Caminho das Cascatas: novos caminhos na Serra Gaúcha


Viajantes estão sempre me pedindo dicas de Gramado e Canela, mas a Serra Gaúcha é muito mais que isso. Há destinos com vocação para ecoturismo que mantêm a essência dos imigrantes sem o movimento exagerado de turistas. Lugares sem fila, sem pressa, sem engarrafamento e com boa hospitalidade de sobra. Apresento o Caminho das Cascatas, no Vale do Taquari.

Leia todos os artigos sobre o Rio Grande do Sul

AGILIZE SUA VIAGEM
Veja opções de excursões, ingressos e transfer na Serra Gaúcha

Caminho das Cascatas

É um roteiro turístico integrado entre os municípios privilegiados por suas cascatas e mata nativa. São mais de 30 quedas d’água, várias trilhas, lendas e histórias contadas pelos guias locais. Todas as cidades do Caminho das Cascatas se emanciparam de Lageado e vem trabalhando o ecoturismo nos últimos anos. São elas Boqueirão do Leão, Forquetinha, Progresso e Sério.  

Fui convidada para um Famtour e passei um final de semana cheio de atividades na região. Verdade que a chuva atrapalhou as trilhas até as principais cachoeiras pelo volume de água no primeiro dia, mas o segundo foi ensolarado conforme contei no artigo sobre Progresso

O que fazer em dia de chuva na Serra Gaúcha?

Comer bem! O legado dos imigrantes alemães e italianos salvam qualquer passeio para a Serra Gaúcha, principalmente em cidades pequenas e zonas rurais como as do Caminho das Cascatas. 

Começamos por um delicioso “Café do Alemão” no Camping Shedler, em Forquetinha. O almoço foi no Sítio da Família Favaretto, em Sério, quando a chuva deu uma trégua e nos permitiu desfrutar de passeio de trator pela propriedade. O lanche da tarde foi cuca (pão doce alemão que eu amo!!!) na praça principal de Boqueirão do Leão. E o jantar foi galeto e massa no Auto Posto Brancher, em Progresso.

Diversas cucas alemãs são oferecidas em todo Caminho das Cascatas
Cucas alemãs em Boqueirão do Leão

E como não somos feitos de açúcar, teve trilha com chuva sim! Claro, usando capas e seguindo as recomendações dos guias nos locais:

Rio com águas turvas e paredão de pedra com muito verde em Boqueirão do Leão, um dos destaques do Caminho das Cascatas
Perau da Nega

Perau da Nega, em Boqueirão do Leão

Uma cascata com muito verde e paredão de pedra como cenário que eu entraria certo sem chuva. A origem do nome surgiu, porque uma escrava teria se jogado do perau em uma fuga. Sem chuva teríamos feito as trilhas do Pedro Bastião e a Cascata do Gamelão.

Casa de arquitetura Enxaimel em Forquetinha é atração do Caminho das Cascatas
Parque Temático Christoph Bauer (crédito: Paulo Gusmão)

Parque Temático Christoph Bauer, em Forquetinha

Um local rodeada de verde conta a saga da colonização alemã no município através da arquitetura e apresentações culturais. Vale conferir a agenda de eventos do município ou apenas caminhar entre as casas de einxaimel*. 

Aliás, toda a cidade de Forquetinha é uma graça e parece de brinquedo, desde a sinalização das ruas até os prédios e residências. 

Placa de sinalização em Forquetinha
Ruas de Forquetinha

*Enxaimel é uma técnica de construção de paredes montadas com hastes de madeira encaixadas entre si e espaços preenchidos por pedras ou tijolos.

Cascata da Bugrinha, Sério

Esta é melhor fazer sem chuva porque foi bastante escorregadia e o volume de água pode subir rápido. Fizemos apenas um trecho para ouvir a origem do nome e a cultura dos bugres da região (como os índios eram chamados). A trilha completa segue por 5 km e passa pela Gruta dos Bugres e locais para banho no arroio Sampaio. 

Dica de Verão

Calor combina com praia, certo? Verdade, porém, nem sempre é a melhor opção para quem busca tranquilidade. Neste caso, ir contra o fluxo pode ser uma ótima saída para descansar e se refrescar. Ainda mais no Rio Grande do Sul, onde o período de verão dura poucos meses. Pelo menos, eu evito o estresse do congestionamento nas estradas, as filas e a muvuca dos lugares mais procurados. 

Portanto, o Caminho das Cascatas é uma ótima opção assim como Rolante e Sapiranga. Basta dirigir cerca de 100 km em direção ao norte de Porto Alegre para chegar a Serra Gaúcha. Você pode alugar um carro, ir de ônibus ou contratar os serviços indicados.

Cascata do Moinho em Progresso
Cascata do Moinho em Progresso

Tome Nota Caminho das Cascatas

Suíte do Hotel Fernandes
Hotel D’ Fernandes

Hospedagem: dormi no Hotel D’ Fernandes e não provei o café da manhã que parecia bom, mas aprovei o atendimento familiar e a limpeza da suíte. Os quartos podem ter diferentes configurações. Na Av. Gramado, 1080, em Progresso.

ENCONTRE HOSPEDAGEM NO VALE DO TAQUARI

Além do café colonial, o Camping Schedler oferece, barracas prontas para alugar nas margens de um arroio. Parte da área fica localizada dentro de uma APA (Área de Proteção Ambiental) distante 6 km de Forquetinha.

Mais informações: visite o site do roteiro Caminho das Cascatas. Quando fizer as reservas, lembre de avisar que  pegou a dica aqui no Territórios. Os roteiros comercializados atendem quatro públicos: Caminho das Cascatas 50+ (melhor idade); Caminho das Cascatas 100% família; Caminho das Cascatas Aventura (ecoturistas) e Caminho das Cascatas Pedagógico (estudantes). 

Veja mais fotos do Caminho das Cascatas:

Vista no Parque Temático Christoph Bauer
Parque Temático Christoph Bauer, em Forquetinha
Homem com ovelhas na zona rural do Rio Grande do Sul
Sítio da Família Favaretto

Esta viagem foi um convite do SEBRAE RS, prefeituras e empresas participantes do Caminho das Cascatas.

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais.

Roberta Martins

Roberta Martins

Publicitária, geradora de conteúdo sobre turismo, idealizadora deste site, fotógrafa e guia de turismo. Há 13 anos relata suas experiências de viagem focando em cultura e ecoturismo. Saiba mais na página da autora.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Chame via WhatsApp