A Gramado dos gramadenses


Antes de começar a leitura, é bom saber que esta é a opinião pessoal de quem tentou morar em Gramado e não se adaptou. É indicado para quem planeja se mudar para lá. Para quem deseja visitar como turista, os seguintes artigos são os recomendados:

Comer e beber em Gramado | Vale dos Vinhedos a partir de Gramado

Acorde com a melhor vista de Gramado | Viajando pelo mundo em escala reduzida

A Gramado dos gramadenses

Por Augustin Tomas o’Brien Caceres

Esta vila de origem alemã e italiana dá o que falar. Com apenas 30.000 habitantes, Gramado hoje é um dos principais destinos turísticos do Brasil. É o melhor exemplo de turismo intensivo no país. A cidade tem eventos constantes, tem natureza ímpar e um caso raro de arquitetura no Brasil onde todos os edifícios conversam entre si. Há um plano de urbanismo muito bem construído onde eles tratam de manter um conceito. É admirável um país da América Tropical, onde o que se vê mesmo são favelas gigantescas crescendo rapidamente, o povo gramadense conseguiu esta proeza.

Lindo caminho que eu fazia para ir trabalhar todos os dias
Lindo caminho que eu fazia para ir trabalhar todos os dias

Isto porque é um povo que trabalha eficientemente e muito. Morei dois anos lá e eu, que também sou muito trabalhador, fiquei para trás. Na fábrica, o batente começava às 7h15, mas eu só conseguia chegar pontualmente atrasado às 7h45 todo dia. Não dava. Acordar às 6h30 da manhã naquele friozinho gostoso, com aquela neblina toda, o ar puro e silencio perfeito para dormir umas 12 horas por dia. Era difícil!

O mais difícil foi a convivência. A cidade é muito pequena e você acaba convivendo com as mesmas pessoas, ou amigos de amigos ou parentes de amigos ou amigos de colegas de trabalho. Todos vão nos mesmos lugares, apesar da diferença econômica gritante entre as duas classes da população (as três ou quatro famílias milionárias que controlam tudo e os pobres). O salário dos gramadenses é muito baixo, eles nem conseguem frequentar os restaurantes dos turistas. Contudo, é uma grande família, pois todos tem uma boa cultura e trabalham muito, da super elite às vilas.

Mas o que são as vilas?

As vilas são os bairros onde os gramadenses moram. A cidade é muito linda, mas a parte edificada, que o turista vê, na verdade, não é habitada. A grande maioria dos edifícios da avenida Central e das casas do bairro Planalto, por exemplo, são de propriedade de porto-alegrenses, paulistas e nordestinos que frequentam a cidade. Os locais trabalham nos hotéis, restaurantes e nas fábricas de 10 a 18 horas por dia. Há fábricas que chegam a colocar comida na portaria para fazê-los trabalhar mais, alegando que, caso não tenham faltas, irão ganhar como prêmio ‘comida’.

O lindo vale do Quilombo
O lindo vale do Quilombo
Meu cachorro da Maria
Meu cachorro da Maria

E dentro desta situação de conviver com o luxo e ganhar baixos salários, o gramadense é um povo insatisfeito e problemático no geral. Eu tive muita dificuldade em me relacionar, até porque a nossa geração perdida no Brasil é muito intolerante, muito imediatista, muito individualista e vazia. Foram tantos os casos de desentendimentos e preconceitos em dois anos de Gramado! Chegava ao ponto de que a melhor parte era pegar o carro e fugir para Porto Alegre nos finais de semana, onde passei ótimos momentos com amigos de verdade que fiz.

As fotos foram tiradas ao longo destes dois anos e falam por si só.

Andando a cavalo na floresta do Hotel Fazenda dos Pampas
Andando a cavalo na floresta do Hotel Fazenda dos Pampas

Veja mais fotos de Gramado:

morar em gramado morar em gramado
morar em gramado morar em gramado
morar em gramado morar em gramado morar em gramado morar em gramado

 

Para turismo em Gramado acesse outros autores:

Acorde com a melhor vista de Gramado

Viajando pelo mundo em escala reduzida

Comer e beber em Gramado

Vale dos Vinhedos a partir de Gramado

 

Tome Nota

Além dos mais famosos e dos diversos chalés, o hotel mais legal é FAZENDA PAMPAS que fica na BR que liga Gramado a Canela. Era um seminário que a Igreja Católica arrendou para um empreendimento hoteleiro e deu super certo. É o meu favorito. Tem zoológico com animais exóticos, tem lugar para cavalgar e fica bem pertinho do centro. Fica na Av. Don Luiz Guanella, 1561. 

