Raja Ampat Dive Lodge

Durma no paraíso! Raja Ampat Dive Lodge em West Papua

Se Raja Ampat entrou para minha lista de melhores destinos praia no mundo, Raja Ampat Dive Lodge é um dos responsáveis por isso. Imagina uma ilha paradisíaca com palmeiras, praia privativa em frente a cabana e um aquário natural concentrando boa parte da diversidade marinha do planeta logo ali onde os corais começam… Sim, este lugar existe e eu passei três dias sonhando acordada em Mansuar Island.

Raja Ampat Dive Lodge

O sonho começa ao descer do barco e ver as bandeirinhas coloridas dando as boas vindas aos viajantes. A água cor de esmeralda e toda aquela natureza no final do píer foram alívio para eliminar qualquer cansaço após a longa viagem desde Yogyakarta (cerca de 30 horas).

 

Entrada do paraíso
Entrada do paraíso

Os funcionários nos esperavam com drinks e bolinhos e a primeira reação foi jogar tudo no chão, tirar os chinelos e molhar os pés naquela água morna e cristalina. A nossa viagem vinha em ritmo corrido ficando um ou dois dias em cada hotel com agenda sempre lotada, ali seria pra desacelerar e relaxar. Tínhamos compromissos, porém, tempo de sobra pra dormir na rede, jogar conversa fora na beira da praia, imergir no colorido fundo do mar ou praticar qualquer das atividades sugeridas pelo lodge.

Raja Ampat Dive Lodge é praticamente a única construção na Mansuar
Raja Ampat Dive Lodge é praticamente a única construção na ilha Mansuar

O que fazer em Mansuar Island

PROCURAR O NEMO DE DIA E TUBARÃO QUE CAMINHA DE NOITE
Nem precisa mergulhar para enxergar a diversidade marinha da ilha, os corais e peixes coloridos moram ali ao redor do trapiche. Por cima da água cristalina acompanhei uma família de peixes palhaço (o Nemo), uma cobra e coloridas estrelas do mar, além de outras belezas naturais.

O tubarão Wobbegong é endêmico de Raja Ampat e conhecido pelo nome walking shark por caminhar com suas nadadeiras na areia. Como os pequenos tubarões tem hábitos noturnos, fomos procura-los após o jantar. Eles estavam no raso perto do píer e eram vistos de fora dágua com a luz da lanterna

Aquário natural na volta do trapiche
Aquário natural na volta do trapiche

SNORKEL NA MARÉ ALTA
Mesmo enxergando a variedade de animais de fora d’água, a experiência com snorkel é insubstituível. Mas só é possível na maré alta porque os corais estão muito próximos da praia e a parte mais funda tem o perigo das fortes correntes marítimas. Quando começa a subir, é hora de se jogar do final do trapiche. Então um outro mundo se exibe em milhões de cores, formas e movimentos.

Caiaque ao pôr do sol por Mylène Cybele
Caiaque ao pôr do sol. Por Mylène Cybele

DAR A VOLTA NA ILHA DE CAIAQUE
Algumas praias desertas estão prontas para serem exploradas ao redor da ilha. Uma em especial instigou minha curiosidade desde o primeiro dia, quando vi do píer. A oportunidade surgiu ao pegar o caiaque individual, mirei no branco da areia e fui direto. A cena espetacular é esta na abertura do artigo e o caminho até lá foi encantador. A vegetação marinha e enormes estrelas do mar amarela me chamavam para colocar a cara dentro d’água e estar com a máscara de mergulho foi o máximo, apenas faltou a câmera para mostrar o que eu vi. Infelizmente ela pifou um dia antes.

