10 dias no Quênia

Roteiro 10 dias no Quênia

Passei anos sonhando em fazer safari na África. Botsuana, Zâmbia, Zimbábue, Tanzânia e Quênia pareciam ser os mais interessantes até que veio o convite do Kenya Tourism Board (órgão oficial de turismo) para 10 dias no Quênia. Geralmente estas viagens para imprensa tem um roteiro cansativo e superficial que eu não recomendo aos leitores. No entanto, este foi perfeito a ponto de entrar na lista das melhores viagens da minha vida.

Siga @blogterritorios no InstagramSiga no Instagram      Leia todos os artigos sobre o país
Precisa de seguro?Pegue o cupom de desconto aqui
Foi tudo feito no tempo certo, sem correria, com as melhores experiências e ainda abriu um leque de opções impensadas. Claro que não deu tempo de fazer tudo o que eu gostaria em 10 dias, eu teria me arriscado mais e, provavelmente, feito o clichê. Primeiro porque quase não existe conteúdo sobre o país em português, o destaque mundial são os safaris, a grande migração dos gnus e o Kilimanjaro (montanha mais alta do continente africano que ainda vou alcançar o topo). Segundo porque nunca associei praia paradisíaca com África e nem teria pensando em reservar alguns dias só pra relaxar. Nada como viajar acompanhada de locais apaixonadas pelo seu país cuidando de cada detalhe pra me deixar encantada.
Voo de balão em Maasai Mara
Voo de balão em Maasai Mara

Veja como foi o dia-a-dia do roteiro e clique nos links em vermelho para saber mais detalhes de cada experiência.

Dia 1 – A viagem e Nairóbi

Não importa o caminho, a viagem será longa e com escalas (foram 12 horas voando). Mesmo esperando poucas horas no aeroporto de Johanesburgo (África do Sul), cheguei a Nairóbi no meio da tarde com sono. Logo, o primeiro dia é pra descansar e curtir o hotel, ainda mais se for de luxo e o próprio quarto for um spa como aconteceu no HEMINGWAY’S.

Orfanato de elefantes em Nairóbi
Orfanato de elefantes em Nairóbi

Dia 2 – Karen e Nairóbi pela janela

Dia de conhecer NAIRÓBI, quer dizer, o distrito Karen, onde estava hospedada. Lá estão a maioria das atrações turísticas como ORFANATO DE ELEFANTES, museu Karen Blixen, Giraffe Center e galpões de artesanato. Mas no centro da capital teriam muito mais lojas e galerias de arte, além da oportunidade de ver a realidade das ruas. Talvez por segurança ou falta de tempo, ficou de fora assim como o maior parque selvagem urbano do mundo – o Nairóbi National Park.

Dica: acrescente mais um dia para explorar Nairóbi e fazer o primeiro safari com prédios ao fundo. Depois de fazer os outros safaris, este deve perder a graça, assim imagino.
 
Cheeta em Lewa
Cheeta em Lewa

Dia 3 – Mount Kenya e Lewa

Momento de pegar a estrada rumo ao interior do país e começar as experiências realmente selvagens com os ANIMAIS AFRICANOS. No meio do caminho paramos para almoçar exatamente na Linha do Equador em frente ao Monte Kenya, um pouco mais baixo que o Kilimanjaro e tão famoso quanto para os locais e escaladores. Mais três horas na van e começamos a ver os primeiros animas logo na entrada do LEWA WILDLIFE CONSERVANCY, famoso pelo trabalho com rinocerontes, inclusive foi onde descobri a profissão CONTADOR DE RINOCERONTES.

Elefante solitário e enorme em Lewa
Elefante solitário e enorme em Lewa

Dia 4 – O primeiro safari em Lewa

Antes de perceber como é confortável passar a noite em um safari camp porque o sol ainda nem havia nascido, alguém bate na tenda trazendo o café e avisa que o jeep parte em menos de uma hora. O dia foi lindo e longo, teve nascer do sol, BRUNCH NA SAVANA, SAFARI A CAVALO, coquetel ao pôr do sol e família de LEÕES, além de um monte de animais o tempo todo.

Leopardo em Maasai Mara
Leopardo em Maasai Mara

Dia 5 – Mount Kenya e Maasai Mara National Reserve

Café da manhã reforçado e um último safari em Lewa enquanto nos dirigíamos para a pista de pouso. Hora de pegar o menor avião em que já viajei e, pela primeira vez, pilotado por mulheres. Sentei na primeira fila e fui curtindo a paisagem até Massai Mara. Minutos depois, Mount Kenya surge imponente e totalmente visível do lado esquerdo.

