fbpx
Singapura

Roteiro multicultural em Singapura


Guiada por uma brasileira moradora por anos em Singapura, conheci a metrópole em duas das suas várias versões. O cotidiano de alguns bairros de imigrantes e a surpreendente região de Marina Bay, onde se concentram os principais pontos turísticos.

O texto continua após os serviços recomendados no destino.

AGILIZE SUA VIAGEM
Precisa de seguro viagem? Pegue o cupom de desconto

Deseja ficar conectado? Leve o chip internacional com Internet desde o Brasil

Vai alugar um carro? Pegue as dicas para reservar no exterior

Quer agendar passeios e transfer agora? Use a Get Your Guide ou saiba como funciona

https://www.instagram.com/p/BN-dwxVDWP7/

Quando Juliana (do blog Juju no Mundo) perguntou o que eu gostaria de fazer em Singapura, pedi coisas que os locais fazem em sua rotina sem deixar o básico (todo turista deve ver) de fora. Então combinamos o seguinte, ela me guiaria no seu dia de folga pelas atrações que mais gosta e nos outros me deixaria sozinha para eu escolher entre os pontos turísticos mais famosos. Escolhi Marina Bay, mas poderia ter aproveitado os parques temáticos, o astral de praia em Sentosa ou um dos vários centros de compras.

Foram quatro dias intensos, mas como cheguei sábado a noite, parti terça a tarde e fiz coisas que só quem dispõem de um amigo local tem oportunidade de vivenciar, deixo abaixo o meu roteiro de dois dias para inspirar a sua viagem.

Singapura: roteiro 2 dias inteiros

DOMINGO

O café da manhã começou com uma alimentação típica no Ya Kun Kaya Toast, uma rede de cafeterias mais antiga que a própria República de Singapura, existe desde 1944. O tradicional é pedir Butter Sugar Toast (pão torrado com manteiga e açúcar) e Kopi Range (café com leite condensado). Em toda Ásia, quando pedir café com leite, será doce e cremoso porque o leite sempre será condensado. É simples, mas perfeito garantir energia no próximo passeio.

Ponte Henderson Waves
Ponte Henderson Waves

Trilha em The Southern Ridges

O resto da manhã foi queimando as calorias adquiridas no café percorrendo a The Southern Ridges. Um caminho ecológico conecta cinco parques verdes de Singapura por passarelas na altura da copa das árvores. O trecho mais moderno é na ponte Henderson Waves. E o final, no topo do Monte Faber, foi só alegria ao chegar no Jardim das Promessas de Felicidade. Onde pessoas do mundo todo expressam seus desejos e pensamentos positivos em sinos que balançam com o vento e espalham as boas vibrações.

Bairros de Imigrantes: Chinatown

Prontas para adquirir novas calorias, pegamos o metro até Chinatown para se deliciar com frutos do mar e preços populares. Talvez seja o bairro chinês mais organizado e descolado do mundo. Embora os letreiros e luminárias não neguem a origem, o lugar é um misto de crenças e culturas. Tem templos hindu e budista um ao lado do outro; tem lojas de eletrônicos e souvenir para todos os gostos; tem mercados de comida de rua e cafés, dos chiques aos mais tradicionais.

Casas coloridas em Chinatown
Casas coloridas em Chinatown

O passeio pelo bairro incluiu almoço no Chinatown Sea Food, caminhada e visita aos templos Buddha Tooth Relic e Sri Mariamman. O primeiro foi muito especial e tem um artigo detalhado no link, o segundo é o templo hindu mais antigo de Singapura, construído em 1827. É dedicado à Mariamman, Deus com o poder de cura de doenças, e exige o uso de sarong (canga para tapar as pernas) para visitar o seu interior. Ambos com entrada gratuita.

Sri Mariamman
Sri Mariamman

Bairros de Imigrantes: Little India e Kampong Glam

No meio da tarde pegamos o metro para Little India e encontramos o bairro indiano todo colorido para celebrar o Deepavali, Festival das Luzes celebrado em outubro nas comunidades hindus. Circulamos pelas principais ruas e mercados esperando a noite chegar para ver as luzes acessas. Mas estávamos receosas pela quantidade de homens e número reduzido de mulheres na rua. Eram muitos e aumentavam a cada novo quarteirão. Juju disse ir com frequência a Little India, principalmente para fazer compras, mas sempre em dia de semana e não fazia ideia da multidão aos domingos. Os locais não foram desrespeitosos em nenhum momento, nem nos olharam pra dizer a verdade. Como a fama dos indianos com mulheres não é das melhores, tiramos a última foto e direto para um bairro multicultural.

Luzes para o Festival Deepavali
Luzes para o Festival Deepavali em Little India

Kampong Glam é onde as culturas árabe, indonésia, malaia e o resto do mundo se encontram. O resultado, um dos lugares com gastronomia e moda mais criativos de Singapura. Entre as ruas Arab Street e Haji Lane, boutiques, cafés, restaurantes e lojas tradicionais dividem espaço com a mesquita Masjid Sultan e arquitetura antiga. Haji Lane é um corredor com as construções que abrigavam os imigrantes malaios e hoje vibra com bares e lojas descolados. E ainda chegamos no melhor horário para jantar e aproveitar a noite.