As ideias defendidas neste artigo são de total responsabilidade do autor e não exprimem a opinião dos outros colaboradores do Territórios. Da mesma forma os comentários são responsabilidade de cada um que insere sua opinião por ser este um espaço aberto ao leitor.

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais.

Augustin Tomas o'Brien Caceres

Augustin Tomas o'Brien Caceres

Criado em uma família onde se falava espanhol, português, portunhol, italiolo e algo de inglês. Sempre se interessou por outros idiomas e hoje mora nos Estados Unidos e trabalha com comércio internacional na LE Group Industries.

108 comentários

  1. Essa cidade é incrivelmente perfeita.não vejo nada disso que falam,principalmente dos gaúchos!!!

  2. AGUSTIN TOMAS CACERES
    Boa noite, estive especialmente nesse fim de semana passado em Gramado/Canela. Claro, fiquei completamente apaixonada por essas duas cidades, e também fiquei louca para sair de Brasília e ir para Canela, mas como pude notar nem tudo são flores, encontrei duas pessoas que me falaram bem das duas cidades, mas me deram alertaram que morar em Gramado é muito mais caro que em Canela. Pude notar em 3 dos muitos ambientes que estive, que os funcionários estavam chateados e que o responsável por eles, que não consegui identificar se era gerente ou o próprio dono do estabelecimento chamava atenção em meio a multidão de clientes, sei que tem os dois lados da moeda, mas eu me senti constrangida por essa atitude do responsável em reclamar com seus subordinados em frente ao publico. Acredito que deveria chamar a atenção em um local reservado, pois todos merecem respeito. Acredito que por trás de tanta beleza, tem também uma triste realidade da população local e menos favorecida.
    E realmente o valor dos alimentos no supermercado é caro, tive a oportunidade de entrar em um e ver, e olha que comparei com os preços daqui de Brasília que já são bem altos. E também sem nem parar para pensar bem, observei muitas placas de vende-se, isso parece não ser bom sinal.
    Obrigada AGUSTIN TOMAS CACERES por esse esclarecimento, sim voltarei para passear, mas acredito que para morar lá teria que ganhar na loteria. kkkk

  3. oie como está sua estadia em Canela?
    é bom para morar?

  4. Você tem duas alegrias ao comprar imóvel em Gramado, uma quando compra outra quando vende. Custo de vida elevado, preços de alimentos caríssimos, gasolina a mais cara do Brasil, para estacionar perto do centro é difícil e ainda tem que pagar pelo estacionamento na rua, tudo fica no centro, nos bairros não tem comércio, IPTU um horror, as casas a venda se não tiver lareira ou calefação vc esta ralado, no inverno a serração não permite que vc enxergue do outro lado da rua, o preço dos imóveis um horror e dificilmente vc encontra casas com 2 dormitórios é 3, 4 ou 5 considerando calefação e exploração, impraticável. só para visitar, e olhe lá

  5. Postagem bastante informativa. Percebe-se o modelo de sistema em Gramado como sendo o mesmo de outros municípios brasileiros até 130 mil habitantes: 2 ou 4 famílias no controle da cidade, influenciando as eleições e os políticos são suas marionetes; a podridão dos cargos comissionados e a exploração do trabalhador local. Acho que tudo depende do ponto de vista da pessoa. Quando visitei a Venezuela, vi que o Brasil era absurdamente melhor e organizado. Quando visitei a Europa e o Canadá, vi que o Brasil é absurdamente uma porcaria de se viver. Nosso problema como país é nossa Constituição socialista que criam condições para que essas famílias ricas sempre fiquem no controle de tudo e usem políticos para perpetrar-se no sistema. Devíamos pensar no voto facultativo, pois o político seria obrigado a trabalhar (precisamos encarecer muito o voto, para que um político que for comprar, venda um rim e um olho). Devíamos pensar no Parlamentarismo, para reduzir o número de políticos. Devíamos pensar em encolher nossa Constituição e dar mais liberdade ao mercado. O atual sistema não funciona no Brasil.

  6. Olá, bom dia! Meu nome é Antonia e moro no Rio de Janeiro. Meu sonho é morar em Gramado! Penso que toda mudança é difícil, mas cabe a cada um adaptar-se – ou não – àquilo que se propõe. Quanto penso em mudar de cidade, devo levar em conta a cultura, o clima, o povo… tudo é diferente! É como um casamento: vc namora, passa um tempo junto, mas quando convive com a pessoa no seu dia-a-dia, tudo pode mudar. Às vezes levamos uma vida juntos e não conhecemos o outro. Assim é a mudança de local, ou vc se adapta ao ritmo daquele povo, ou volta pra onde se era infeliz, mas já se está acostumado!

