Praga

Praga: todos os seus mitos e muitas surpresas


Confesso: fui parar em Praga por conta da insistência da minha mãe. Ela veio me visitar, em abril deste ano, e, desde que colocou os pés aqui em Paris, tinha uma obsessão: ir à República Tcheca.

Estávamos tendo nossos primeiros dias de calor na capital francesa depois de um longo inverno e minha vontade de ir para o Leste Europeu, onde a primavera não é sinônimo de aumento de temperatura, era, assim… zero. Mas quando a mamma pede, ela manda, então, lá fomos nós dos vinte e tantos graus para os dois graus negativos de uma das mais célebres capitais da Europa Oriental.

Arquitetura eslava
Arquitetura eslava

−    Faz sempre esse frio horroroso durante a primavera? – perguntei para um garçom no restaurante
−    Na verdade não está frio. As temperaturas não sobem porque essa época do ano é muito chuvosa.

Read in English

O moço não considerou que dois graus negativos não era frio suficiente, vejam só. Mas apesar da valiosa informação sobre a corriqueira chuva de primavera, que atrapalhou nossos dois primeiros dias em Praga, uma enorme quantidade turistas se acumulava em imensos grupos por onde quer que passássemos. E foi essa a principal impressão que eu tive de Praga: um lugar extrema e exageradamente turístico.

Marionetes
Marionetes

Praga

Ruas de Praga
Ruas de Praga

Sim, a arquitetura eslava é linda, os traços do comunismo ainda estão presentes, tudo difere da Europa Ocidental, a comida é horrível e a gente bebe muita cerveja por poucas coroas tchecas: todos os mitos sobre Praga podem ser confirmados. Mas imaginei que fosse conhecer um lugar muito mais típico e mais tradicional. Fiquei um pouco decepcionada com a banalização da cultura tcheca, com vendedores te obrigando a comprar entradas para concertos de música clássica ou para os teatros de marionetes, essas malditas lojas de souvenirs em todos os cantos vendendo todo o tipo de porcaria e… até para entrar na Catedral de St Vitus é preciso pagar a entrada. Oi?

Rudolfinum abriga verdadeiros concertos de música clássica
Rudolfinum abriga verdadeiros concertos de música clássica

Não concordo nem com a exploração exacerbada do turista e nem com essa falsa ideia de que só o que é comprado é o legítimo. Não é porque você adquiriu uma linda camiseta I Love Praga estampada com a cara do Kafka que você viveu sua viagem. Mas vá avisar isso para a minha mãe, que gastou os tubos com as “tradicionais” matrioshkas tchecas.

Minha mãe e as matrioshkas: um caso de amor
Minha mãe e as matrioshkas: um caso de amor
Museu
Museu

 

Meu conselho é: se surgiu vontade e oportunidade, vá, sim, a Praga. A cidade é linda e muito particular, valeu demais a pena ceder à insistência da minha companheira de viagens. Mas atente para as épocas menos turísticas, tente não entrar no jogo da exploração dos visitantes e não faça só o que o guia de viagens manda. Nossas melhores descobertas aconteceram quando nos perdemos pelas ruas da capital tcheca.

 

Tome Nota Praga

Comer e beber: Tentamos do restaurante típico ao básico, do pretensioso ao bastantão,  mas não tivemos uma boa experiência com a comida tcheca. A cerveja barata ajudou muito as nossas aventuras gastronômicas em Praga, mas naquele espírito europeu de cerveja amarga e quente: tem que ter vontade. O que salvou nossas refeições foi o típico salsichão assado com mostarda, num boteco de esquina. E, claro, os doces: esses não deixaram a desejar.
Strudel
Strudel
Cerveja
Cerveja

 

Pegue as dicas e melhores passeios na cidade

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais.

Daniella Franco

Daniella Franco

Jornalista, mestre em Ciências da Informação e Comunicação e mochileira. Há onze anos veio estudar e morar na França e desde então seus horizontes tem aumentado cada vez mais. Viajante um tanto atrapalhada, costuma chegar aos destinos sem qualquer roteiro, esquece em casa os endereços dos hotéis onde deve se hospedar, deixa os joelhos nas trilhas, desce as montanhas rolando, leva os piores torrões nas praias e pegou pneumonia fazendo ski. Mas o importante é que sempre volta das viagens com boas historias pra contar. De hotel de luxo a camping, do sofá-cama dos amigos aos albergues da juventude, Daniella descobriu que viajar também é uma arte.

