o básico de San Andrés

Cayos e praias, o básico de San Andrés


Antes de começar a leitura, aviso que o artigo não está completo porque faltou tempo de conhecer tudo como eu gostaria. A ideia inicial era alugar um carro para dar a volta na ilha e parar em todas as praias. Até consegui circular a ínsula duas vezes, mas de barco e sem parar em Coco Plum, Bahía Sonora, Rocky Cay, La Piscinita e a orla de São Luís. Mesmo assim, deu para fazer o básico de San Andrés parando nos 5 lugares listados abaixo.

O contraste das cores do mar mesmo em dia nublado, em San Andrés
O contraste das cores do mar mesmo em dia nublado

O destaque exclusivo da ilha é o mar multicolorido em tons azul e verde. São sete cores na mesma paisagem variando conforme a profundidade, vegetação e presença de corais. No entanto, vi apenas cinco porque sempre haviam nuvens. Os locais garantiram a veracidade em dias ensolarados com céu limpo.

O básico de San Andrés

Spratt Bight

Playa Spratt Bight ao lado do aeroporto
Playa Spratt Bight ao lado do aeroporto

É uma série de praias sem nome localizadas no extremo norte da ilha. Se estende desde a pista do aeroporto até o final da zona central, boa parte em frente à Peatonal (calçadão com bares, lojas e restaurantes). É a mais cheia e com melhor infraestrutura porque a maioria dos hotéis se concentra por ali. O trecho mais agradável foi o menos movimentado no final, em frente ao hotel Decameron El Isleño. Ali encontrei água agradável, cristalina e segura para todas as idades.

Playa Spratt Bight na zona central mais movimentada
Spratt Bight na zona central mais movimentada
Johnny Cay visto de Spratt Bight
Johnny Cay visto de Spratt Bight

 

 

 

 

 

 

 

West View

Não é exatamente uma praia, está mais para piscina com trampolim e tobogã direto das pedras para um mergulho em um aquário natural. Um banho no azul intenso em meio a peixes coloridos e estátuas no fundo do mar do Caribe. É profundo, contudo dá pra ver a areia lá em baixo. O local é uma mistura de parque ecológico com aquático na ponta sul de San Andrés. Paga-se para entrar e tem lanchonete, aluguel de equipamentos e atividades como mergulho com escafandro e outras.

  • COMO CHEGAR
Como chegar a West View: é ponto obrigatório de quem aluga um carro de golfe pra dar a volta na ilha. Localizado no extremo sul, também pode contratar uma excursão com transfer ou como eu fiz, foi uma das paradas do passeio de lancha com a Release Me. Mas como não passamos pela entrada e não pagamos, a embarcação ficou longe e fomos nadando até a escada. Foi puxado, no entanto, o trajeto vale pra quem sabe nadar. Só tomar banho naquele azul perto da lancha também vale o momento.

 

Parque Regional Johnny Cay

Na sombra de um coqueiro em Johnny Cay
Na sombra de um coqueiro em Johnny Cay

O lugar pra tirar as fotos de praia clássicas do Caribe com coqueiros, barquinhos e areia branca compondo um cenário paradisíaco. E ainda tem as iguanas verdes e os lagartos azuis no meio da vegetação. Pode alugar uma cadeira e guarda sol, beber um coco loco (bebida local) e caminhar por toda a ilhota em pouco tempo, mas o banho é restrito a uma determinada zona por segurança. O mar é bastante agitado e a chegada dos barcos é tensa.

Área para banhistas tem vista para San Andrés
Área para banhistas tem vista para San Andrés
Chegada de excursão a Johnny Cay
Chegada de excursão a Johnny Cay

Distante três quilômetros de Spratt Bight, se alcança somente em lanchas e assim fui três vezes: na primeira estava fechada, na segunda em lancha privativa e na terceira em excursão. Não recomendo esta última para crianças e idosos porque o barco é pequeno, instável e é preciso seguir à risca tudo o que os guias recomendam. Por exemplo, onde colocar a mão na hora de descer e subir (as ondas fazem os barcos se chocarem e acidentes graves são comuns) e ser rápido na hora de pular na areia (uma pessoa por vez).