    1. Pura verdade! Tenho muita vontade de morar em Gramado também.

  7. Estou morando aqui em Gramado faz um ano. Sinceramente? isso aqui é para turista com dinheiro, tudo
    muito caro, uma verdadeira exploração, além do que uma cidade pequena q n tem um shopping. Fugindo daqui. Com o tempo cansa esse marasmo.

  8. Moro há 20 anos em uma cidade com pouco mais de 40.000 habitantes super tranquila no interior de São Paulo, a 500km da Capital epoderia ser vista facilmente por visitantes como a cidade ideal para se viver e talvez seja, mas eu cansei da arquitetura da cidade, do clima, das poucas árvores nas ruas, da paisagem, do meu quintal pequeno, dos meus vizinhos curiosos e tudo mais. Viajei para Gramado há 6 anos durante minha Lua de Mel e tenho o sonho de voltar para morar lá, se minhas economias permitirem, quem sabe no bairro Bavária ou Planalto.
    Seu texto, apesar de antigo, foi importante para me lembrar que realmente não existem lurares 100% perfeitos e que nem tudo são hortênsias, digo flores, e que o cotidiano da cidade na vida real é bem diferente de ficar uma semana de férias visitando pontos turísticos com dinheiro para gastar, percebe-se claramente que as rotas criadas para os turistas são planejadas para evitar o lado problemático da cidade, ou seja, os turistas são direcionados a ver somente o que importa para o turismo, os problemas ficam em segundo plano e são percebidos apenas por quem mora na cidade, isso não chega a ser errado, é uma questão de Marketing, evidenciar os pontos positivos e disfarçar os negativos.
    Sou designer gráfico e trabalho com desenvolvimento web cerca de 12 horas por dia, meus clientes são todos da cidade de São Paulo e Rio de Janeiro, os atendimentos para suporte técnico são por telefone, conexão remota e web conferência, quando muito, 1 vez por mês preciso fazer alguma reunião presencial ou treinamento, isso me permite morar em qualquer lugar do Brasil, desde que tenha uma boa internet e acesso fácil a um aeroporto, sem risco ao meu negócio ou de depender da economia da cidade em que resido para encontrar um emprego. Sobre o fato de ser ou não “aceito” pela sociedade local, isso para mim e minha esposa também não é um problema. Para você ter uma idéia, em todos esses anos somos completos desconhecidos para 99% da cidade na qual moramos, temos apenas alguns grandes amigos com os quais nos reunimos em casa para jantar, assistir filme ou conversar, nunca tive essa necessidade/pretensão de “ser alguém conhecido”, de ser aceito ou de participar da “alta sociedade”, não que eu seja chato, muito pelo contrário, sou super cordial e educado com todas as pessoas que encontro, porém passo a maior parte da semana dentro do meu Home Office atendendo aos meus clientes ou desenvolvendo novos projetos.
    Não temos o costume de comer fora, modéstia parte, minha esposa cozinha muito bem, o que precisamos é de um bom mercado ou atacadista, mesmo que seja em uma cidade vizinha, para fazermos as compras do mês, algumas verduras nós mesmos gostamos de cultivar e se na nova casa houver espaço, melhor ainda.
    Me parece que Gramado ainda é pacata para se viver, preciso de tranquilidade para trabalhar ou deixar minha esposa e filho quando for viajar, uma boa escola para o meu filho, um serviço de saúde satisfatório, seja ele público ou privado e opções para passear nos finais de semana com a família. Com o tempo faremos novos amigos em Gramado e tentaremos de todas as formas não invadir seu espaço nem muito menos desrespeitar seus costumes ou sua cultura. Até que isso aconteça nada mais gostoso do que receber a visita dos velhos amigos que terão sempre uma cama macia e 3 ou 4 corações quentinhos para recebê-los, quando quiserem nos visitar.

