Portland

Para conhecer Portland de verdade – Parte I


Passeio por uma casa de strip-tease? Portland é uma das que tem mais casas do ramo dos EUA? Sua namorada é quem está te levando? uh? Sério?

Verdade. E seria uma comédia se não fosse um suspense. Tudo começou quando fui visitar a namorada em Portland. A cidade que fica perto de Seattle ostenta a fama de ser uma das que mais possuem casas de strip-tease do país. Já tinha ouvido um boato sobre isso, mas claro, nem comentei com a gata. Mesmo sendo americana, não sabia qual poderia ser a reação dela. Preferi não arriscar.

Últimos dias antes de voltar, ela começa a me mostrar o que faltou conhecer da cidade para dizer que tive uma experiência completa. Passei por um lanche tradicional de queijo torrado, um caminho que beirava o rio da cidade e até um lanche de pasta de amendoim com geleia de morango – estranho pra caramba (que minha namorada não leia) e, por fim, o “gran finale”. O que estava faltando? Me fiz de desentendido e perguntei.

Para conhecer Portland de verdade

Caminho beirando o rio que corta Portland
Caminho beirando o rio que corta Portland

E ela, na maior naturalidade, me “lembrou”: uma experiência numa casa de strip-tease. Sério? Se fosse antes, quando era novo, acharia a ideia única. Imagina contar para os amigos que tinha ido ver strip levado pela namorada? Era quase uma cena de filme. Daquelas que não acontecem NUNCA na vida real. Você lá, vendo mulheres com corpos lindos, dançando e se contorcendo nas barras de ferro e sua namorada ao seu lado, tranquila e achando tudo normal. Não… isso nunca aconteceria.

Ainda não tinha entendido o truque, perguntei qual dos seus amigos iria comigo e aí veio o suspense. “EU vou te levar lá. Eu e minhas amigas” (!!!) Ah? Como? Digo… quando? Fiquei sem palavras. Ela? E ainda com amigas? Já vi tudo. Elas queriam era ver minha reação e discutir entre elas o que achavam, tipo aqueles experimentos com animais onde o macho é colocado entre mil fêmeas ao redor pra estudá-lo. Claro que elas tinham aquela ideia de que todo brasileiro é doido por mulher e queriam ter certeza (era só perguntar que eu confirmava poxa, risos).

Mas ela parecia tão calma, como se aquilo não tivesse nenhuma importância. Ok. Para. Pensa. Pensa mais. Mais um pouquinho. Faz cara de que está tudo bem. Ela pensa que está tudo bem. Beleza. Agora, o que fazer? Correr? Inventar que está com dor de barriga? Dizer que já viu muitos lugares como esse e que não seria diferente? Mas preferi dizer…”Sure, cool!” (claro, legal!) O negócio agora era partir para a experiência.

No próximo post eu conto como foi… Leia aqui.

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais.

Rodrigo Baena

Rodrigo Baena

Rodrigo Baena é jornalista por profissão, fotografo por paixão e viajante "quase" profissional.

2 comentários

  1. Saiu hoje Fernando, veja o link no Leia Também logo acima dos comentários.

  2. MUito loko…….e a continuação qnd sai?

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.