A tarde teve safari, mas não qualquer um, MAASAI MARA NATIONAL RESERVE é simplesmente o melhor lugar do mundo para o jogo e não demorou para ver o animal que faltava dos Big Five – o belo e difícil LEOPARDO. Ainda teve drinks para brindar o pôr do sol e o acampamento mais luxuoso de todos no OLARE MARA KEMPINSKI.

Tribo Maasai em Maasai Mara
Tribo Maasai em Maasai Mara

Dia 6 – Safari em balão e os Maasais

Levanta de madrugada e continua dormindo no jeep até chegar ao local de partida dos BALÕES. Assistir ao sol nascer, ver a savana e os animais do alto é o momento mais emocionante e arriscado da viagem, mas vale cada segundo. Depois tem o brunch com champanhe, encontro com um CAMALEÃO, visita a uma tribo MAASAI, mais safari, PÔR DO SOL COM GIRAFA e jantar na beira da fogueira.

Fundos do hotel na beira da praia em Diani Beach
Fundos do hotel na beira da praia em Diani Beach

Dia 7 – Diani Beach

Depois de dias intensos repletos de animais e fortes emoções, chegou o momento de descansar em um resort na beira do oceano Índico. Voltei para a pista de pouso logo cedo e entrei em um avião, um pouco maior que o da vinda, com destino final a Diane Beach e troca de aeronave em Nairóbi. De novo o dia estava limpo e, desta vez, quem se destacou no lado direito da paisagem foi o desejado Kilimanjaro. Já era final de tarde e pouco deu para aproveitar a praia, mas a piscina e o tamanho do SWAHILI BEACH HOTEL impressionam e ocupam todo o tempo até a hora de dormir.

Banco de areia no Kisite Reserve
Banco de areia no Kisite Reserve

Dia 8 – Kisite Mpunguti Marine Reserve

Literalmente um dia no PARAÍSO. De manhã cedo uma viagem à Shimoni para navegar até KISITE MPUNGUTI MARINE RESERVE. Golfinhos, BAOBÁS, banco de areia, mergulho nos corais com peixes coloridos e uma água absurdamente cristalina e morna. Ainda teve almoço de frutos do mar delicioso em uma ilha. E a volta do passeio nem lembro, porque dormi feliz e exausta.

Cheguei a ver a pérola durante o sea safari, mas a concha fechou pouco antes do click
Cheguei a ver a pérola durante o sea safari, mas a concha fechou pouco antes do click

Cheguei a ver a pérola durante o sea safari, mas a concha fechou pouco antes do click[/caption]

Dia 9 – Sea Safari em Diani Beach

No último dia de praia, madruguei para ver o sol nascer no mar e foi divino. Continuei aproveitando o hotel enquanto todos dormiam e acabei fazendo um surpreendente SEA SAFARI com moradores locais. Depois do almoço chegou o momento de partir para as últimas horas em Nairóbi.

Dia 10 – A viagem de volta

O horário do voo foi na madrugada, então a parada no hotel foi mais para tomar um banho e esperar com mais conforto do que passar a noite. Assim como na ida, a viagem é longa e foram mais horas de espera em Johanesburgo. Acho que a volta ficou mais cansativa porque não teve a noite completa de sono e o tempo da escala foi maior.

E aí, se animou a fazer a mesma viagem? Então veja o vídeo 10 DIAS 1 MINUTO.

Tome Nota

Não tiraria nada do roteiro, mas acrescentaria uns dias no Lago Amboseli para ter a vista dos animais com Kilimanjaro ao fundo e conheceria melhor Nairóbi. Se houver tempo para acrescentar Tanzânia, a viagem deve ficar ainda mais especial com a trilha no Kilimanjaro e safaris em Serengeti. É o mesmo Maasai Mara que muda de nome na fronteira.

Quando ir: o roteiro pode ser feito o ano todo porque as temperaturas permanecem as mesmas. Apenas deve se considerar que chove mais de maio a junho; que a alta temporada na praia é de dezembro a fevereiro; e que grande migração de gnus acontece de julho a outubro, quando Maasai Mara mais recebe turistas e as fotos ficam ainda mais extraordinárias. A minha viagem foi no final de fevereiro sempre com tempo bom. 

Eu na Linha do Equador com Mount Kenya entre nuvens ao fundo
Eu na Linha do Equador com Mount Kenya entre nuvens ao fundo

Esta viagem foi patrocinada pelo Kenya Tourism Board.

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais.

Roberta Martins

Roberta Martins

Publicitária, geradora de conteúdo sobre turismo, idealizadora deste site, fotógrafa e guia de turismo. Há 12 anos relata suas experiências de viagem focando em cultura e ecoturismo. Saiba mais na página da autora.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.