fbpx
Milhos do Peru

Comida peruana: delícias para provar no Peru e no Brasil


Cheguei domingo do Peru e na terça já começou a Peru Week aqui no Brasil. No embalo da boa gastronomia experimentada por lá, conto o que é este evento, onde comer no Peru e minhas impressões sobre a comida peruana.

O texto continua após os serviços recomendados no destino.

Leia todos os artigos sobre o país

AGILIZE SUA VIAGEM
Precisa de seguro viagem? Saiba como comprar online

Leve o chip internacional com Internet desde o Brasil

Agende passeios e transfer agora na Get Your Guide ou saiba como funciona

Acesso rápido: o que comer no Peru | Onde comer no Peru | Onde comer no Brasil | Peru Week

No contexto América Latina, aviso que sou fã da culinária uruguaia pela memória afetiva da infância. Já a comida peruana me conquistou desde a primeira ida em 2006 e surpreendeu pela qualidade, sabor e apresentação nessa última viagem. 

Apresentação de doces delicados no hotel em Lima tem farelo e flores pelo prato
Ganhei um upgrade de quarto e encontrei essa apresentação na suíte. Todos deliciosos!

Lembro do cuidado da excursão simples para trilha Inca em providenciar um cozinheiro para nos acompanhar e preparar nossas refeições quando mais precisávamos repor as energias. Na época, era preciso ignorar questões de higiene e focar no objetivo de chegar a Macchu Picchu, mas teria sido bem mais difícil sem o combustível que começava antes do sol nascer com a voz rouca na porta da barraca:

Buenos días! Coca Tea!

Eu só colocava a mão para fora e ele me alcançava a caneca quentinha. Assim eu despertava melhor tomando o meu chá dentro da barraca e sentindo o calor da fumacinha evaporando.

Almoço de trilha na última viagem. Frutas, frango, arroz, legumes, bolo, barra de cereais, balas e Gatorade para beber
Almoço de trilha na última viagem a Huaraz

De lá para cá, a fama de bem servir ganhou proporções internacionais e valorização merecida. Claro, a culinária evoluiu em texturas, aromas e sabores, mas sem perder a essência. A comida peruana é uma rica mistura da tradição indígena local com as receitas trazidas pelos imigrantes franceses, espanhóis, italianos, asiáticos e africanos usando produtos regionais. 

Qual a comida típica do Peru?

Embora as receitas variem pelo território, os ingredientes acabam sendo os mesmos: legumes e alguma carne. Os mais comuns são:

Abacate (palta

A fruta é presença constante em pratos salgados e foi na primeira viagem que tomei conhecimento e adquiri o hábito de preparar as refeições com abacate em casa. Combina com feijão, atum, pão, tomate e até onde a criatividade permitir.

Ají 

Ají Amarelo ou Ají Vermelho são molhos apimentados que causam sensações diferentes e bem marcantes. O primeiro é o mais forte e fica na ponta da língua, o segundo só sente na hora de engolir e fica na garganta. Pessoalmente, acredito tirar todo o sabor do prato e de tudo o que provar nos próximos minutos. São servidos nos pratos com ají no nome ou nas mesas junto ao azeite e sal. Experimente com cautela!

Batata (papa)

O tubérculo é consumido na América do Sul desde o período pré-colombiano e hoje são cultivadas centenas de espécies nos Andes. Por todo o país os dados são incertos e as informações na internet divergem, mas a quantidade passa de mil.

Milho (choclo)

Existe mais de 50 tipos de milho, com cores e tamanhos diferentes, no Peru. Está em diversas receitas e serve de aperitivo ao estilo amendoim oferecido nas mesas. Sempre vale a pena provar.

Quinoa

Cereal rico em proteína, ferro e altamente nutritivo. Utilizado em doces e salgados como pratos com base de arroz. 

Ingredientes básicos da comida peruana servidos na Pachamanca (experiência com a comunidade rural). Milho, batatas, carnes e vagem.
Ingredientes básicos servidos na Pachamanca (experiência com a comunidade rural)

O que comer e beber no Peru?

A seguir compartilho uma amostra do degustado nas últimas semanas e aviso que a lista será atualizada nas viagens futuras, afinal, o país tem muito mais a oferecer.

Ceviche

Embora a criação seja disputada entre o vizinho Chile, está presente por toda América do Sul e foi declarado Patrimônio Cultural do Peru. É um prato de peixe-branco (cru ou levemente cozido) marinado com suco de limão, cebola, coentro, pimentão e pimenta. Nas versões modernas, o peixe pode ser salmão, camarão, marisco e até carne de pato como experimentei no Empedrada Lodge e amei.

Causa

Servido frio como entrada, é tipo uma torta de batata recheada com atum, ou frango, e legumes. Existe a causa peruana (origem com os Incas que chamavam batata de kausaq) e a causa limeña que ganhou esse nome na época de uma guerra com o Chile, quando as mulheres preparavam o prato para os soldados e diziam ser pela causa limeña. 

Lomo Saltado

Talvez o prato mais presente em todas as regiões, lomo é carne de rês, ou porco, refogada em tiras com cebola, temperos como o molho shoyo e servida com arroz branco. Com frango leva o nome de pollo saltado e algumas versões vêm com batata frita.

