alugue uma lancha pra descobrir ilha grande

Alugue uma lancha para descobrir Ilha Grande


Quando me perguntam quais os lugares mais bonitos que já fui, minha resposta é longa e dividida em categorias. Quanto às praias mais lindas do Brasil, o litoral do Rio de Janeiro continua em primeiro lugar. O mar cor de esmeralda, a exuberância da mata atlântica e aquela sensação de poder se isolar do mundo em certos locais fazem eu querer voltar sempre. E Ilha Grande está entre o favoritos.

Siga @blogterritorios no InstagramSiga no Instagram
Passeio de lancha em dia perfeito
Passeio de lancha em dia perfeito

O que mais gosto de fazer em Ilha Grande é tentar dar a volta na ilha, seja por trilha ou por barco. Digo tentar porque ainda não consegui dar a volta completa, ou falta tempo de caminhar 200 km ou as condições do mar não ajudam. Tudo bem se a cada ida eu continuar descobrindo um cantinho novo ou vários, como na última vez. Fiz a MEIA VOLTA NA ILHA do melhor jeito possível, a bordo de uma lancha particular escolhendo onde parar, qual música ouvir e quanto tempo ficar em cada lugar. Passeios com esse nome são oferecidos por várias agências em catamarãs ou embarcações menores, no entanto, existe a opção de alugar e ter mais liberdade.

Manhã na Lagoa Azul
Manhã na Lagoa Azul

Passeio de lancha para descobrir Ilha Grande

E assim foi o nosso passeio em família, quatro adultos, duas crianças e um tripulante nos guiando nos lugares mais bonitos entre a Vila de Abraão e a Lagoa Verde. A primeira parada foi estratégica na LAGOA AZUL (antes dos catamarãs chegarem), onde teve um susto inicial para cair na água porque em agosto é bem gelada! Mas adaptável e logo o encantamento gerado pela transparência e os peixes coloridos manda o frio embora.

Parcel do Aripeba cortando as garrafas pet e plásticos
Parcel do Aripeba cortando as garrafas pet e plásticos
Meninas extasiadas com os peixes coloridos
Meninas extasiadas com os peixes coloridos

PARCEL DO ARIPEBA foi a próxima, um esconderijo lindo e vazio, se não fosse para onde as correntes levam todo o lixo ao redor da ilha. A tristeza foi tanta que pedimos para passar para a seguinte. O guia nos disse que os locais limpam diariamente, porém, chegamos muito cedo.

Muitos peixes em busca de comida
Muitos peixes em busca de comida

 

Então alcançamos um dos pontos altos do passeio, a LAGOA VERDE com uma pequena praia, caminhos para explorar e peixes para interagir. As crianças amaram e o momento já foi tema do Foto da Semana com vídeo. Já passava do meio dia e o movimento de banhistas aumentava, mas, com pedaços do nosso lanche, criamos uma área particular para praticar snorkel ao redor do barco. Era como estar em um aquário no meio de criaturinhas amarelas e cinzas famintas. Qualquer movimento na água elas vinham em cardume e nos beliscavam. Eu sentia como massagem e as meninas como algo mágico.

Stand up paddle no Saco do Céu
Stand up paddle no Saco do Céu

Depois do almoço na Praia de Maguariqueçaba, seguimos para o SACO DO CÉU. Praticamente um lago calminho refletindo todo o verde da vegetação ao redor. Inclusive o nome surgiu porque em noites estreladas a água reflete o céu com perfeição. Ali se concentram diversos restaurantes, vilas de pescadores e pequenas praias. Paramos na Praia do Amor, velha conhecida dos pescadores namoradeiros, mas nem tocamos na areia. A visibilidade estava tão boa para snorkel que minha prima achou uma enorme estrela do mar nas pedras, além de corais e peixes espada em busca de comida. A menor estava extasiada descobrindo a vida marinha.

Ainda paramos na Praia Matariz para estender as cangas na areia e, no final da tarde, chegamos a PRAIA DA FEITICEIRA, próximo a Vila de Abraão. Está estava lotada por ter acesso por trilhas e intenso tráfico de taxi boat. Quem vem a pé passa pela Cachoeira da Feiticeira que quase me fez trocar o mar pela terra. Entretanto, o guia avisou que uma tempestade se formava atrás das montanhas e deveríamos voltar o mais rápido possível. Ele pisou no acelerador e a lancha voava enquanto uma nuvem carregada parecia engolir a Vila de Abraão. Alcançamos a praia no meio de uma ventania e antes da chuva. Naquele momento havia uma monte de gente ansiosa esperando as embarcações voltarem.

