mergulho no poço azul

Mergulho no Poço Azul

O Poço Azul é um passeio imperdível para quem conhece a Chapada Diamantina. Uma caverna inundada por águas cristalinas onde, mesmo com a profundidade chegando a 16 metros, é possível ver a formação rochosa no fundo.

Read in English

16 metros de profundidade e visibilidade garantida
16 metros de profundidade e visibilidade garantida

Começa o Poço Azul da Chapada das Mesas

Mergulho no Poço Azul

Depois de 6 dias de trilhas pela chapada, nosso último dia de viagem foi um mergulho no poço. Não poderia ter sido melhor, fechou nossa aventura com chave de ouro. A impressão que tivemos foi estar em outro mundo, era difícil acreditar na beleza que estava em frente de nossos olhos.

Tivemos sorte de entrar próximo ao meio dia, bem no momento que os raios do sol entram por uma fenda da gruta deixando o poço com um tom azulado fascinante.

Feixe de luz deixa a água com tom azulado
Feixe de luz deixa a água com tom azulado

Cada grupo, de mais ou menos 12 pessoas, pode ficar em torno de 25 minutos no poço. Naquele dia não tinha nenhum depois do nosso e a diversão durou muito mais tempo.

O mergulho tem que ser sem gritos, pois o silêncio ali dentro é obrigatório. Movimentos bruscos sobre a água também não são permitidos, por isso recebemos coletes para apenas flutuar. Tudo isso para preservar o local onde já foram encontrados fósseis de animais pré-históricos.

A descoberta deste sitio paleontológico foi em 1995, quando mergulhadores encontraram um crânio de uma preguiça gigante. A partir desse momento, uma equipe de mais de 30 pessoas se reuniu e gravou um documentário. Eles retiraram do poço um esqueleto completo de uma preguiça gigante que habitava as Américas há cerca de 11 mil anos. O animal chegava a medir 6 metros e pesava em torno de 5 toneladas. Assistimos este documentário no hotel, chamado “O Mistério do Poço Azul” de Tulio Schargel e Mauricio Dias e produzido pela Mixer.

Diversão com fotos em baixo da água
Diversão com fotos em baixo da água

O Poço tem 80 metros de extensão, com duas cavernas de 20 m², onde já foram encontrados fósseis de mais de 14 espécies diferentes. Porém a flutuação pública só é permitida na parte da frente e não pode mergulhar até o fundo.

O acesso ao Poço Azul
O acesso ao Poço Azul

O sítio, onde está localizado o poço, tem boa estrutura oferecendo restaurante e banheiro. São poucos metros de trilha mais uma escada até chegar a um píer construído dentro da caverna, ali se recebe os coletes e as máscaras para o mergulho.

Tome Nota

 Melhor época: de abril a dezembro, quando o raio de sol incide diretamente na água.

Como chegar: o acesso é pela estrada Itaetê, Km 47 – Andaraí.

O poço não está dentro da área do Parque Nacional e, para visitá-lo, é preciso pagar ingresso.

No local existe aluguel de colete salva-vidas, máscara e snorkel.

Telefone de contato é  (75) 3345-2156

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais.

 

Leandro Vettorazzi Gabrieli

Leandro Vettorazzi Gabrieli

Co-fundador do Territórios versão 2010, fotógrafo amador e entusiasta de tecnologia. Combina o hobby de viajar com a paixão de fotografar, principalmente animais. Parceiro para tudo, não precisa perguntar duas vezes para fazer uma aventura ou indiada. Se você encontrar com ele em uma viagem certamente estará com sua mochila nas costas e sua Nikon na mão.

6 comentários

  1. Ei Roberta,

    Quero muito conhecer esse lugar! 🙂 Lindas fotos! Ainda mais com os raios do sol. Fantástico!

    Beijos,
    Lillian.

  2. nossa e lindo quando eu fue eu apachonei de tanto lindo beijos

  3. Já tive o enorme prazer de flutuar no Poço Azul. A beleza é indescritível. Ótimo post com belíssimas fotos (deu saudades)
    Abraços
    Jodrian

  4. Ao ver e ler a minha sensação é sempre de perflexidade. A natureza aqui no Brasil é exuberante e poucas pessoas tem a consciência de preservar e preservar sempre.

Deixe uma resposta