Eco Fiwi

Eco Fiwi, um tour diferente no Caribe


Visitar centros de informações turísticas logo ao chegar ao destino é uma boa para conhecer as novidades e pegar informações mais precisas ou confiáveis. Em San Andrés me encantei de cara com o panfleto mostrando um caiaque transparente no passeio da Eco Fiwi e decidi não ir embora da ilha sem esta experiência.

Eco Fiwi

 

O tour, guiado por um pescador artesanal, acontece em uma região menos turística de San Andrés, especificamente em uma zona de mangues protegidos onde somente os caiaques da Eco Fiwi tem autorização para adentrar com turistas. Chegando ao ponto de encontro, fomos recepcionadas pela simpática família que cuida do negócio. Eles mostraram o cuidado com as máscaras de mergulho esterilizadas, nos entregaram os remos e seguimos rumo à pequena trilha até a área alagada. E neste ponto me arrependi amargamente de não ter passado repelente. Fomos atacadas por mosquitos vorazes e era complicado correr na lama escorregadia. Resultado: picadas por todo o corpo em dez minutos de caminhada. Pelo menos os insetos não vão atrás da gente quando entramos no caiaque.

Cenários surreais nos túneis de mangues
Cenários surreais nos túneis de mangues
Foto de nós no caiaque feita embaixo d'água
Foto de nós no caiaque feita embaixo d’água

A bordo do caiaque transparente (feito de poliuretano e não vidro como mencionado no início) navegamos por águas rasas entre as ilhas e entramos em tuneis surreais. Estes moldados pelas raízes dos mangues proporcionando cenários lindos e diferentes. Mas é preciso habilidade para passar porque o remo tranca nas raízes e apenas um dos passageiros deve remar.

Assim como o caiaque, a água também é transparente e vai mudando de cor conforme nos aproximávamos do mar. E aí a diferença mais visível para os manguezais no Brasil, colocar o mar do caribe no contexto cria um ambiente único onde os seres vivos se adaptam e se transformam.

Medusa invertida se adaptou ao meio e perdeu o veneno
Medusa invertida se adaptou ao meio e perdeu o veneno

O exemplo mais interessante foi a mãe d’água ou medusa invertida, ela se une a uma alga hospedeira e uma ajuda a outra a sobreviver. Consequentemente, as águas vivas perdem o veneno por não precisarem mais caçar peixes devido a simbiose com a alga. Ou seja, a planta faz a fotossíntese e dá o alimento, enquanto a medusa fornece o oxigênio.

Uva do mar dá pra comer e é bom
Uva do mar dá pra comer e é bom
Alga azul hospedeira na mão d'água
Alga azul hospedeira na mão d’água
Raízes do mangue na areia do Caribe
Raízes do mangue na areia do Caribe

 

Víctor (da Eco Wifi), Gardênia e eu
Víctor (da Eco Fiwi), Gardênia e eu

Estas e outras curiosidades fomos descobrindo durante todo o trajeto, o guia se jogava na água quando via algo típico e nos explicava. Foi praticamente uma aula prática de biologia marinha e conservação de espécies. E como estávamos de máscaras, deu para fazer snorkel na Bahía Externa e encontrar os peixes coloridos no meio das raízes.

Vegetação marinha bem visível na água cristalina
Vegetação marinha bem visível na água cristalina

O lanche no final

Depois de duas horas remando, devemos enfrentar os mosquitos novamente para retornar a sede da Eco Wifi. Mas ao chegar todo inconveniente é esquecido quando nos deparamos com a recepção. Faz parte do tour um lanche com suco natural, plátano frito, petiscos típicos da ilha e um bom papo. Perfeito para a fome depois de brincar na água e pra exemplificar a simplicidade e boa acolhida oferecida pelos locais.

E estava nublado no início, abriu sol e voltou a chover no final. Imagina em dia pleno de sol
E estava nublado no início, abriu sol e voltou a chover no final. Imagina em dia pleno de sol

Veja como foi se hospedar na casa de um local em San Andrés

Tome Nota Eco Fiwi

ECO FIWI é uma empresa de turismo comunitário capacitada pela Secretaria de Turismo de San Andrés para oferecer um serviço diferenciado, sustentável e com maior integração com o modo de vida típico na ilha. Atividade totalmente recomendada para quem gosta de natureza. O endereço é na Vía San Luis, km 26, setor Mango Tree. Reserve por email ecofiwi@gmail.com ou fone 57 3 3165764899 com Tammyth ou Víctor.

O passeio é fácil para quem tem prática no remo. Para os outros o vento contra torna a atividade bem cansativa, por isso é bom fazer em dupla. E o guia tem uma corda para puxar, se for preciso nos momentos mais críticos.

Vá e volte de táxi ou carro alugado porque pra chegar até lá passa pela região mais perigosa da ilha. Pode ter risco de assalto a pedestres, pelo menos este foi o recado dado pelos policiais que nos pararam logo no início da caminhada. Nós fomos de táxi e gostaríamos de voltar a pé, mas os guardas ficaram nos escoltando até um transporte seguro passar por ali. Eu achei a ilha segura e me pareceu exagero a preocupação deles, por outro lado é bom saber que existe este cuidado com o turista.

PARQUE DE MANGLARES OLD POINT compreende 53 hectares de área marinha e 34 hectares de área terrestre. São duas baías, uma laguna saloba, quatro tipos de mangues, comunidades de algas e pastos marinhos.

Caiaque transparente nos manguezais do Caribe
Caiaque transparente nos manguezais do Caribe

#JustFunCaribe é um projeto de Territórios e As Peripécias de uma Flor em parceria com Viajar é Tudo de Bom. Contamos com o apoio dos governos da Colômbia e San Andrés, bem como o trade local.

O passeio foi cortesia.

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais.

Roberta Martins

Roberta Martins

Publicitária, geradora de conteúdo sobre turismo, idealizadora deste site, fotógrafa e guia de turismo. Há 13 anos relata suas experiências de viagem focando em cultura e ecoturismo. Saiba mais na página da autora.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.