Praia Matariz
Praia Matariz

Dizem que no outro lado da ilha, parte de mar aberto, ficam as praias mais bonitas e acredito depois de já ter conhecido Caxadaço e Lopes Mendes. Entretanto, as embarcações só partem para esse lado quando as condições para navegação estão boas, informação confirmada na véspera. Na dúvida, quase sempre tem a opção Meia Volta ou os táxi boat.

Tempestade se aproximando
Tempestade se aproximando

Mais fotos do nosso passeio de lancha em Ilha Grande:

Passeio de lancha pra descobrir Ilha Grande Passeio de lancha para descobrir Ilha Grande Passeio de lancha para descobrir Ilha Grande Passeio de lancha para descobrir Ilha Grande Passeio de lancha para descobrir Ilha Grande

Veja mais artigos sobre as praias do Rio de Janeiro:

Dicas para economizar em Ilha Grande

Litoral Fluminense

O Caribe brasileiro

Comida caiçara e brasileira

Praias pra sonhar 

Séculos de história e aventuras

Mergulho em Paraty

Onde a montanha encontra o mar

Ilha Grande, bonita e aventureira

Tome Nota

Para alugar uma lancha com antecedência, veja na TourOn ou arrisque encontrar preço melhor na hora. Pode pegar privativo ou fazer o tour oferecido por algumas embarcações de 5 até 16 passageiros, opção bem mais rápida e com menos turistas que os catamarãs. O valor médio é R$100 por pessoa (duplica na alta temporada), considerando um número mínimo de pessoas. Éramos 6 e só havia barco para 8, negociado pagamos como se fossemos 7 passageiros. Nos ofereceram dividir uma maior com outras quatro pessoas para diminuir o custo, contudo, o roteiro não poderia ser alterado, então valeu pagar um pouco a mais pela liberdade. Mudamos as paradas e solicitamos parar quando avistávamos cenários especiais. Fora poder ficar mais tempo nos lugares mais agradáveis.

Alugamos com a simpática Margo em uma salinha, quase na frente do Cais de Turismo, com os banners da lanchas exibidos na frente. O tripulante era novato (infelizmente não lembro o nome dele) e foi muito educado e cuidadoso conosco. Aproveitamos a geladeira com gelo pra levar lanche, água e cervejas para passar o dia.

A parada para almoço é opcional, sugeriram e super aprovamos o RESTAURANTE MAGUARIQUEÇABA com frutos do mar, pé na areia e linda vista. Outra vantagem do barco privativo é evitar o tumulto. Éramos os únicos na praia e ainda fizemos o pedido uma hora antes com o cardápio disponível na lancha. Lá deram a dica que poderíamos encontrar tartarugas perto do píer, porém, estávamos sem sorte.

Nossa lancha para 8 passageiros
Nossa lancha para 8 passageiros

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais.

Roberta Martins

Roberta Martins

Publicitária, geradora de conteúdo sobre turismo, idealizadora deste site, fotógrafa e guia de turismo. Há 12 anos relata suas experiências de viagem focando em cultura e ecoturismo. Saiba mais na página da autora.

6 comentários

  1. Já fiz a volta em Ilha Grande a pé e foi magnifico, foi 15 dias mais incríveis da minha vida. Amei mesmo. Agora pretendo fazer a volta de lancha, dizem que é sensacional também, estou louco para fazer.

    1. Eu adoro essa parte do litoral do Rio de Janeiro, mas ainda não consegui fazer a pé e quero muito

  2. suas dicas são realmente muito interessantes.estarei indo com minha família ainda este mês.
    Obrigado.

  3. boa tarde!
    eu e uma amiga estaremos em angra em maio(29) e gostariamos de um passeio das 13h em diante, existe alguma opçao de roteiro?
    att
    omar abbas

    1. Olá Omar, boa tarde. Não somos agência, apenas contamos experiências e indicamos serviços. Consulte a sua hospedagem para reservar passeios ou procure uma agência local para deixar agendado neste horário. Também pode falar com os barcos de passeio na hora mesmo, como será baixa temporada não devem estar lotados.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.