APRECIAR O PÔR DO SOL

Barquinho dos locais passou na hora certa
Barquinho dos locais passou na hora certa

Cada dia o pôr do sol foi visto por um ângulo diferente. Pode ser onde chegamos de barco e, com sorte, alguma canoa dos moradores vai passar na hora e posição certas. Pode levar a câmera pra dentro d’água porque nenhuma onda vai respingar ou, quem sabe, se libertar de querer registrar tudo. Um dia peguei o caiaque pra ir mais longe e curtir o momento em silêncio sem nenhum equipamento. Uma tartaruga veio respirar ao meu lado, vi a movimentação dos amigos ficar pequena no meio da ilha e fiquei totalmente em paz.

Fotógrafos à postos para registar o pôr do sol por Steffens Schimidts
Fotógrafos à postos para registar o pôr do sol. Por Steffens Schimidts

FESTA COM OS AMIGOS
Como o nosso grupo ocupou todas as cabanas do Raja Ampat Dive Lodge, o fazer barulho estava liberado e a festa rolou solta. Tínhamos música alta, bebidas e deck avançando no mar para dançar, claro que todos acabaram caindo na água e o banho noturno foi ainda mais divertido.

Conheça o trabalho de alguns dos amigos que viajaram comigo e tiraram lindas fotos como a destaque por Lina Stock, do Divergent Traveler. No instagram acompanhe os perfis da Mylène Cybele, Rahung Nasution e Steffens Schimidts.

 

A minha cabana
A minha cabana ao lado do restaurante

Cabanas do Raja Ampat Dive Lodge

Meu quarto duplo
Meu quarto duplo

São doze cabanas de madeira com varanda, sendo duas para família. Os quartos são duplo e casal com opção para cama extra. As acomodações são simples, rústicas e confortáveis, mas isto não importa porque serão usadas somente para dormir e tomar banho. Tem frigobar, garrafas com água potável como cortesia, mosquiteiro, ar condicionado e banheiro espaçoso com água quente.

 

A praia particular em frente às cabanas
A praia particular em frente às cabanas

A estrutura do Raja Ampat Dive Lodge

Desde o trapiche até a entrada de todas as cabanas existe iluminação e decks de madeira margeando o mar e manguezal. Contudo, estamos no meio da natureza junto com insetos e animais como cobras, mosquitos e aranhas. Cuide onde pisa, use repelente e não deixa a porta aberta.

Rede com vistaBalanço com vista

Passarelas de madeira entre as cabanas até o trapiche
Passarelas de madeira entre as cabanas até o trapiche

 

 

 

 

 

RESTAURANTE

Pratos internacionais com toque local
Pratos internacionais com toque local (foto divulgação)

Todos os pacotes incluem três refeições e um lanche na diária. São servidos no restaurante em formato buffet com cardápio internacional e toque local. O café da manhã é como qualquer hotel na Indonésia, servem macarrão, arroz temperado e pimentas, além do básico continental com frutas locais e suco natural. Os almoços e jantares foram sempre diferentes com saborosos pratos de frutos do mar, em especial. Sempre haviam carnes, doces sem graça (eu sou exigente quanto aos doces) e opções para vegetarianos. O último dia foi com churrasco ao ar livre. Os peixes na brasa e caranguejo estavam maravilhosos.

Frutas da estação
Frutas da estação (foto divulgação)

Os lanches são feitos para agradar a maioria dos hóspedes, no nosso caso pizza e batata frita! Éramos os únicos hóspedes. A mesa com água, chás, café, leite e cereais fica disponível o tempo todo.

DIVE CENTER
Como o nome indica, Raja Ampat Dive Lodge tem um centro de mergulho com instrutores, barcos e o equipamento necessário para a prática de snorkel ou com cilindro. São mais de 30 locais de mergulho próximos ao hotel e vários estão inclusos nos pacotes.

Barcos partem do trapiche ou entrada do lodge
Barcos partem do trapiche ou entrada do lodge

Passeios de barco em Raja Ampat

O resort oferece passeios de dia inteiro ou meio dia para as outras ilhas do arquipélago. Entre eles o melhor ponto para snorkel em Arborek, a vista incrível de Pianemo e trilha para procurar o pássaro do paraíso. Todos com água, café, lanches e toalhas à disposição. Clique nos links em vermelho para saber como foram os passeios.