10 comentários

  1. Poxa, Fernanda, que experiência ruim tu passaste! Eu não lembro de ter recebido por um atendimento grosseiro como esse em Praga; achei, sim, que as pessoas eram frias, em geral. Mas como em Paris, onde eu moro, esse tipo de situação é frequente (em muitos restaurantes, os garçons acham que estão te fazendo um grande favor em te atender), eu já estou bem treinada… hehe! Reclamo, sim, quando acho necessário e não volto em lugar onde não sou bem tratada. Ninguém é obrigado a ser o rei da simpatia, mas educação é fundamental.

  2. Por que não li o seu post antes??? Por quê? Rs estou em Praga e na primavera. Um tmporal e frio. Acabei de ir a Londres, Paris, Berlim e Budapeste. A última parada e tão esperada era Praga. Decepção!
    Invadida pelos turistas, realmente como Paris. Mas Paris eu já estava preparada para as longas filas, mas Praga? Além disso saí super chateada de duas docerias que fomos subindo para a rua do Castelo. Tinha acabado de almoçar e vimos uma creperia. Resolvemos parar e dividir um crepe porque queríamos conhecer, mas já estávamos satisfeitos. Quando falamos pra garçonete que íamos dividir ela nos disse que não estava interessada nesta informação e pra seguirmos com o que iamos pedir pra ela não perder o seu tempo. Achamos muita grosseria e pedimos pra cancelar o pedido. Quando saímos a mulher ficou nos dizendo coisas altas de forma agressiva. Resolvemos tentar ir na doceria ao lado. Estava mais vazia e achamos que seria melhor o atendimento. PPedimos uma torta e algumas bebidas. Quando a torta veio solicitamos mais um garfo. A garçonete nos disse que não poderia. Estávamos ao lado do balcão e o meu marido perguntou a um senhor discretamente se poderia nos fornecer mais um garfo e o senhor disse que não. A torta era muito barata para dois garfos e se era uma torta seria só um garfo. Resolvemos sair já que não havíamos consumido nada, mas fiquei tão decepcionada com o atendimento da cidade aos turistas que resolvemos voltar para o hotel descansar da nossa longa viagem. Felizmente neste fomos muito bem atendidos. Praga = decepção.

  3. Oi, Roberta,
    Experiências de viagens são muito pessoais e dependem de inúmeros fatores que não vale a pena citar aqui. Em 2011 escrevi um comentário imenso sobre este mesmo assunto para responder um outro morador brasileiro em Praga (que você pode ler aqui nessa lista).
    A minha passagem por Praga foi (resumidamente) como contei neste e no outro post sobre a cidade. Gostei de MUITA coisa, a cidade é linda e vale a pena visitar, que é, aliás, a conclusão do meu post.
    E é verdade que não curti a comida e a cerveja que experimentei e fiquei decepcionada com o turismo exagerado, como eu fico decepcionada a cada dia que eu venho para o trabalho e tenho que “enfrentar” o mar de turistas na Champs Elysées aqui em Paris, onde eu moro. Mas isso é minha (mera) opinião. Não sou especialista em cultura eslava, muito menos cerveja e culinária, seja do Brasil, de Praga ou de qualquer lugar do universo.
    E também não quer dizer que porque eu não gostei do que eu provei que não existam bons restaurantes e boas cervejas em Praga.
    Você tem todo o direito de discordar e eu respeito o seu manifesto. Especialmente porque você vive na cidade e a conhece muito melhor que um turista que passa apenas alguns dias aí.
    Por isso peço que não leve minha opinião tão a sério e nem se ofenda com o que é apenas o post de viagens e um blog de viagens. O que escrevi aqui é apenas um relato PESSOAL, não é um tratado sobre o país.
    Para esclarecer, estive em Praga durante a primavera, fazia 2°C, com sensação térmica de -2°C. Já quando eu escrevo “tradicionais” matrioshkas tchecas é uma ironia, por isso utilizei aspas (“). Afinal, todo mundo sabe que as bonecas russas são… russas. 🙂