Masjid Sultan
Masjid Sultan na Arab Street
Todo o comércio, inclusive alimentação, fecha às segundas em Kampong Glam.

Quem vai em fevereiro pode vivenciar a festa do Ano Novo Chinês em Chinatown.

SEGUNDA

Peranakan Museum

Dia de fazer um roteiro sozinha e visitar os pontos turísticos imperdíveis de Singapura. A primeira parada foi no museu Peranakan para entender um pouco mais sobre a história desse estado-país tão jovem que tem uma bagagem milenar nas costas.

Peranakan Museum
Peranakan Museum

Peranakan é o nome dado aos filhos, e seus descendentes, de estrangeiros (viajantes comerciantes) com as mulheres locais desde o começo desta interação entre povos. Peranakan chineses sempre foram a maioria seguidos por outras etnias da Ásia, Oriente Médio e Europa. É um museu que merece a visita por mostrar detalhes da rotina dos ancestrais até um passado recente de forma interativa e criativa. Do vestuário, idioma, alimentação até a política se transforma em arte mesclando todas essas culturas.

Singapore River e Marina Bay

Ao sair do museu, segui caminhando em direção ao Rio Singapura para chegar ao ponto mais turístico: Marina Bay. No entanto, as margens do rio são tão agradáveis que desviei o meu caminho por algumas quadras e acabei entrando no itinerário Running by the River. Uma rota indicada para corrida faz todo o contorno da Marina Bay e parte do rio.

Margens do Singapore River
Margens do Singapore River

Na metade do percurso desviei para o tecnológico Gardens by The Bay e ali fiquei encantada por horas. Caminhei entre os jardins até chegar perto das árvores gigantes, subi na passarela OCBC Skyway e aprendi sobre a flora local e global lendo as placas de informação.

Voltei para Marina Bay e segui na rota Running by the River até chegar ao Merlion, o leão-peixe símbolo de Singapura. Ali Juju me esperava para o pôr do sol e aproveitarmos a vida noturna mais famosa da cidade.

SuperTrees do Gardens by the Bay
Supertrees do Gardens by the Bay

A noite turística de Singapura

Dois shows de luzes acontecem ao mesmo horário: nas Supertrees do Gardens by The Bay e o chamado Spectra, no Marina Bay Sands. O ideal é ver um por dia, como não teria outra oportunidade, escolhi o do Gardens by the Bay por parecer mais interessante e foi lindo (vídeo no link). Então bateu aquela fome! Percebeu como andei o dia inteiro e não parei para comer. Levei lanche e água na mochila e rendeu durante o dia.

Fomos jantar em Lau Pa Sat Food Hawker Centre. Hawker centers são mercados de comidas populares com bancas e mesas para comer o estilo que tiver vontade. Provei um arroz com abacaxi maravilhoso e preço excelente.

E pra terminar em grande estilo, fomos brindar no bar do famoso terraço do Hotel Marina Bay Sands. Aquele em formato de barco com a piscina mais alta do mundo.

Vista noturna do terraço do Marina Bay Sands
Vista noturna do terraço do Marina Bay Sands

Mapa de Singapura

E pra quem tem dúvidas sobre o que é onde fica, Singapura é um país pequeno dividido por bairros. Pertencia a Malásia e se tornou independente há pouco mais de 50 anos. Clique nos pontos e encontre todos os lugares mencionados no roteiro.

Tome Nota Singapura: roteiro

Todo o roteiro foi feito utilizando ônibus e metro. O transporte público cobre toda ilha, tem preço acessível, além de ser seguro, limpo e rápido. Compre o cartão válido para o dia todo ou pelo tempo que ficar na cidade. Se ficar somente em Marina Bay, tudo pode ser feito a pé.

Acesse o site Visit Singapura para saber quais os eventos e festivais acontecem durante a sua estada. Por exemplo, em setembro tem o GP de Fórmula 1 quando as ruas de Marina Bay se transformam em pista de corrida.

Singapura é úmida, quente e chuvosa o ano todo. Leve roupas leves e guarda chuva. Até dei sorte nos dias ensolarados em outubro.

Clique nos links vermelhos no meio do texto para ler relatos detalhados de cada atração.

Veja mais fotos de Singapura: roteiro

Buddha Tooth Relic Temple and Museum
Buddha Tooth Relic Temple and Museum

 

Café da manhã típico é extremamente doce
Café da manhã típico é extremamente doce

 

Chinatown no Singapura:roteiro
Chinatown

Chinatown Chinatown Chinatown Chinatown

Almoço no Chinatown SeaFood
Almoço no Chinatown SeaFood

Loja em Chinatown

Cerveja local
Cerveja local

 

Chai em restaurante indiano de Kampong Glam
Chai em restaurante indiano de Kampong Glam

 

Mercado em Little India
Mercado em Little India

 

Bares ao redor do Singapore River
Bares ao redor do Singapore River

 

Marina Bay Sands e Art Science Museum no Singapura: roteiro
Art Science Museum e o complexo Marina Bay Sands

Se achou útil, Flip it! Se gostou das imagens, Pin it!

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais.

Roberta Martins

Roberta Martins

Publicitária, geradora de conteúdo sobre turismo, idealizadora deste site, fotógrafa e guia de turismo. Há 13 anos relata suas experiências de viagem focando em cultura e ecoturismo. Saiba mais na página da autora.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.