fbpx
marrakech

Perpétua sedução


Marrakech foi além da sedução à primeira vista. Começou na formulação do roteiro, aumentou ao tocar o seu solo e estará sempre recorrente na memória. Deixo o roteiro feito por lá e a dica de permitir se deixar seduzir por ela.

O texto continua após os serviços recomendados no destino.

Leia todos os artigos sobre o Marrocos

AGILIZE SUA VIAGEM
Precisa de seguro viagem? Pegue o cupom de desconto

Leve o chip de dados desde o Brasil para chegar conectado

Quer agendar passeios e transfer agora? Use a Get Your Guide ou saiba como funciona

O que fazer em Marrakech

Nenhuma viagem a Marrakech estará completa sem uma exploração dos souqs. Movimentados, labirínticos, sombrios, são os lugares mais fascinantes da cidade depois da Praça Djemaa el Fna.

Praça Djemaa el Fna pela manhã
Praça Djemaa el Fna pela manhã
Praça Djemaa el Fna no final da tarde
Praça Djemaa el Fna no final da tarde

Falando um pouco sobre a praça DJEMAA EL FNA saibam todos que ela funciona de dia e de noite. De dia são milhares de barracas de especiaria e, em especial, as de suco de laranja e a noite se transforma em um grande mercado de comida e espetáculos ao ar livre de músicos, videntes, encantadores de serpentes. É um programa muito além de uma simples experiência gastronômica, mas inigualável vivência social, cultural, turística, psicológica, sensorial e  emocional.

Outros lugares que também fomos conhecer: a ALI BEN YOUSSELF MADRASA e o MUSEO DE MARRAKECH ambos localizados dentro da Medina. Também vale a pena: LA MEDERSA (preço para entrar 30 DH) e LÊS PALAIS (10 DH).

Vale a pena incluir no roteiro a MESQUITA KOUTOUBIA. Tem um mirante de 77 metros, é uma beleza arquitetônica e pode ser vista da praça Djeema El Fna.

Uma opção interessante e se você tiver mais tempo é andar de CALÉCHE (carruagem) pela Muralha da Medina e seus Portões. A muralha da Medina tem 12 quilômetros de extensão, 2 metros de espessura, 9 de altura, 19 portões monumentais e várias torres de observação formam este círculo protetor ao redor da Medina. O passeio demora cerca de 2 horas.

Ali Ben Yousself Madrasa
Ali Ben Yousself Madrasa

Na praça pela manhã
Na praça pela manhã

Também incluímos no nosso roteiro conhecer a parte nova chamada de VILLE NOUVELLE. Onde pegamos o ônibus turístico (Marrakech Tour) que tem duração de 1h30min que inclui no seu roteiro, aproximadamente, 25 atrações, entre elas o Jardim de La Menara, a Avenida Mohamed VI e o Palácio dos Congrès.

A culinária marroquina

Depois de circulamos por boa parte dos souqs fizemos uma parada para almoço e é claro na Medina. A culinária marroquina sem duvida não deixa a desejar pode-se comer desde um espetinho a um sanduíche de carnes grelhadas, de uma tigela de sopa harira por cerca de cerca de DH 10 a uma refeição completa de três pratos: salada, pão, entrada, prato principal e chá, por DH 100.  E diante da diversidade saiba que você vai encontrar até cabeça de cordeiro, dizem que é delicioso, mas não tive coragem.

A noite em Marrakech: na Medina limita-se aos arredores da Praça Djeema El Fna, além das atrações culinárias da própria praça, tem vários restaurantes ao redor. É proibida a venda de bebida alcoólica no interior da Medina. Já fora, mas especificamente no bairro Guéliz é possível encontrar todo o tipo de bebida e festa, principalmente, voltadas ao turismo.

Tome Nota Marrakech

Não deixe de experimentar o suco de laranja – em qualquer banquinha o copo de suco custa DH 3.

Indico CAFÉ DE FRANCE ou CAFÉ ÁRABE para um chá na praça Djeema el Fna. E o MARRAKECH BAR na região de Guéliz.