  4. Fiquei boba com tanta coisa negativa sobre Praga. Desculpe-me, opinião à parte. A cerveja daqui é uma maravilha, amarga e quente? Não concordo. Moro aqui e nunca provei no Brasil uma cerveja que chegue perto, não precisa ser tão gelada é verdade, mas nunca bebi uma cerveja quente aqui. Sobre as comidas, realmente não sei o que aconteceu com você, há restaurantes ótimos, na rota ou não de turismo. O que eu não acho legal é o tratamento dos graçons, geralmente não muito simpáticos. E sobre a temperatura, sim inverno aqui chega até 12 graus negativos, mas o verão chega 32 graus positivos! Um pouco mais de informação: as bonequinhas citadas acima são russas!Se quisesse uma boa lembrança compraria um cristal da bohemia , por exemplo…

  5. Muito legal sua opnião sobre Praga. Também acho que tudo depende muito do gosto e da sorte de cada um. Eu, por exemplo, visitei Paris no ano passado e muitos me falaram da antipatia e grosseria dos franceses… Porém eu fui muito bem tratado em todos os lugares da cidade e todos falaram inglês comigo de mto boa vontade… Em compensação na Itália, onde esperei uma recepção mais amigável, encontrei muitos italianos irritados e que não me trataram mto bem.

    Este ano vou para o meu segundo mochilão e vou passar por Praga. Tenho muita vontade de conhecer esta cidade.. Vou chegar em Praga no comecinho de maio.. Não estava imaginando temperaturas tão baixas como você comentou que encontrou em Abril… Vou me preparar então..

    Abrs

  6. Não concordo com a critica tão forte à comida. Eu comi muito bem em praga, claro, considerando as características da comida local (não me recordo os nomes dos restaurantes, mas um deles é uma cervejaria das mais antigas de Praga, na zona central, muito fácil de achar). A comida típica não é muito sofisticada, mas achei boa. Os restaurante fecham muito cedo, mas há alguns que ficam abertos até umas 2 da manhã (ou mais) senvido refeições, com um cardápio relativamente variado de comida típica. Basta perguntar em qualquer restaurante/cervejaria que darão a informação (ou até se oferecem para levar lá).
    Além disso, comi muito bem em restaurante de comida afegã, chamado Kabul. O lugar também era bem interessante e o serviço ótimo! O preço foi bastante razoável!
    Também almocei algumas vezes em um restaurante de comida indiana, bastante simples, mas muito bom, com um preço ainda melhor (não lembro o nome)!
    Enfim, acredito que, sem gastar muito, procurando um pouco, come-se bastante bem em Praga.

  7. Olá Daniella

    Bom, eu também geralmente não fico planejando ponto por ponto de uma viagem, acho isso exagerado, mas em Praga se voce quer comer bem e barato, a primeira coisa que deve fazer é sair da rota turistica, se quiser comer lá, é bem melhor os grandes restaurantes (voce citou pizzaria, o Coliseu é uma otima escolha por la), porém repito, a primeira coisa a se fazer é sair da rota turistica, pois é bem mais barato.

    E quanto a cerveja, isso voce nao precisa de um termometro pra ver, pois vem discriminado no proprio menu, sempre vem o nome da cerveja e ao lado a temperatura (pois isso faz a diferença, pode parecer que não, mas tem).

    Praga é muito mais do que falam, e mesmo na Republica Tcheca, tem muito a se descobrir, voces chegaram a ver o Kremlin?

    Se quiser me contactar, fique a vontade 🙂

  8. Oi, Vania! Obrigada pelo comentario! Vale muito a pena. Quando você tiver oportunidade de ir à capital techeca, nao pense duas vezes!

