comer e beber em Barbados

Comer e beber em Barbados


Mesmo com colonização e maioria dos turistas britânicos, a influência na culinária chega ao máximo no fish and chips (peixe com batata frita) ou english breakfast (café da manhã inglês). A essência, o tempero e o gingado vem do continente africano. Origem de mais de 90% da atual população de Barbados.

Frutos do mar, carnes, plátanos, batata e rum são a base do cardápio que conta com o exclusivo flying fish (peixe voador pescado por lá) servido em diferentes receitas. O jeito mais interessante e econômico de provar o prato nacional é no Oistins Fish Fry pela variedade, astral e contato com os locais. O mercado de peixes vira uma grande praça de alimentação onde cozinheiros preparam os pratos na hora e exibem a cultura local.

Cozinheiro no Oistins Fish Fry
Cozinheiro no Oistins Fish Fry

Comer e beber em Barbados

Degustar pratos e lanches de barracas de rua é uma opção para se sentir como um bajan (como são chamados os locais) e gastar pouco. Afinal, o mais caro em Barbados é a comida, por isso minha sugestão é mesclar idas ao supermercado e provar comidas de rua com os restaurantes mais interessantes. Melhor ainda se o hotel tiver cozinha no quarto como foi o meu caso. No Yellow Bird tem utensílios para preparar qualquer refeição e mesa na varanda com vista para o mar. O café da manhã era pago a parte e escolhido no cardápio do restaurante do hotel. Como eu queria provar algo local, logo no primeiro dia percebi que deveria sair dos padrões turísticos quando pedi sugestão para a atendente e ela respondeu séria:

Compras na padaria
Compras na padaria

– Essa comida é pra turista, nós (bajans) não comemos nada disso!

Os supermercados tem produtos do caribe como Ginger Beer (refrigerante de gengibre não alcoólico) jamaicano e tudo o que é comum encontrar no Brasil. Eu preparava jantares no quarto com meus amigos ou levava algo prático para piqueniques na praia. Gostei bastante dos pães doces com coco e rolinhos de massa recheado com carne (meat roll) comprados em padarias ou nas barracas próximas ao terminal de vans do centro de Bridgetown. A aparência dos locais nem sempre é das melhores, mas o sabor vale a pena.

Entrar em uma das duas mil lojas de rum ou degustar a bebida nas fábricas, em passeios de barco, na beira da praia ou na balada é praticamente obrigatório, afinal os bajans assumem a criação da bebida rum. Particularmente, não gostei dela pura ou envelhecida, parece álcool etílico! Mas em coquetéis ou o famoso rum punch eu adorei e abusei. As cervejas também agradam, preferi a 10 Saints e meus amigos a Banks.

Cerveja bajan Banks
Cerveja bajan Banks
Cerveja bajan 10 Saints
Cerveja bajan 10 Saints

 

Onde comer em Barbados

Todos os lugares por onde passei ou sentei para uma refeição:

OISTINS FISH FRY

É bem turístico e oferece de sanduíches a pratos mais elaborados preparados na sua frente. Indicado para provar o peixe voador ou o dolphin, este último não é golfinho, é um peixe local bastante comum na ilha. O mercado funciona todas as noites, com destaque para as sextas-feiras, na região de Oistins, Christ Church. Começa ao anoitecer e o povo mais animado continua nos bares ao redor.

Peixe flambado
Peixe flambado
Alguns peixes oferecidos no Oistins Fish Fry
Alguns peixes oferecidos no Oistins Fish Fry

Sanduíche de flying fish

ELBOW ROOW

Oferece a experiência de preparar a própria comida em uma pedra vulcânica, depois vira balada pop e é famoso pelos drinks. O valor dos pratos compensa pela experiência de um jantar diferente e saboroso em ambiente agradável. Acabou sendo onde provei a melhor refeição na ilha. Pedi frutos do mar e provei carnes, saladas e sorvetes dos meus amigos. Todos os pratos estavam ótimos, apenas cuidado para não queimar a língua se usar a pedra. Na Second Strett, Holetown, St. James.