Almoço num restaurante típico – TOUKBAL – localizado na Praça Djemaa El Fna. E o que escolher? A dica foi de um francês, gentil e acostumado com o lugar. Ele sugeriu que escolhêssemos o tajine (é um prato cozido numa panela especial cônica e de cerâmica). Assim pedimos uma sopa de entrada e depois fizemos a escolha de um tajine e de um couscous de legumes, outro prato típico da culinária marroquina – magnífica as escolhas! Todos muito bem servidos e a um preço bem modesto.

Lorea com um típico prato marroquinho
Lorea com um típico prato marroquinho
Um bom tajine
Um bom tajine

Veja outros posts e leia tudo o que precisa saber para planejar essa viagem em Destino Marrakech.

Conheça outros destinos no Marrocos:

Chefchaouen, FezVolubilis, Acampamento no Sahara.

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais.

Ane Damasceno

Ane Damasceno

Anelise Damasceno, advogada, fascinada por viagens e apreciadora de novas culturas.

15 comentários

  1. O TEXTO abaixo foi escrito por mim no blog Fatos & Fotos de Viagens, DOIS ANOS ANTES, e usado aqui como se fosse de sua autoria. Lamentável copiá-lo e não mencionar a verdadeira autoria:
    “Ela é sempre sedutora e sensual. Envolve, tem feitiço. Mesmo não sendo possível definí-la assim em tão poucos adjetivos, seus sedutores efeitos são imediatos, definitvos, incontestáveis: primeiro atrai, depois seduz, por fim cativa e nos faz querer voltar aos seus domínios. Parece haver uma atmosfera encantada pairando sobre ela, eternamente a nos seduzir. Primeiro estranha-se dela, depois entranha-se (1). E Marrakech encarna em si mesma todas aquelas idéias e estereótipos da cultura muçulmana e das tradições do Marrocos. E o faz como nenhuma outra tão completamente, ainda que imperiais também sejam Fez e Meknes. “

    1. Oi Arnaldo, sou a dona do blog, mas não escrevi este texto. É de um viajante que assinou um termo se comprometendo com fotos e textos originais. Procurei no seu site e no Google e não achei esse seu texto publicado. Você teria provas que foi publicado anos antes?

      Se for plágio, certamente este texto será reformulado, pois, não não admito e brigo contra plágio há anos.

      1. Oi, Roberta, o texto foi publicado no meu blog, o Fatos & Fotos de Viagens, em novembro de 2009. O Blog foi encerrado em 2018, (https://interata.squarespace.com/), depois de 12 anos ativo, tendo sido um dos pioneiros da blogosfera de viagem (desde Março de 2006) e um novo o substituiu, o https://fatosefotosdeviagens.com/, com o mesmo nome, em nova plataforma (WordPress), com novos relatos de viagens a partir de 2018.
        Como o retirei do ar, tenho apenas os registros do texto em WORD. Consultando a blogosfera de viagens para me preparar para uma nova viagem ao Marrocos, surpreendi-me com a copia integral desta parte mencionada, introdutória. Sugiro que ponha em contato o autor do texto comigo.
        Muito grato

        1. Oi Arnaldo, entendi. Bem, falei com Ane e ela não lembra de ter copiado. Como esta muito ocupada e nem escreve mais textos em blogs, disse que posso mudar para não causar desentendimentos. Conforme seu comentário, seria somente no primeiro parágrafo, certo?

          1. Obrigado, Roberta, pela seriedade e senso de responsabilidade com que dirige seu blog.
            E se a autora do texto concede a vc a liberdade de alterar o texto onde desejar, “para não causar desentendimentos”, eu, daqui, entendo que é uma maneira de alguém que escreveu um texto e “não se lembrar de ter copiado” , confessar o plágio.
            De todo modo, o que mais importa, para mim, que não tive textos copiados parcial ou inteiramente em outros blogs, é reconhecer que aqui as coisas são levadas a sério, muito embora fuja da capacidade do autor deste blog verificar a autenticidade dos textos de terceiros, publicados aqui, ainda que tome as providências cabíveis, como “assinar um termo….” e apagar aquilo que foi plageado.
            Embora haja outras menções durante o texto, pontuais, peço que apague o que escrevi no primeiro comentário, abaixo, segundo sua avaliação.
            Muito grato

          2. Alterei Arnaldo e me desculpe o inconveniente. Embora não tenha como verificar como falou, prefiro confiar nas pessoas (resolver dialogando) e sei como é desagradável ver o nosso trabalho usado sem cuidado ou menção.