Arroz com mariscos

É um risoto com frutos-do-mar e temperos locais variando conforme a região e gosto do cozinheiro. O experimentado na beira da praia em Barrancas estava delicioso.

Picante de Cuy

Um prato milenar que pode causar repulsa aos protetores de animais quando servido com cabeça e patas com unhas afiadas. É um porquinho-da-índia, assado ou frito, acompanhado por molho de pimenta e batatas. Parece um galeto super leve e saboroso (principalmente a cabeça). E quem tem dúvidas em experimentar por ser um bichinho fofo, certamente eles foram melhor cuidados e mais felizes que os frangos comprados em supermercados aqui no Brasil, a maioria vem de pequenas propriedades rurais e não estão em extinção.

Cuy picante é tradicional na comida peruana
Cuy Picante é tradicional na comida peruana

Cuidado com o picante do cardápio! Se você gosta de sentir o sabor dos alimentos e não o predomínio da pimenta, evite os pratos que picam adorados pelos peruanos.

Pratos com carne de alpaca e de lhama

Já a carne de alpaca me trouxe a sensação de dó por ser o meu bichinho preferido na América do Sul. Mesmo assim, experimentei em Arequipa e, como achei sem gosto, acredito não valer a pena o consumo. Por outro lado, para quem não é vegetariano, pensa em sustentabilidade e bem-estar, tanto a carne de alpaca quanto a de lhama são mais saudáveis (pouco colesterol) e trazem menos impactos agressivos ao meio ambiente do que um rebanho de gado. Provar ou não provar vai da sua consciência.

Truta (trucha) assada

Este é outro prato descoberto na primeira viagem ao Peru e incorporado aos meus peixes preferidos. É gordo e muito saboroso com arroz e legumes. Dizem que as pescadas no Lago Titicaca são as melhores, mas com tantos lagos de altitude espalhados pelo país, já não sei dizer onde provei a melhor.

Sopas (cremas) 

Caldos são sempre uma boa pedida para a noite ou consumir na altitude por ser leve e de rápida digestão. As de legumes foram sempre deliciosas.

Pisco

Bebida destilada feita da uva que permite a criação de vários drinques como o clássico Pisco Sour, com suco de limão, pimenta e clara de ovo. O pisco também tem a criação disputada com o vizinho Chile e o drink mais famoso lembra uma caipirinha aprimorada. Uma versão refrescante é Chilcano, preparada com suco de limão, pisco, angostura, gelo e refrigerante de gengibre. Evite beber na altitude, pois o efeito alcoólico será dobrado.

Chicha morada

É um suco gelado a base de milho-roxo misturado com casca de abacaxi, canela, cravo-da-índia e outros ingredientes que variam. Eu gosto e acho refrescante, embora valha experimentar mesmo nos dias frio.

Folha e Chá de coca

O chá de coca é o mais rápido para amenizar os efeitos da altitude no corpo, pelo menos, eu sinto os efeitos imediatos de bem-estar e despertar pelo calor e gosto amargo. Mastigar a folha tem um gosto muito forte e não tão agradável, mas é o preferido dos locais. 

Chás

Quem aprecia chás como eu, deve ficar satisfeito com as opções no Peru. Como evitei bebidas alcólicas na altitude e não gosto de refrigerante, alternava entre chás e limonadas para acompanhar as refeições. Muña é uma menta silvestre encontrada nas trilhas abaixo dos 4 mil metros de altitude que ajuda na respiração só de colocar perto do nariz, usei na trilha Salkantay e desta vez foi o chá noturno consumido diariamente. Faz bem para digestão, altitude e não tem a cafeína da folha de coca. Anís foi outra opção que gostei bastante.

Inca Kola

É o refrigerante típico como o nosso Guaraná. É super doce e tem uma cor que lembra algo desagradável de beber. Provei um gole na primeira viagem e dispensei todas as outras vezes, embora seja a bebida mais consumida no Peru.

Saiba como funciona e compre online.

Onde comer no Peru

A seguir listo os nomes e endereços dos restaurantes visitados agora em outubro e novembro de 2019. Lima, por ser a capital, é o melhor destino para degustar todas as delícias oferecidas pelo país.

Em Lima

ámaZ Restaurante

Uma experiência diferente e sofisticada utilizando ingredientes da floresta amazônica. As sobremesas gourmet estavam espetaculares.
Onde: Av. la Paz 1079, Miraflores.

Sobremesa com sensações no ámaZ
Sobremesa com sensações no ámaZ
Abacate com pato
Abacate com pato
Pratos a baes de milho e mandioca
Pratos a baes de milho e mandioca

Cala

Para comer frutos-do-mar com vista para o mar. Bom lugar para provar o pisco antes de ir para a altitude, assim como a gastronomia andina.
Onde: Circuito de Playas.

Doce de leite com frutas
Doce de leite com frutas
Entrada com peixes, abacate e batata
Entrada com peixes, abacate e batata

Paprika Restaurant

Serve comida peruana e internacional no térreo do hotel Costa del Sol Wyndham Lima Airport. Foi onde provei a bebida Chilcano e me deliciei com o brownie sobremesa.
Onde: dentro do aeroporto internacional de Lima. Aberto ao público diariamente.