    1. Nossa penso exatamente como vc … até parece que era Eu que estava escrevendo! Que susto !!!

    2. Parabéns Régis! Quero muito morar em Gramado, minha esposa também está de acordo, falta-me coragem. Gostei muito do seu comentário. Caso decida morar em Gramado ou Canela gostaria de tê-lo como amigo . Um grande abraço!
      gilmaralvorada@gmail.com

  9. Sou de Brasília e fui à Gramado com minha família e gostamos muito.
    Fiquei poucos dias, cerca de 5 dias apenas, mas tenho vontade de voltar.
    As pessoas são bem educadas e nenhum momento me senti desconfortável no local.
    Vai de cada um….como enxerga as coisas né ?

  10. Olá Augustin, estou indo morar em Canela inclusive já comprei uma casa lá…fiquei um pouco preocupada depois de ler teu relato…o que me diz de Canela, é igual a Gramado?

    1. Olá Nayanne. Morei em Canela nos anos 90. Adorava. Fui estudar Hotelaria lá. Convivia mais com os colegas. Pessoas de diversos Estados do Brasil. Amei aquela época. Acredito que tenha sido exatamente por isso:diversidade de culturas entre pessoas na faixa dos 20 e poucos anos. Atualmente muitos amigos moram em Canela. São pessoas não gramadenses e não canelenses que foram abrir negócios ou se aposentaram e resolveram morar na serra. Curto ir pra lá para revê-los, mas só me relaciono com eles. Quanto aos nativos, tenho quase nada de contato. Percebo que se isolam. Nem todos locais moram em vilas. Minha sugestão é tentar se relacionar com pessoas de fora e que moram lá. Ai, sim, pode render grandes parcerias, amizades, jantares, almoços etc.

      1. Amigo vc esta de parabéns viajo sempre a gramado e cada vez que vou me surpreendo mas imbecís como estes que querem denegrir não tem credibilidade para isso

  11. Bem, entrei nesta postagem com a intenção de entender melhor a cidade mais visitada do Sul do Brasil, e no entanto, me deparei com críticas completamente sem nexo, com sátiras ao povo que habita essa região, e principalmente, com informações totalmente distorcidas. E depois, lendo alguns de teus comentários, me deparo com a seguinte frase: ” os gaúchos são muito violentos, assim como os uruguaios e os argentinos”, eu segurei o riso neste momento. Se tu tivesses feito uma pesquisa bem rápida, saberias que o RS sempre foi o “estado modelo” do país, um dos primeiros estados nos índices sociais, inclusive um dos estados menos violentos, o segundo em segurança (atrás somente de Santa Catarina). E quanto aos nossos hermanos uruguayos y argentinos, ambos possuem qualidade de vida superior ao Brasil, o Uruguai, um dos melhores países do mundo para aposentados viverem, o segundo IDH da América Latina (atrás do Chile somente) e a Argentina, terra do tango.
    Depois, eu não sei pra quê essa ânsia em desqualificar Gramado, a cidade ó terceiro destino mais visitado no Brasil, agora em 2015 foi eleita a cidade preferida dos viajantes, já ficou à frente de Bariloche em diversas ocasiões, é eleita o melhor destino de inverno do Brasil consecutivamente há muitos anos, é inclusive uma das dez cidades mais românticas do planeta. Com relação aos preços, qualquer cidade que sobreviva a partir do turismo, é cara naturalmente, Florianópolis, Porto Seguro, Balneário Camboriú também são mega caras (inclusive agora SC cobra taxa extra dos turistas que pretendem veranear por lá), portanto, esse papo não cola. Existem opções mais baratas em restaurantes e hoteis, em Nova Petrópolis e Feliz, vizinhas de Gramado, os preços são mais em conta.
    O modelo social de Gramado é exemplo para o mundo, TODOS os motoristas param o carro na faixa de pedestres, não há semáforos, ninguém joga lixo nas ruas, não há violência, não só Gramado mas como em toda Serra Gaúcha, isso é cultural, nada lembra a América Latina “pobre e violenta”, digo o mesmo do Uruguai, sul da Argentina e Chile: ruas limpas, ausência de favelas, trânsito de primeiro mundo e pessoas civilizadas.
    Uma pessoa que levanta tarde e chega meia-hora depois do expediente, não tem crédito para criticar os outros, aqui na Serra Gaúcha é assim: pontualidade e civilidade, ninguém explora ninguém, se assim fosse, Gramado e Canela não teriam público recorde todos os anos, não seriam o destino número 1 de inverno. Se teu objetivo era desmoralizar os gaúchos e suas cidades, perdeste teu precioso tempo, nossa história, nossa tradição, nossas conquistas, são referência ao Brasil, então, essa postagem não tem valor algum.
    Sugiro que te dediques ao teu trabalho, mas cuida para não chegar atrasado tá bom!

