhados). Prefira os femininos com banheiro no quarto ou acomodações privativas. Nesta viagem fiquei em hotel executivo e senti falta do astral dos albergues, mas fazia parte do pacote de trabalho e tinha um café da manhã maravilhoso. Se estiver procurando este tipo de hotel em Madri, leia minha resenha sobre o Holiday Inn Bernabéu. Se a ideia for hostel, eu escolheria o Far Home Gran Via pela localização, decoração descolada e excelente pontuação no Booking.com.

Gran Via
Gran Via

Pub Crawl é o jeito mais fácil de fazer festas divertidíssimas com desconhecidos e visitar diferentes bares na mesma noite. Um guia leva viajantes para estabelecimentos recomendados e fornece bebida cortesia em cada lugar. Marquei com The Madrid Pub Crawl na Puerta del Sol em um domingo, o grupo era pequeno e interessante.

Tome Nota Madri

Importante! Seguro viagem na Europa é obrigatório e pode barrar a sua entrada na Espanha se for solicitado e não apresentar a apólice na imigração. Além de ter com quem contar se perder bagagem ou precisar de atendimento médico. Escrevi sobre vantagens do seguro e forneço cupom de desconto aos leitores no link.

The Madrid Pub Crawl funciona todos os dias desde que tenha dois clientes. Pode ligar pra agendar no fone +91 94251 57862 ou aparecer às 22h na Puerta del Sol. A noite termina à 2 horas da madrugada. Ticket Bar oferece passeio semelhante e pelo mesmo preço que pode comprar agora pela Internet.

Fonte de Cibeles
Fonte de Cibeles

©Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais.

Se achou útil, Flip it! Se gostou das imagens, Pin it!

Pontos turísticos Madri: El Retiro Pontos turísticos Madri: Reina Sofia Pontos turísticos Madri: El Retiro Pontos turísticos Madri: Matadero Pontos turísticos Madri Arganzuela arganzuela

 

Roberta Martins

Roberta Martins

Publicitária, geradora de conteúdo sobre turismo, idealizadora deste site, fotógrafa e guia de turismo. Há 12 anos relata suas experiências de viagem focando em cultura e ecoturismo. Saiba mais na página da autora.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.