Roberta Martins viajando sozinha pela Grécia. Em frente ao Partenon de Atenas

Sozinha em Atenas: meu roteiro de 3 dias


Depois de passar semanas intensas pela Jordânia e Egito, cheguei a Grécia aliviada. Não que tenha acontecido algo constrangedor ou desaconselhe viajar sozinha por esses países, apenas a tensão com possíveis interpretações equivocadas sobre o jeito de vestir e se portar diminui. Na Europa é comum mulheres viajarem sozinhas, é fácil usar o transporte público e a cultura é mais parecida com a nossa. Embora as anteninhas continuem ligadas na segurança pessoal, é mais tranquilo. Aterrizei no aeroporto de Atenas apenas com a reserva da primeira noite no hostel. Sem roteiro, saí para caminhar e descobrir atividades na cidade. Teria três dias inteiros antes de pegar o barco-festa para navegar pelas ilhas gregas.

O texto continua após os serviços recomendados no destino.

AGILIZE SUA VIAGEM
Falta ver hotel? Veja onde nos hospedamos

Precisa de seguro viagem? Pegue o nosso cupom de descontos e saiba como comprar online.

Quer ficar conectado como eu fiquei? Leve o chip de dados desde o Brasil

Compre ingressos, passeios e transfer agora na Get Your Guide, ou saiba como funciona

https://www.instagram.com/p/BjAeqjDBn1r/

Primeiras Impressões

A sensação de segurança durou muito pouco ao caminhar pelo centro de Atenas. Olhava uma vitrine quando a vendedora pediu para eu entrar na loja para me mostrar algo, felizmente aceitei, porque o normal é agradecer e continuar caminhando. Ela alertou sobre uma pessoa tentando abrir minha mochila enquanto eu estava parada em frente à loja. Disse que os furtos têm sido frequentes e os turistas nem percebem. Avisou para eu tomar cuidado com grupos de jovens usando sacolas de marca, são gangues fingindo serem consumidores, alegou ela. Pronto, bastou saber disso para notar os meliantes agindo. Cuidei para não deixar nada de valor nos bolsos externos ou com fácil alcance ao abrir o zíper e continuei turistando. Agora atenta como se estivesse em qualquer grande cidade no Brasil. 

A Grécia ainda não se recuperou da crise financeira e há muito desemprego. Mas não há violência nem nos bairros aparentemente mais pobres. Aliás, seguindo pela via Adrianous, repleta de comércio por toda a sua extensão, os preços diminuem conforme o bairro vai ficando mais “feio”, passando a praça Monastiraki. Andei sozinha a noite, tanto por ruas desertas quanto movimentadas e nunca me senti em situação de risco. Pelo menos, na primavera, há turistas circulando nos arredores de Acrópole e a tendência é aumentar até agosto e setembro. 

Rua Adrianous é repleta de lojas
Rua Adrianous é repleta de lojas

Localização dos pontos turísticos de Atenas

Falando em Acrópole, ela é facilmente avistada e dificilmente encontrada na primeira tentativa. Explico: encontrar alguns pontos turísticos de Atenas é outra questão complicada. Minha família e amigos colocam a culpa no meu péssimo senso de direção e eu concordo. Acontece que eu não era a única. Inclusive, até fiz amizades com viajantes em busca do mesmo endereço enviado para um local qualquer pelo Google. Como de costume, faço mapas personalizados no Google Maps e vou visitando os lugares conforme a proximidade. O resultado dos meus dias na capital da Grécia ficou bem ilustrado nesse print todo rabiscado do meu histórico de 1 dia de caminhada gerado pelo aplicativo. Foi 17 km somente na área central de Atenas! Quem precisa otimizar o tempo e não gosta de caminhar, deve contratar um guia e não confiar integralmente nos mapas da Internet.

O que fazer em Atenas em 3 dias? Meu roteiro sozinha

Vista para o observatório, Templo de Hefeso e outras construções históricas de Atenas
Vista para o observatório, Templo de Hefeso e outras construções históricas

Dia 1

O primeiro dia foi andando sem rumo para me ambientar, fotografar e observar a rotina da capital. Esbarrei em várias ruínas e construções milenares sem saber sua origem, um fato positivo é não precisar pagar para entrar. Mesmo com grades, pode apreciar do lado de fora e comprar ingresso se ficar muito interessado, alguns são gratuitos. Outras descobertas despretensiosas foram os pontos altos para observar a cidade, ao mesmo tempo que me perdia, logo me encontrava ou ficava um tempo curtindo a paisagem como o momento do pôr do sol. Segui a movimentação das pessoas subindo uma escada de ferro e cai em um morro (Aeropagus) com vista para Acrópole e Templo de Hefeso. 