    1. Caraio , tu escreveu uma bíblia
      Para de viadagem

      1. Não gostou da verdade que eu postei? problema é teu!!!

    2. Parabéns…

    3. Perfeito!

    4. Concordo plenamente com você. Disse tudo. Fui conhecer e me apaixonei, agora pretendo ir morar lá. Estou fazendo pesquisas e me deparei com isso, mas agora seu comentário me tranquilizou, pois fui justamente a impressão que tive ao conhecer esta bela cidade.
      Obrigada!

    5. Olá, Douglas,
      Que alegria – e alívio – encontrar o seu comentário neste momento em que, sonhando com o dia em que poderei viver na serra gaúcha, procurava encontrar alguém que me pudesse fornecer informações sobre a região, além daquelas óbvias que os turistas encantados ou os recém chegados decepcionados pudessem oferecer. Tudo o que você escreveu só me incentiva a continuar a alimentar este sonho, que espero um dia poder realizar. Parabéns pelo seu texto e muito obrigada!
      Márcia Sarcinelli

    6. Concordo em parte…Gramado e Canela São encantadoras e bem Seguras quanto a questão Segurança. e em relação a preços de Supermercado acho até mais Barato que aqui em João Pessoa PB. Acho Gramado e Canela e a Serra Gaúcha em Geral o Orgulho do Brasil.mais Porto Alegra acho super Violenta assim como João Pessoa tbm.

  12. Agustin
    Onde foram parar todos os comentários já escritos para este post, inclusive o meu, rapaz?
    Havia muita coisa boa e verdadeira nos comentários que simplesmente “sumiram” do post !
    Alexandre

    1. Olá Alexandre, nosso sistema mudou e os comentários de todos os posts estão sendo inseridos aos poucos manualmente o que tem levado bastante tempo. Mas não se preocupe que todos os comentários voltarão exatamente como estavam.
      Bom saber que nossos leitores estão atentos, obrigada pelo seu contato

      1. oi Roberta… por favor, continue esse trabalho porque os comentarios eram mais valiosos que os textos! estamos falando deu m livro que pode vender de 250,000 a 450,000 copias.

  13. Helena, vejo muito de conformismo Sudaca no teu texto, mas sim voce esta coberta de razao e complementa bastante o assunto de forma civilizada. Uma pena as nacoes do Terceiro Mundo estarem sempre pior, nao conseguem sair do buraco. O Brasil, apesar da corrupcao, da falsidade ideologica, da lavagem de dinheiro, do estelionato, do trafico de drogas, do contrabando, do nao respeito aos direitos humanos e ao roubo constante de propriedade intelectual conduzido todo o tempo nas altas classes do pais, a comecar pelo Lula e pela Dilma Rousseff. Ate o Silvio Santos tem diversos processos judiciais internacionais por roubo de propriedade intelectual, Maluf tem mandado de prisao pela Interpol, a ficha da Dilma eh suja, o Lula e’ ex-presidiario e por ai vai. Na America Latina, voce tem que ser psicopata para ter sucesso. Caso contrario, vai ser sempre uma ovelhinha idiota explorada pelos poderosos psicopatas do Terceiro Mundo.

    Essa relacao com os mortos e’ tipica dos paises Catolicos do Terceiro Mundo. Sao povos selvagens e que se aferram a ideias das religioes africanas provavelmente, onde cultuam a morte, o woo doo, etc. Apesar da populacao euro-descendente na America do Sul ser de aproximadamente 60.000.000 e dos brancos na America do Sul serem muito discriminados especialmente pelos Hispanicos na America do Sul, a influencia iluminista europeia e’ bem pequena na regiao. A maioria dos brancos se comportam como selvagens tambem e sao apegos a culturas exoticas indigeno-descendentes e afro-descendentes.

    No caso do Brasil, por exemplo, os euro-descendentes se apegam a cores para transmitir sua fe. Uma religiao que na Europa nao existe ha mais de 3.000 anos, mas ainda e’ bastante viva entre os povos selvagens urbanos e rurais da America do Sul.

    Nao ha quase nada de opiniao pessoal no meu texto. Conforme detalhei e pela maioria dos comentarios e eu que residi no povoado de Gramado por 2 anos, posso estimar muito precisamente que dos 30.000 gramadenses, 28.000 concordam com o meu ponto de vista e podem ilustrar a realidade local e do Terceiro Mundo com fotos e historias ate particulares vividas por ele nessa nacao pobre, desorganizada, criminosa e subdesenvolvida do Sul.