          3. Eu que agradeço sua pronta atuação e resposta. Não há outra maneira de viabilizar um blog como este, em que colaboradores externos atuam como co-autores, sem confiança. Continuarei a frequentá-lo, não apenas para guiar-me por destinos que aqui estão relatados, como para inspirar-me em outros blogs e autores para novas escritas.

            Felicidades e sucesso a você e a todos, leitores e colaboradores.

            Arnaldo

  2. Olá Ana Catarina

    Eu também não tive a melhor das impressões em Marrakesh, mas gostaria de voltar e conhecer melhor o país. A única certeza depois dessa viagem é que jamais vou para países islâmicos sem a companhia de um homem fingindo ser meu marido. Fui tratada com falta de respeito algumas vezes, principalmente no Alto Atlas.

  3. Olá Ana

    Pois é Marrakech me surpreendeu talvez por uma identificação familiar. E acho que o fato de cada um dar uma opinião sobre determinado lugar é o que faz termos curiosidade de conhecê-lo. Abraços

  4. Gostaria muito de ter sentido tudo isso por Marrakesh, mas definitivamente não é um lugar que eu pretenda voltar alguma vez na vida. Tinha muitas espectativas antes de chegar lá, mas foram quase todas por água abaixo. É de fato um lugar curioso, diferente, com um artesanato lindo, mas não posso dizer que tenha achado um lugar bonito. A região do Atlas, eu gostei bastante, mas a cidade em si, não. Acho curioso alguém gostar tanto. Mas isso é interessante: as diferentes opiniões e gostos sobre um mesmo lugar. Abraços

  5. Soares,

    Como colaboradora do blog, por ter responsabilidade e comprometimento com tal função, não poderia deixar de responder ao caro leitor(a). Meu papel aqui é, tão somente, contribuir para que as pessoas tenham acesso às impressões das regiões que visito, falando com total propriedade do assunto, pois cada viagem que realizo é fruto de estudo e aprofundamento de novas culturas, além de hobby e lazer.

    Marrakesh é uma das mais prestigiosas e
    emblemáticas capitais do Antigo Império Marroquino. Esta é a cidade das mil e uma noites como citastes, um lugar mítico e místico, um ponto de encontro de exploradores de sensações insólitas e deslumbrantes. É impossível tecer qualquer tipo de comentário em contraponto, sem ao menos tê-la visitado, portando fica a dica.

    Quanto aos apontamentos sobre o papel da mulher na sociedade, faz- se necessário uma revisão dos teus conceitos, pois a descrição desse quesito está totalmente desatualizada mais me parece um rancor ideológico, diga-se de passegem, ultrapassado. Mais uma vez, o meu papel aqui é atentá-lo, para que daqui por diante você tenha a real noção da cultura marroquina dos dias de hoje e suas fundamentais reformas políticas.

    Apesar das mudanças ainda serem consideradas tímidas por uma cultura como a nossa por exemplo, é um grande avanço para o Marrocos.

    As reformas que ocorreram em 2004 foram transformações assimiladas pela sociedade como um todo e principalmente às mulheres.

    Por fim, já dizia, Fernando Pessoa no seu caderno de viagens, como a impressão que teve de Marrakech: “Primeiro estranha-se, depois entranha-se”. Uma vez entranhada, pode respirar o seu ar de surpresas, repleto de sabores intensos, cores frenéticas e sons vibrantes. Marrakech é realmente camaleônica, ao estilo das grandes metrópoles cosmopolitas, como Nova Iorque ou Paris. Vale a pena, acredite!

  6. Não vi nada de sensual nessas fotos e creio que não veria se visitasse esse país. Países muçulmanos não têm nada de sensualidade, nem em suas arquiteturas e nem em seus estilos de vida. Como haver sensualidade se essas características humanas são combatidas e proibidas em países islãmicos? Só o Ocidente manifesta essa característica em sua cultura e nas artes. Aliás a blogueira me surpreende, como mulher e visitando esse país; deveria conhecer mais dessa cultura, pois nesses países a mulher é super-desvalorizada e castrada moral e fisicamente se tiver estilo de vida sensual.
    No século XXI e os ocidentais ainda não saíram da fábula das 1001 noites.
    Haja contos da caroxinha!!!

  7. Muito bom seu post! Divulgue também no Nada Sério!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.