Durante o caminho uma senhora sentiu tanto medo (nem era pra tanto) a ponto de colocar a mão na minha perna e apertar com força. Inclusive, ela percebeu o meu desconforto, pediu desculpa e continuou apertando! Ganhei um roxo do tamanho do dedão dela! Quando se vai até lá em lancha privativa, ela para antes da arrebentação e vamos caminhando por dentro d’água até a zona segura para banhistas.

  • COMO CHEGAR
Como chegar a Johnny Cay: contrate o serviço de algum barqueiro ou lancha privativa ou excursão com almoço e outros cayos incluídos. Contatos no Tome Nota.

Por ser um parque, paga-se uma taxa para permanecer na ilhota e pode ser fechada ao público conforme as condições climáticas.

Corais e vegetação de Johnny Cay
Corais e vegetação de Johnny Cay

 

Acuario

Família desfruta do banho de mar em frente aos corais do Acuario
Família desfruta do banho de mar em frente aos corais do Acuario
Acuario lotado em dia nublado
Acuario lotado em dia nublado

É um banco de areia ao lado de uma barreira de corais que formam piscinas, ou melhor, um aquário natural. Dá pra ver um monte de peixes coloridos de diferentes tamanhos e formatos junto de conchas, ouriços e vegetação marinha. Até arraias manta podem aparecer. Sapatilha e snorkel são imprescindíveis, a máscara tem pra alugar no restaurante onde acontece o almoço para quem vem em excursão. Parei no Acuario duas vezes, na primeira estava em lancha privativa e desistimos porque estava muito lotado e nublado, na segunda fui em excursão e foi perfeito para mergulhar, pouca gente e muito para ver. Infelizmente não tenho fotos do fundo porque a bateria da Go Pro acabou antes.

 

Haynes Cay

Haynes Cay, San Andrés
Haynes Cay

Localizado ao lado do Acuario, pode ir caminhando com água pela cintura ou flutuando com snorkel. É outra ilhota com coqueiros e um restaurante (o melhor tempero da viagem), onde o destaque é a cor verde hipnotizante do mar. O espaço aberto ao público é pequeno e, para explorar toda área, deve consumir algo no Bibi’s Place, o que não é nenhum sacrifício.

  • COMO CHEGAR
Como chegar aos Acuario e Haynes Cay: contrate o serviço de algum barqueiro ou lancha privativa ou excursão com almoço no Acuario e parada em Johnny Cay. Contatos no Tome Nota.
O verde hipnotizando visto de Haynes Cay, San Andrés
O verde hipnotizando e os corais vistos de Haynes Cay

Também faltou Cayo Bolívar, no sul de San Andrés, a uma distância considerável em mar aberto. Cheguei a fazer metade do caminho, porém, as ondas mostravam as perigosas condições do mar e mudaram os planos. Por isso acabei fazendo duas vezes a volta na ilha. O que foi ótimo porque na primeira vez estava nublado e na segunda fez um dia perfeito.

Assista o vídeo e acesse todos os artigos sobre a viagem

Tome nota sobre o básico de San Andrés

São três opções para visitar os cayos:

– excursões da OVER RECEPTOUR ou CONOCEMOS NAVEGANDO (somente Cayo Bolívar)

– aluguel de lancha por hora com a RELEASE ME escolhendo onde ir. Aproveita a parceria que fizemos com a Release Me e diga que pegou a dica aqui no Territórios. Eles prometeram fazer um precinho especial para os nossos leitores. Escreve para o Pedro (pedrolivinston2015@gmail.com) e agende o seu passeio.

– pegar um barco da Cooperativa de Barqueiros pra ir e voltar

As pedras e os corais podem machucar os pés e a dica é ter sapatilhas de andar na água principalmente em Acuario e Haynes Cay. Tem pra vender por toda a parte.

Se tiver snorkel, leve ou alugue durante os passeios, lugares não faltam para ver a vida marinha.

A lancha da Release Me por fora
A lancha da Release Me

#JustFunCaribe é um projeto de Territórios e As Peripécias de uma Flor em parceria com Viajar é Tudo de Bom. Contamos com o apoio dos governos da Colômbia e San Andrés, bem como o trade local.

Fotos de Roberta Martins e Gardênia Rogatto.

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais.

Roberta Martins

Roberta Martins

Publicitária, geradora de conteúdo sobre turismo, idealizadora deste site, fotógrafa e guia de turismo. Há 12 anos relata suas experiências de viagem focando em cultura e ecoturismo. Saiba mais na página da autora.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.