    A melhor parte do teu texto é teu comentario sobre do que se trata o espetaculo de horror da America do Sul hoje: “A criminalidade dos psicopatas da America do Sul regida pelos Mortos” seria o titulo do estudo sociologico sobre auto-destruicao das sociedades civilizadas da America do Sul no periodo de 1950-2020. Foram necessarios 70 anos para um continente inteiro se auto-destruir!

    “Os politicos e empresarios da America do Sul estão acabando com tudo e todos na América Latina e na Africa! Na Venezuela manda um morto, na Argentina é a mulher do morto que idolatram o morto Peron e a morta Peron, em Cuba manda o irmão do morto que eles nao consideram morto e no Brasil é a marionete de um semi-analfabeto psicopata e alcolatra que é muito inteligente, mas se finge de morto para sobreviver, corromper, matar e roubar ainda mais.”

  14. Eu sei que esse post foi escrito há muito tempo, mas sempre acho válido deixar um comentário para os que ainda vão vir. Primero, achei o texto excelente, é sempre bom ter diferentes perspectivas sobre o mesmo tema. Só faço uma ressalva: nesses temas é sempre importante (e necessário) ressaltar em letras garrafais mais de uma vez que isso é uma opinião pessoal. Parece besteira, mas tem tantos trouxas por aí que vai saber. Como você mesmo disse, você é responsável pelo que você diz não pelo que os outros entendem.

    Assim sendo, vamos lá para os comentários: opinião é como gosto né? Cada um tem o seu. Não é porque você leu que um lugar é A ou B que você vai passar a achar que aquele lugar realmente é A ou B. No máximo, você vai lembrar da opinião que você leu e isso pode pesar na hora da balança. Desigualdade, pobreza, violência, falta de serviços público, isso tem em todo Brasil e Gramado não é exceção. Algumas cidade têm em menor, outras em maior escala. Aliás, se fosse diferente, não seria Brasil e sim Suíça! Acho que assim como outros lugares, Gramado tem mais atrativos que desvantagens, aliás, como o próprio Brasil. Se não fosse assim, nenhum estrangeiro visitaria o país porque em todos os lugares a imagem que o Brasil projeta é sempre a mesma: samba, futebol, criminalidade e mulher gostosa.

    Cidade turística é sempre cidade cara! Principalmente se a cidade for pequena, porque aí tudo, absolutamente tudo, gira em torno do turismo! Vi gente comparando uma cidade turística (Florianópolis) com outra (Gramado). Nem preciso me estender muito nessa comparação absurda né? Basta dizer que uma é uma capital com 1 milhão de habitantes e a outra não chega nem aos 100mil. Aliás, se você insistir no erro da comparação, vai ver que a própria Florianópolis pode ser caríssima diante de uma megalópole tipo Rio de Janeiro.
    Aliás, me espantei de não ler no post sobre ‘mãos leves’ porque toda cidade que tem muito turista, sempre atrai muitos praticantes de pequeno furto.

    Poucas vezes eu fiquei tão pasma com um comentário na internet quanto o da criatura denominada Alexandre. A criatura gostou da cidade, quer comprar uma casinha em Gramado, mas como viu muitas ofertas e leu esse post zapt! Chegou à inacreditável conclusão de que a cidade serrana não é um lugar bom pra se viver, pois se o fosse não teriam tantos imóveis disponíveis!

    Realmente caro colega, você não merece ter um imóvel, nem em Gramado nem em lugar algum! Qualquer comprador, antes, faz pesquisa de mercado, conhece a região, a cidade, os locais, mesmo que seja pra um imóvel de férias. Aliás, se o amigo tivesse feito um mínimo de pesquisa, teria descoberto que não só Gramado como o Brasil, em geral, vive o chamado boom imobiliário. Ohhhh! Isso mesmo, muitas construções, muitas facilidades de financiamento e muitos compradores. E tudo isso implica em quê? Mais imóveis à venda! Ohhh! Por sinal, já li de uns dois economistas que, se o Brasil não puxar o freio no setor, em breve será vítima da mesma crise das hipotecas que atingiu os EUA e se espalhou pelo mundo (guardadas as devidas proporções porque dada a nossa falta de representatividade política e econômica, uma crise dessa acabaria com o Brasil e, no máximo, se alastraria pela América Latina).