    Rafael, cada experiência de viagem é unica; você que é estrangeiro na Europa e deve viajar bastante por aqui sabe bem disso. Além disso, toda e qualquer viagem tem seus aspectos bons e ruins. E ha uma grande diferença entre as experiências dos turistas e dos moradores. Eu moro em Paris e nao passo todo os dias na frente da Torre Eiffel, por exemplo. Alias, so vou la quando amigos e parentes vêm me visitar.
    Foi minha primeira vez em Praga, e eu achei linda a cidade. Infelizmente, eu nao conheço nem a lingua, bem pouco da cultura e ninguém que more la atualmente. Me informei em sites de viagem de lingua inglesa, francesa, portuguesa e com amigos tchecos que moram na França, mas nao morri pesquisando, nao. Como expliquei no post, NA MINHA OPINIAO, o mais legal de viajar sao as surpresas do inesperado e nao os roteiros. Tem gente que ama planejar sua viagem passo-a-passo e eu respeito isso. Mas, por preguiça e por experiencia propria, eu sei que, PARA MIM, nao vale a pena. Meus roteiros acabam esquecidos no fundo da mochila e eu acabo fazendo o que me da vontade na hora.
    Talvez, como você disse, nao fui aos bons lugares. E eu nao tinha um termômetro pra medir a “temperatura EXATA” das cervejas que eu bebi, mas elas estavam quentes, quente como se bebe cerveja na Europa. Moro aqui ha quatro anos e meio e conheço bem essa rotina das bebidas na temperatura ambiente, embora eu nao carregue um termômetro a tiracolo comigo (carrego sempre um abridor de garrafa de vinho, por sinal… hehe!).
    E, repito, todo o tipo de comida que eu provei, seja em restaurante tipico, pretensioso ou em boteco, foi FAIL. Minha mae estava tao traumatizada com a comida tcheca no final da viagem que fomos a um restaurante italiano comer pizza e, coincidência (ou nao), eram horriveis; nao conseguimos terminar nossos pratos. Quando eu voltei, lembro que comentei sobre isso com uma amiga cuja irma é casada com um tcheco e mora em Praga, e rimos muito disso, porque ela e a irma tinham a mesma opiniao que eu sobre a culinaria tcheca. Mas, como eu ja falei, cada um com seus gostos. Talvez meu parâmetro seja muito alto porque a culinaria francesa e brasileira (as duas que eu conheço melhor) sao otimas e deixam muitos paises no chinelo.
    Eu nao vou colocar tuas preferencias em questao, assim como nao coloco as minhas. Eu faço o que eu gosto, o que eu acho que vale a pena e escrevo aqui sobre isso, tenha sido uma experiência positiva ou nao. Quem quiser, tem toda a liberdade de discordar.
    Mas, da proxima vez que eu voltar em Praga (e pretendo, sim fazer isso, mas fora do circuito desesperadamente turistico) quem sabe eu te contato antes e tu me apresentas, como morador e admirador dessa cidade que é linda, o que tu achas de mais legal ai.

  9. Comida ruim em Praga?? ta louca, eu moro aqui ja faz 2 anos e nunca comi uma comida ruim como voce diz, no minimo tentou comer Klobasa dentre outras porcarias, deveria ter se informado melhor antes de tentar qualquer tranqueira, e aqueles cachorros quentes que vendem em frente as lojas de souvenirs são comida porcaria, ta cheio de restaurante principalmente na praça da torre do relogio, tem até restaurante brasileiro la, portanto, reforço, não soube procurar.

    E outra, cerveja quente? aonde? se ela vem resfriada a temperatura EXATA de 10 ou 11 graus (basta voce dizer a temperatura que quer dentre essas), e SIM isso É GELADO, mas não é estupidamente gelado (tipo 1°C) como gostam no Brasil, da pra sentir o gosto da cerveja e saborear ela, sobre ser amarga, dai é a cerveja que voce pediu, outra coisa que deveria ter se informado também, a cerveja Pilsen a qual conheçemos hoje se originou na Republica Tcheca, outra coisa que também pelo que parece, voce não se informou.

    Isso não é uma tentativa de trollagem nem nada, é apenas constatação, pois a cidade é muito bonita sim, e cada vez mais recebe atenção de cias de turismo.

  10. Nossa, morro de vontade de conhecer Praga!Ainda mais lendo seu belo post!Muito legal,adorei!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.