fbpx
Brasil faz parte

Do que o Brasil faz parte


Europa, Ásia, África, América, Oceania ou qualquer outro lugar do planeta. De onde o Brasil faz parte? Não. Não é nenhuma brincadeira, arte ou algum tipo de pergunta sem fundamento. Pelo contrário, te convido a pensar sobre o assunto: fora brasileiro, o que mais você se sente? Sul-Americano? Latino? Americano? E alguns ainda responderão “Europeu!”… talvez culturalmente seja um pouco isso, quem sabe? Afinal não é a toa que compro no “shopping”, assino “Speedy” e vejo “Harry Potter” vender mais que qualquer história indígena.

Do que o Brasil faz parte

Índios
Índios

E aos que responderam -“Sim, eu sou latino-americano!” ou “Sim, o Brasil é latino-americano!” basta saber que num dos maiores centros de estudos Latino-Americanos da Europa, situado na cidade de Oxford, na Inglaterra, o Brasil não fazia parte. E não era porque o Centro não considerava nosso país como um autêntico hermano, mas sim porque tínhamos o nosso próprio centro de estudos brasileiros, o Centre for Brazilian Studies (CBS), também em Oxford, e também um dos maiores da Europa.

O que nos faz tão diferente e nos exclui dos países da América Latina? Ou será que nós é que nos excluímos? Para alguns, o Brasil é maior e extrapola até as fronteiras. Será verdade ou pura arrogância de nossa parte?

Centro de estudos latino-americanos no Brasil

Em Santa Catarina
Em Santa Catarina

A probabilidade desta falta de humildade é maior quando se descobre que não existia nenhum centro de estudos latino-americanos no Brasil até uns cinco anos atrás e que hoje – acredite se quiser, já contamos com o número exorbitante de UM centro de estudos que funciona na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), e alguns centros de estudos especializados como na USP, em São Paulo.

A universidade já possuía pesquisadores e estudos suficientes para se criar o primeiro, e único, instituto de estudos voltados exclusivamente para e pela a América Latina, sem influências externas, como a europeia ou de qualquer outro lugar. O IELA (Institutos de estudos Latino-Americanos) nasce, ainda que tardiamente, para fomentar pesquisas, projetos e garantir um ensino e compreensão sobre esses países latinos. As vezes estão tão próximos geograficamente e, ao mesmo tempo, tão distantes de nossas realidades.

Mesmo quando ainda era o Observatório Latino-Americano (OLA), embrião do IELA, já se pensava em ultrapassar os limites da universidade e exportar conhecimentos para quem quisesse adquirí-los, desde pesquisadores de outras universidades até as comunidades locais de Florianópolis, onde a UFSC se situa. Temas atuais como o desenvolvimento da Venezuela e das etnias indígenas na América do Sul (excluindo o Brasil que ainda mata seus índios), começam, mesmo que numa pequena porcentagem, a ser tratados, explicados e ensinados a todos interessados.

Desejo

Quem sabe se um dia nos enxergarmos como parte deste outro mundo tão próximo e rico culturalmente, politicamente e ideologicamente, possamos talvez descobrir o quanto podemos ganhar. E possivelmente competir no mundo, se nos unirmos, conhecermos e entendermos uns aos outro.

Enxergando o mundo
Enxergando o mundo

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais.

Rodrigo Baena

Rodrigo Baena

Rodrigo Baena é jornalista por profissão, fotografo por paixão e viajante "quase" profissional.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.