mergulhar com cilindro

Finalmente consegui mergulhar com cilindro!

Neste momento estou em um barco a caminho de Raja Ampat, um dos melhores lugares do mundo para mergulhar com cilindro, e me dei conta como ainda falta contar sobre a minha primeira experiência de sucesso com o esporte. Depois de uma tentativa frustrada de batismo na Grande Barreira de Corais da Austrália (também entre os melhores), encontrei bons professores em San Andrés, na Colômbia, e vou contar porque valeu a pena mergulhar com eles.

O insucesso em Queensland foi pela impaciência e falta de educação do instrutor australiano. Motivo determinante na minha decisão de nova tentativa somente após fazer o curso e aprender a respirar sem receio em uma piscina no Brasil. Quatro anos se passaram e eu ainda lamentava tanto o ocorrido quanto não ter a certificação toda vez que fazia snorkel em algum lugar incrível.

Então cheguei a San Andrés, ilha parte do Arquipélago San Andrés, Providência e Santa Catalina, e conheci o proprietário da escola de mergulho Caribe Azul. Contei a história da primeira vez e rapidamente ele me convenceu a visitar a escola para avaliar uma nova tentativa.

Finalmente consegui mergulhar com cilindro!

A estrutura e o atendimento pareciam bem mais profissionais e deram a segurança que eu necessitava para submergir 15 metros de profundidade. Decidi entrar na próxima turma naquele mesmo dia. Primeiro teve uma entrevista coletiva para avaliar se todos estavam aptos e identificar as dificuldades de cada um. Comentei da pressão no ouvido sentida sempre ao voar e a minha dificuldade em respirar com o cilindro dentro d’água.

Ali mesmo sentamos em círculo e fomos recebendo todo os equipamentos com instruções de esperar o aviso para começar a testar cada um. Os professores (eram três) mostraram como usar peça por peça e pediam que repetíssemos na frente deles insistindo no mesmo até todos estarem no mesmo nível. Colocar a máscara, o cinto, a roupa de neoprane e, finalmente, respirar.

O exercício foi copiar o jeito como eles respiravam, primeiro sem aparelho e depois com. O ar não vinha! Ele veio até mim, mandou ter calma, respirar profundamente no mesmo ritmo e funcionou!

Então fomos para a água. Dentro da escola mesmo tem um trapiche e saída direto para o mar com espaço para treinar nado e respiração com a segurança de colocar o pé no chão, caso algo desse errado. Mas não deu, estava feliz por conseguir ficar um tempão usando o cilindro sem o pavor da falta de ar. Porém, entrava água na máscara, aliás, isto sempre acontece com o snorkel. O instrutor pediu para eu nadar enquanto ele iria avaliar o motivo e minutos depois estava rindo da minha cara!!!

Ele percebeu que eu abria o maior sorriso quando mergulhava e este movimento no meu rosto fazia surgir duas covas ao lado do nariz por onde entrava água. Mandou eu ficar séria e pronto, resolveu o meu problema de anos.

Contudo, isto requer prática porque eu fico tão fascinada nestes cenários que o normal é sorrir. Então me ensinou outra técnica para expelir a água pressionando a máscara e deu certo. Agora sim, me sentia 100% preparada para o alto mar.

Como foi mergulhar com cilindro no mar de San Andrés

Coloquei o cilindro e dei o tradicional mergulho de costas. Ficamos em fila enquanto dois instrutores iam descendo um por um até os 15 metros de profundidade.

Instrutor acompanhou um por um na descida e ficou ao lado de quem se sentia mais inseguro durante o mergulho
Instrutor acompanhou um por um na descida e ficou ao lado de quem se sentia mais inseguro durante o mergulho

O mar das sete cores é predominantemente azul embaixo dágua e traz uma paz indescritível. Mas somente após estabilizar a pressão nos ouvidos que incomoda mesmo. Me pegou algumas vezes, o bom era que ele notava e me puxava pra cima pra igualar e só então continuavamos a descida.

No fundo, fiquei esperando todos chegarem tentando não ser levada pela correntes marítimas que me jogavam de uma lado pra outro. Não havia muito o que ver ali, apenas alguns poucos peixes passavam. Todos bem, seguimos em grupo até o corais e aí vieram diferentes cardumes e vegetação marinha.

Predomínio de azul no fundo do mar
Predomínio de azul no fundo do mar

Assim como não pode descer bruscamente, subir é a mesma situação. Me descuidei por um instante quando senti alguém puxando o meu pé. Estava subindo rápido demais e ainda não era hora de voltar para o barco!

Quando chegou o momento, o processo foi igual. Vinha pressão nos ouvidos, jogava pra fora fechando o nariz e voltando um pouco pra baixo até equilibrar. Agora preciso me coordenar para segurar a câmera firme dentro da água. A maioria das fotos saíram tremidas.

O relato foi em detalhes justamente para quem tem receio como eu tinha. O pessoal da Caribe Azul foi realmente ótimo pra me deixar confortável sem fazer besteiras de principiantes. Mas o conselho permanece – Tire o PADI (certificação) antes de viajar para lugares incríveis de mergulhar!

Peixes coloridos se mostravam azuis
Peixes coloridos se mostravam azuis

Tome Nota

Os cursos para iniciantes acontecem diariamente e tem opções para outros níveis e certificação. Encontrei alguns brasileiros com certificação fazendo com eles. Saiba mais em CARIBE AZUL. Endereço: Av. Colombia – Zona Rosa # 1 – 74.

Mantenha certa distância dos outros porque também estão aprendendo e, na insegurança, podem machucar quem está por perto. Foi assim que Gardênia não pode me acompanhar lá no fundo. Um rapaz agitado deu um tapão na cara dela sem querer e ela ficou desorientada na hora de descer. O instrutor entendeu que ela não queria ir e desceu para liberar o grupo de continuar.

Cardumes
Cardumes

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais.

Siga @blogterritorios no Instagram

Leia todos os artigos sobre o país           Siga no Instagram

Ainda falta reservar hotel? Veja onde me hospedei

Precisa de seguro viagem? Saiba como comprar online

Roberta Martins

Roberta Martins

Publicitária, geradora de conteúdo sobre turismo, idealizadora deste site, fotógrafa e guia de turismo. Há 12 anos relata suas experiências de viagem focando em cultura e ecoturismo. Saiba mais na página da autora.

2 comentários

  1. Bem vinda ao mundo submarino!!!
    Novas oportunidades de um mundo novo se abrem abaixo da linha do mar.
    Comecei a mergulhar por ver que seria algo interessante nas viagens e desde então já tive oportunidade de mergulhar na Tailândia, Bahamas, Cozumel e Brasil, é claro.
    Mal posso esperar pelos seus posts a respeito do assunto.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.