Tome Nota

RAJA AMPAT DIVE LODGE fica na ilha Mansuar, cerca de 15 minutos de lancha do porto de Waigeo, capital de Raja Ampat. Para consultar opções de transfer ou pacotes de passeios e mergulhos disponíveis, entre em contato com eles pelo site. Contudo, peço para reservar pelo link do Booking abaixo. Desta forma você colabora com a manutenção do Territórios para eu continuar trazendo todas as informações de forma gratuita aos leitores.

RESERVE NO BOOKING |  ENCONTRE O MELHOR  PREÇO EM SITES DE RESERVA AQUI

Como chegar: é preciso alugar um barco privado ou contratar o pacote de hospedagem com transporte completo até Mansuar Island. A localização no Google Earth é S 00°34.588 E 130°36.795. Eu fui de avião até Sorong, de lá peguei um ferry até Waigeo e então a lancha do lodge estava me esperando. O último trecho é cortesia para todos os hóspedes, apenas deve ser agendado.

Para os conectados de plantão, tem free Wifi no restaurante, mas é fraco. O melhor sinal de Internet foi pelos pacote de dados do celular e só funcionou na ponta do trapiche. Lá deu até pra publicar vídeos.

Hotel barco: uma outra opção de hospedagem do mesmo grupo são os hotéis veleiro com roteiros entre Raja Ampat e Ilhas Komodo para até 14 pessoas. Um dia o barco atracou no píer trazendo um grupo para jantar e fui curiosa perguntar como funcionava. Com certeza a experiência entrou para minha lista de desejos pra quando eu voltar na Indonésia. A Marcela do Segredos de Viagem conheceu Komodo e conta neste texto.

Acesse o site da WONDERFUL INDONESIA para mais informações sobre Raja Ampat.

Se achou útil, Flip it! Se gostou das imagens, Pin it!

Waigo Island

Veja mais fotos da ilha Waigo:

Felicidade e roupa combinando com a paisagem por Rahung Nasution

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

©Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais. O destino e o passeio fez parte da Trip of Wonders, roteiro organizado pelo Ministério do Turismo da Indonésia para influenciadores digitais promoverem o destino em seus países e Territórios foi um dos convidados.

9
9
Roberta Martins

Roberta Martins

Publicitária, geradora de conteúdo sobre turismo, idealizadora deste site e fotógrafa. Há 11 anos relata suas experiências de viagem focando em cultura e ecoturismo.

2 comentários

  1. Olá ! Sou Bethe Rocha de Cuiabá-MT – Brasil, minha filha Samanta hoje esta começando à ser guia de turismo em trilhas à pé aqui na região. Ela está com 25 anos e precisará de muitas dicas para sonhar mais alto e acreditar nesta carreira em proporções globais no futuro. Oque você diria à ela! Vi o seu trabalho e de outros e achei fantástico tudo isto e desejo para ela também, mas gostaria de saber com toda sinceridade se para conquistar tudo isto ela precisará de quanto? Só para começar.

    1. Olá Bethe, não é questão de valores é de saber aproveitar as oportunidades e estar antenada (conectada) no mundo. Não sou guia de turismo, sou publicitária que transformou o hobby em profissão trazendo a comunicação para o turismo. Comecei há 10 anos e tive muito trabalho, continuo tendo na verdade, porque faço tudo sozinha. E não tenho $$$, governos e empresas me chamam pra viajar e pagam pelo meu trabalho de divulgação porque encontraram meus textos na Internet. Quando eu trabalhava como publicitária eu ganhava mais dinheiro, mas não era feliz como sou agora viajando o mundo.
      Ela deve pesquisar muito, ficar atenta as oportunidades e buscar algum diferencial pra se destacar no mercado. Este é o começo

Deixe uma resposta