Elbow Room antes do agito começar
Elbow Room antes do agito começar
Prato com pedra vulcânica
Prato com pedra vulcânica

LOBSTER ALIVE

Para aproveitar a sombra do guarda sol bebendo rum punch na beira da praia ou curtir um show de jazz saboreando uma lagosta super fresca. No almoço ou jantar o cliente escolhe a lagosta viva em piscina dentro do restaurante, o prato é preparado na hora e as calorias são gastas na pista de dança que vai aumentando conforme mesas e cadeiras são recolhidas. Pelo menos nas noites de show ao vivo. O valor é conforme o peso da lagosta e pode ser bem salgado, como opção econômica peça a lagosta congelada, não é fresca, mas é saborosa. Fica na beira da praia Carlisle Bay com shows de jazz nas terças das 18h às 21h e aos domingos das 12h às 15h.

Pra quem vê de fora, restaurante parece uma barraca de pescador na beira da praia
Pra quem vê de fora, restaurante parece uma barraca de pescador na beira da praia

Fachada McBride's
Fachada McBride’s

MCBRIDE’S

É um pub irlandês com música ao vivo e variado cardápio a la carte no jantar. Uma casa grande com várias salas, mesa de sinuca e astral animado misturando locais e turistas sem hora pra fechar. Localizado na badalada rua St. Lawrence Gap, em Christ Church, fica ao lado de vários bares e a boate Sugar Ultra Longe.

HARBOUR LIGHTS

É um jantar show para turista com um buffet simples de comida caseira típica. A escolha é entre carne, frango ou peixe acompanhado de legumes e massa. Nada muito diferente do que se come no Brasil a não ser pelo formato do macarrão que mais parece uma torta, inclusive é chamado por macaroni pie. Em local murado na praia de Carlisle Bay com jantar ao ar livre ou em ambientes cobertos. Os dias mais agitados são quartas e sextas.

Show começa no final do jantar
Show começa no final do jantar

CHEFFETE

É o fast food de Barbados encontrado em diversos locais com preços convidativos, mas nada demais para quem não é fã do estilo. Fui porque era a única opção aberta domingo de tarde. Oferece pizzas, hambúrgueres, batatas fritas, sorvetes e o convencional de fast food.

MOUNT GAY RUM FACTORY

É uma das fábricas de rum com passeios guiados, cursos, loja e almoço nas terças e sábados. Não sei se vale a pena a refeição porque só provei a bebida. Fica na Spring Garden Highway, St. Michael. Aberta ao público durante a semana das 9h30 às 15h30. Reserve pelo site.

Todos os runs da marca Mount Gay Rum
Todos os runs da marca Mount Gay Rum

RECEITA RUM PUNCH

Retirada do mini guia de Barbados disponível nos hotéis:

One of sour = 1 parte de suco de limão

Duas de doce = 2 partes de açúcar

Três de forte = 3 partes de rum bajan

Quatro de fraqueza = 4 partes de gelo

Piquenique em Crane Beach com a melhor Ginger Beer de lá
Piquenique em Crane Beach com a melhor Ginger Beer de lá
Siga @blogterritorios no InstagramSiga no Instagram

Falta reservar hotel? Saiba onde me hospedei

Saia do Brasil conectado com o chip de celular da EasySim4U

Leia os textos sobre as praias de Barbadosopções de hospedagemroteiro de 8 noites e roteiros de carro.

Tome Nota: comer e beber em Barbados

Entre dezembro e maio é alta temporada no Caribe e os restaurantes mais concorridos exigem reservas.

Tome um café reforçado e leve lanches na bolsa porque é difícil encontrar bares e restaurantes abertos entre 14h e 18h ou depois da meia noite. Se for explorar o leste ou norte da ilha, a tarefa de encontrar estabelecimentos é ainda mais complicada. Padarias e supermercados funcionam em horário comercial nos centros urbanos e barracas de rua fazem o seu horário em locais populares. Supermercados fecham aos domingos.

Preste atenção antes de ingerir a sua refeição, algumas podem ser bem apimentadas. Sempre prove os condimentos antes de espalhar no prato ou terá de fazer um novo pedido, caso não goste. 

ROTEIRO PRONTO EM BARBADOS
Para mais informações e ver todo o conteúdo do Barbados organizado para ler quando e onde quiser, compre o Guia 8 noites em Barbados. São 45 páginas com fotos, mapa personalizável, relatos e dicas exclusivas.

Essa viagem foi parcialmente patrocinada pelo Visite Barbados. Os jantares no Lobster Alive, Elbow Room e Harbour Lights foram cortesia.

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais.

Roberta Martins

Roberta Martins

Publicitária, geradora de conteúdo sobre turismo, idealizadora deste site, fotógrafa e guia de turismo. Há 12 anos relata suas experiências de viagem focando em cultura e ecoturismo. Saiba mais na página da autora.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.