Do fim de tarde até a noite, o movimento nas ruas parece aumentar, o trânsito acalma e os bares lotam. Restaurantes descolados não faltam e a comida, embora salgada no tempero, pode ser bem econômica nos kebabs, gyros e saladas típicas.

Erecteion (século V a.C), templo para consagrar Atena e Posídon
Erecteion (século V a.C), templo para consagrar Atena e Posídon

Dia 2

O segundo dia foi bem acompanhada por uma brasileira hospedada no mesmo hostel. Nos programamos para visitar atrações pagas como Acrópole e perdemos um bom tempo para chegar até elas. Mesmo assim foi divertido e terminou em um bar como se fossemos amigas há décadas. Entre as melhores lembranças de viajar sozinha estão os momentos com as pessoas encontradas pelo caminho. Provavelmente, passariam desapercebidas se eu estivesse acompanhada. Assim como meu olhar não estaria tão atento aos detalhes e situações do cotidiano como aconteceu no dia anterior e seguinte.

Templo de Zeus Olímpico (século VI a.C), ruína de um antigo templo dedicado a Zeus
Templo de Zeus Olímpico (século VI a.C), ruína de um antigo templo dedicado a Zeus

Dia 3

O terceiro dia foi dedicado ao Museu da Acrópole. Comprei o ingresso na Get Your Guide antes de sair do hostel para evitar filas e mexer com dinheiro na rua, mas foi bem tranquilo porque a alta temporada ainda não tinha começado. Fiquei um bom tempo imersa na antiga civilização grega e impressionada como as obras estão desgastadas quando comparadas ao visto no caótico Museu do Cairo dias antes. Definitivamente, o fator clima extremamente seco ajuda na preservação porque a estrutura e cuidado no museu grego é muito superior ao egípcio. 

Por fim, usei as últimas horas na natureza do Jardim Nacional, vendo a troca da guarda no Parlamento Helênico e controlando meus impulsos consumistas. A vontade era sair comprando porque as roupas e objetos são lindos e para todos os bolsos. 

Troca da guarda no Parlamento Helênico é uma dança simétrica
Troca da guarda no Parlamento Helênico…
Troca da guarda no Parlamento Helênico é uma dança simétrica
…é uma dança simétrica

Tome Nota

Onde comer:
Spollati bar com pratos saborosos, bom vinho da casa para tomar nas mesas da rua. Ótimo atendimento na rua Aiolou, 27.

o Gyros Pou Gyrevis é um fast food econômico com pratos fartos, tem saladas com queijo fetta bom para um jantar leve. Na rua Athanas Diakou, 1, em frente a escada rolante do metrô Acrópole.

Onde dormir:
Ficar em hostel é a maneira mais rápida de fazer amigos e economizar (isto se dormir em quartos compartilhados). Prefira os femininos com banheiro no quarto ou acomodações privativas. Como reservei do aeroporto no dia da chegada, não consegui ficar os três dias na mesma hospedagem por estarem lotadas final de maio, acabei experimentando três propriedades diferentes e conto minhas impressões no texto hospedagem com vista para Acrópole.
RESERVE NO BOOKING | COMPARE VALORES

A troca da guarda acontece em frente ao Parlamento Helênico (na Praça Syntagma) todos os dias de hora em hora, junto ao túmulo do soldado desconhecido. Porém, somente no domingo às 11h da manhã ocorre o cerimonial completo e os amigos do blog Quatro Cantos do Mundo presenciaram e contam no link.

Vista noturna para Acrópole
Vista do hostel para Acrópole

Transporte Público para chegar e partir de Atenas

Como chegar do aeroporto
O aeroporto de Atenas fica cerca de 40 minutos distante e é bem fácil de pegar ônibus ou metrô com parada no centro. O ônibus X95 tem seu ponto final na praça Syntagma.

Ferry no porto de Piraeus

Como visitar as ilhas do Mar Egeu
É fácil chegar de metrô ao Porto de Piraeus, de onde partem ferrys (praticamente um navio de cruzeiro) diariamente com diferentes preços conforme o conforto. Fiz apenas o caminho inverso, peguei o ferry em Paros e fui de metrô até Atenas em poucas horas.

Veja mais fotos de Atenas

Odeão de Herodes Ático (século II d.C), teatro
Odeão de Herodes Ático (século II d.C), teatro

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais.

Roberta Martins

Roberta Martins

Publicitária, geradora de conteúdo sobre turismo, idealizadora deste site, fotógrafa e guia de turismo. Há 13 anos relata suas experiências de viagem focando em cultura e ecoturismo. Saiba mais na página da autora.

2 comentários

  1. Você ficou em Athenas por 3 dias e só conheceu isso?

    1. Cada um tem seu ritmo Luiz. Aprecio muito mais observação e fotografia do que correr pra visitar tudo

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.