    Fico cada dia mais pasma com a habilidade que as pessoas hoje em dia têm de querer sempre o mínimo esforço! Sobretudo no Brasil. Vêm na internet, copiam um trabalho e entregam na faculdade. Dão um google e já têm a opinião formada sobre os mais diversos assuntos. Querem saber sobre algo específico? Entram em um blog, deixam um comentário pedindo pras pessoas enviarem as informações desejadas em seus e-mails (porque os outros podem ter o trabalho de enviar o email, mas a pessoa não pode ter o trabalho de fazer uma pesquisa minuciosa).

    Enfim, pra esses aí, fica um conselho: mais vida ao vivo e menos internet!

    E para o Agustin, concordo, esses políticos do Foro de São Paulo estão acabando com tudo e todos na América Latina! Como diz uma frase por aí: na Venezuela manda um morto, na Argentina é a mulher do morto, em Cuba manda o irmão do morto e no Brasil é a marionete de um analfabeto que é muito vivo, mas se finge de morto!

  15. Agustin trabalhou na empresa S… em Gramado.

  16. Agustin Caceres

    Fui a Gramado recentemente a passeio, passei pouco tempo na cidade, por isso não tive como conhecer tudo, pois não imaginava que essa cidade tinha tantas coisas para se conhecer e experimentar, é um lugar encantador, lindo, parece cinematográfico, da vontade de morar por lá, mas sei que a realidade para quem vive por lá é bem diferente, mas nada de anormal, pois para uma cidade que depende 90% do turismo, eles tem de estarem preparado para nos receber e realmente nunca tinha visto um lugar tão bem preparado para o turismo. Tem lugar caro? tem. Tem lugar barato? tem. Depende do que você tem para gastar. Eu e meu esposo fomos e voltamos com dinheiro. Acredito que se você nunca coheceu a cidade, tem que gastar mesmo para poder conhecer os lugares e atrações, provar as comídas típica e etc. Agora da próxima vez que formos lá, vamos gastar bem menos, pois já não iremos mais em todos os lugares que um turista não pode deixar de conhecer.

    Voltando a questão “moradia”, acredito que Gramado é uma cidade para quem já gosta de interior, eu sou de uma cidade pequena aqui do Maranhão e creio que não teria dificuldade em me adaptar a outra, ainda mais sendo Gramado. Convivência é questão de maturidade para saber entender os costumes e cultura de outras regiões, pessoas más, boas, receptivas ou não, vão existir em todos os lugares. Você que morou nessa cidade com certeza sabe entender melhor como é o seu dia a dia, mas as vezes um desentendimento com pessoas ou com seu trabalho pode ter gerado esse registro decepcionante de como é a vida por lá, mas também chegar atrasado todo dia? Fico até surpresa disso ainda ter sido suportado pela empresas de lá, porque aqui na minha região, você já tinha sido demitido no segundo dia!
    Enfim, infelizmente todo lugar tem seus prós e contras, mas o que eu pude ver em Gramado nos poucos dias que fiquei por lá é que é uma cidade de gente batalhadora, organizada, que preserva suas raízes e tradições e isso é admirável perto do que vemos na maior parte do Brasil, realmente lá nem parece ser o Brasil de tão organizado e democrático que é!

    Gramado, cidade maravilhosa sim! Quem sabe eu me mude para lá algum dia.

    1. CRIS GOMES .. concordo com você! Acredito que gramado pode ser bom para alguem viver e péssimo para outro. Tudo é questão de saber conviver e superar as dificuldades. Chegar atrasado todo dia por causa do frio? hummmm Lugar errado (Senti vergonha alheia) , já que na serra a temperatura sempre é mais baixa.

      #Não levo em consideração os pontos negativos da matéria .

  17. Olá
    Estou me preparando para ir morar em Gramado, pois irei estudar na Castelli em Canela, pretendia encontrar um emprego na minha área que é chocolate será que emprego nesta área é muito difícil? E também explorador? Como diz o texto a cima. Sei também que como em qualquer lugar do mundo existem problemas de lidarmos com pessoas, segurança entre outros creio que isso é superável, já que no meu caso estou em busca de um trabalho e estudar. Mais vou ser sincera fiquei um pouco abalada quanto a passar esta temporada por lá, e agora se para mim já estava difícil ficou muito pior não que eu me abale facilmente, mais ficou complicado e um pouco assustador, com essa historia que ainda existe manipuladores milionários dentro da cidade isso para mim é um pouco fantasioso. E eu que achei que complicado seria morar nos EUA rsrsrsrs. Ei sou brasileira e esse é o meu país, ou seja, cadê a tão famosa receptividade e o calor do brasileiro? Isso é o Brasil.

