fbpx
itaimbezinho

Meu primeiro cânion


Era inverno rigoroso quando caminhei por suas bordas pela primeira vez… O dia ensolarado se transformou quando uma névoa branca começou a vir por dentro do cânion Itaimbezinho e se aproximar, em segundos tudo ao redor ficou branco e gelado por alguns minutos…

Maquete da vista aérea dos cânions
Maquete da vista aérea dos cânions

Em outra primavera, avistei do céu um campo verde plano com aglomerações de matos mais escuros e, bruscamente, um corte profundo, como se alguém tivesse tirado grandes pedaços da terra com facão e criado um enorme precipício. E finalmente neste verão, adentrei na imensa fenda e vi os paredões do Itaimbezinho de baixo para cima.

Apreciando o visual do mirante na borda do cânion
Apreciando o visual do mirante na borda do cânion
Em 2005
Em 2005
Banho de cachoeira
Banho de cachoeira

Sensações no Itaimbezinho

No primeiro contato me senti pequena, um grãozinho no meio daquela paisagem fascinante e tão diferente dos pampas que estava acostumada. No segundo momento, quando via tudo de longe, veio a curiosidade: como seria lá dentro? O que teria lá embaixo? Para onde iria a água daquelas cachoeiras?

Ainda não tinha noção que ali era a divisa dos estados, que os Campos de Cima da Serra eram gaúchos e toda a parte interna dos cânions (lá embaixo) era catarinense.

Anos depois, já conhecendo outros cânion pelo mundo, consegui voltar e me sentir parte do Cânion Itaimbezinho experimentando ele por dentro. Tocando nas pedras, cruzando e seguindo pelo seu rio, tomando banho nas suas cachoeiras e vendo detalhes que só existem ali embaixo. Observando insetos, flores, formas e animais na sua rotina e calmaria. Pelo menos até o próximo aguaceiro que inunda tudo em segundos renovando a vida local.

Entrando na fenda do Itaimbezinho por Santa Catarina
Entrando na fenda do Itaimbezinho por Santa Catarina

Nos dias seguintes voltei a caminhar pelas suas bordas e a sensação continua a mesma da primeira vez. A diferença é saber que agora o conheço por todos os ângulos e que também faço parte do cartão postal dos Aparados da Serra.

Percorrendo a Trilha do Rio do Boi matei minha curiosidade, por outro lado, agucei a vontade de entrar em outras fendas e descobrir seus segredos.

No final da Trilha do Rio do Boi
No final da Trilha do Rio do Boi

Tome Nota Itaimbezinho

Itaimbezinho vem do tupi-guarani e significa ita (pedra), aibé (cortante). Era o nome da pedra usada pelos índios para fazerem pontas de flechas e lanças.

Para ver o Itaimbezinho do céu, sente no lado esquerdo do avião quando partir de Porto Alegre para o norte do Brasil.

As caminhadas pelas bordas não precisam de guia, mas não tente entrar na fenda por cima! Para conhecer o interior do canyon somente com guias credenciados e bom preparo físico. Em breve novos posts detalhando todas essas trilhas. Indico os guias da ROTA DOS CANYONS e VERDES CANYONS.

Lagartas de Fogo
Belezas no interior do canyon

Veja mais fotos do Cânion Itaimbezinho:

Itaimbezinho Itaimbezinho

 

A viagem com os Adventure Bloggers foi patrocinada.

Fotos de Leandro Gabrieli e Roberta Martins.

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais.

Roberta Martins

Roberta Martins

Publicitária, geradora de conteúdo sobre turismo, idealizadora deste site, fotógrafa e guia de turismo. Há 13 anos relata suas experiências de viagem focando em cultura e ecoturismo. Saiba mais na página da autora.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.