Em Huaraz e arredores

Encuentro Restaurant & Bar

Onde provei o cuy picante e os amigos optaram pela pizza para dar energia nas trilhas que estavam por vir.
Onde: Parque del Periodista

Hotel Club Andino

O restaurante do hotel em Huaraz abriu fora do horário para atender nossas necessidades e oferece cardápio com um pouco de tudo mencionado acima.
Onde: Jiron Pedro Cochachin 357.

Experiência na comunidade

Saber como é a rotina dos moradores da zona rural de Huaraz é resgatar a essência da cultura andina. Paramos apenas para o almoço onde vimos a preparação final dos pratos e adoramos o tempero. A família cozinha junta fazendo um buraco na terra onde coloca pedras e brasa misturada aos ingredientes. Apenas a carne (porco e frango) e um doce de milho que parecia paçoca foram embalados em folhas naturais, todos os outros legumes (milho, vagem e batatas) ficavam soltos entre as pedras. O buraco é tapado com mais pedras, folhas e panos por algumas horas. Por fim, abrem cuidadosamente e vão tirando os alimentos para servir em cestinhos individuais. 
Onde: Humacchuco. Atende com agendamento.

Locais preparando a Pachamanca
Locais preparando a Pachamanca

Cuesta Serena Boutique Hotel

Um hotel boutique situado em cenário divino onde as refeições são feitas em frente a montanha Huascarán, a mais alta do Peru. Mistura culinária local com internacional em belas apresentações.
Onde: Km 530, Carretera Central em Anta. Aberto para hóspedes, veja opções de reserva aqui.

Sorvetes com frutas e quinoa são comuns na sobremesa
Sorvetes com frutas e quinoa são comuns na sobremesa
Truta assada é comum na comida peruana
Truta assada

Em Barranca

Tato Restaurant

Um restaurante popular enorme na beira da praia oferece frutos-do-mar com destaque para os mariscos e picantes. 
Onde: Av. Chorrillos.

Em Caral

Empredada Lodge

É uma fazenda de abacate e tangerina que abriu um hotel na sede há três anos. Os ingredientes ganham destaque e combinam com outros produzidos por produtores regionais. Pratos sofisticados são bem servidos e saborosos como o ceviche de pato.
Onde: Mz s/n, Lt. A2, Fundo La Empedrada Caral. Aberto para eventos e hóspedes.

Peru Week

É uma campanha de promoção do turismo e da gastronomia do Peru nos países que mais enviam turistas. No Brasil chega à sua 7ª edição, de 05 a 20 de novembro de 2019, com menus especiais nos restaurantes de culinária peruana e pacotes de viagem para visitar o país. Quem prefere viajar por conta própria, as companhias aéreas AVIANCA Internacional, GOL e LATAM estão vendendo passagens promocionais para Lima neste período. A campanha está presente em 17 estados do Brasil, mais o Distrito Federal, e acontece simultaneamente em 24 cidades do país. Entretanto, mesmo quem não mora nessas cidades poderá comprar pacotes de viagens e passagens aéreas pela Internet.

Desta forma, brasileiros podem experimentar a comida peruana para se inspirar antes de fazer a viagem. 57 restaurantes especializados na comida peruana oferecem menus especiais, sendo 29 na capital paulista, com valores que vão de R$ 47,90 a R$ 110,00 (menu degustação com drink de boas-vindas, entrada, prato principal e sobremesa), durante os 16 dias de campanha. 

Comida peruana no Brasil

Um detalhe maravilhoso é o fato de muitos peruanos morarem no Brasil e conseguirem preparar suas receitas como se estivessem por lá. As comidas típicas do Peru são facilmente encontradas nos restaurantes de São Paulo, na fronteira e em vários estados. 

Já experimentei diversos deliciosos que oferecem comida peruana, mas nem todos continuam abertos. Sugiro aproveitar a lista dos participantes da Peru Week e incluir Rinconcito Peruano quando passar por São Paulo.

Rinconcito Peruano

Conheci quando caiu na boca do povo por servir pratos maravilhosos e acessíveis em seu primeiro endereço no centro de São Paulo. A zona era complicada de ir à noite, mas o sabor compensava. Hoje é considerado um dos melhores restaurantes da cozinha Peruana no Brasil com mais de 10 unidades na capital paulista. Para a Peru Week oferece menu a R$ 79,90 com entrada, prato principal, sobremesa e drink. Encontre um no site.

Acesso rápido: o que comer no Peru | Onde comer no Peru | Onde comer no Brasil | Peru Week

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais.

A última viagem foi um convite da PROMPERÚ (Comissão de Promoção do Peru para a Exportação e o Turismo) onde as refeições foram cortesias.

Roberta Martins

Roberta Martins

Publicitária, geradora de conteúdo sobre turismo, idealizadora deste site, fotógrafa e guia de turismo. Há 13 anos relata suas experiências de viagem focando em cultura e ecoturismo. Saiba mais na página da autora.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.