  18. Sel duvida que nada se faz sem esforços e existem regras ,para se ter paz e presiso trabalhar e saber respeitar as regras cada povo tem suas tradições ha que respeitar os valores de cada uml abraços daqui de França Tolouse

  19. Bom dia a todos gostava saber como investir em Gramados numa Pastelaria Portuguesa Francesa obrigado se alguem me poder ajudar

  20. Olá Agustin Tomas! Seria possível você entrar em contato comigo pelo e-mail. Eu gostaria de tirar algumas duvidas com você! Agradeço desde já!

  21. Oi Agustín Cáceres!

    O seu post me ajudou bastante pra que eu me decida definitivamente por Gramado e pelos gramadenses já que num conheço quase nada… Claro, que “relatos” são diversos e opniões más e boas todo mundo tem, entretanto o limite está em saber cómo plasmar corretamente o nosso ponto de vista.

    Igualmente, que dá igual que sejas argentino ou brasileiro (eu tenho muito bons amigos argentinos que eu estimo muitíssimo) e de outras nacionalidades também.

    A gente só devaria citar realmente o que conhece. Por exemplo, eu sou cearence, de Fortaleza, do Nordeste do país, também tenho contatos com gaúchos, não no próprio Rio Grande do Sul, porém fora, e até o momento presente nunca sofri nenhum tipo de discriminação ou preconceito por parte deles, talvez um dia o venha surgir, mais ainda não se deu o caso, como também já me aconteceu casos dessa natureza na minha própria cidade natal e inclusive na cidade que eu resido atualmente. Essas coisas se dão no mundo todo e você deve saber bem disso, o primeiro passo é olhar profundamente pra dentro de “casa”, pro próprio povo argentino… já que os de casa sempre falam mais que os de fora.

    Com isso eu pretendo te dizer que muitas vezes levamos idéias já preconcebidas ou encontramos determinados tipos de pessoas desagradáveis que não temos o por quê de prestar-lhes à atenção. Mais como você mesmo relatou, muito “estudo” e muita “cultura” muitas vezes num querem dizer muita “educação”, isso podem se tornar apenas muito “papéis” guardados na tua gaveta. O que vale hoje em dia é o “ter”, dinheiro no bolso mesmo, a formatura é só pra dizer que se tem, na hora do pega pra capar mesmo, só funciona quem sabe se desenvolver corretamente… e isso em qualquer lugar do planeta minha gente.

    Eu vivo há 10 anos na Europa e só tenho algumas experiências (tenho dupla-nacionalidade pelo meu pai) e já uma mentalidade voltada ao exterior bem mais do que quando vivi na minha terra natal, minha infância (tenho agora 28 anos).

    Se realmente, Gramado e os gramadenses são pessoas corretas e trabalhadoras, esse é o lugar idóneo pra uma pessoa como eu.

    Também não entendo algumas reclamações de algumas pessoas, por exemplo, no fator turismo. Uma cidade turística vive essencialmente do turismo e por tanto, tudo está voltado ao turismo. Então, como é que você pretende que o nível de vida seja baratinho? Não tem lógica, e é por isso que você deve ter apreciado isso em outros lugares “turísticos” que você “supostamente” frequentou.

    Se a cidade é pequena e de gente da região, o mais lógico é que eles queiram manter a sua “cultura” intacta no processo dos tempos, e isso para mim é muito admirável de um povo, que pode ser gaúcho ou não. Um povo que num mantêm as suas raízes ou tradições, não têm nada que oferecer, não têm uma identidade própria. Por isso que eu admiro a gente do Sul, que dá igual que vinheram há tempos remotos das guerras de por aí a fora, mais num sei, fizeram jus aos seus sofrimentos: plantaram, industrializaram e comercializaram a região, pra hoje em dia terem seus padrões de vida estabelecidos. Claro, que por exemplo, num se pode pedir pra gerenciar algo tendo experiência de garçom. Tudo supostamente deveria ser acorde o que você plantou e colheu na sua vida, ou melhor dito, tudo acorde a sua formação e/ou experiência(s) e/ou desenvolvimento.

    Acho que a gente, que tem o costume de ir e vir, temos a obrigação ou o dever de tentar penetrar nessa sociedade, no caso, na gramadense, se é lá ou aí que queremos estar.

    Não me parece nada correto de sua pessoa conseguir o récorde de chegar atrasado no seu trabalho todos os dias de 1 a 30 minutos supostamente sem justificação alguma, só porque assim você decidiu, desculpa que lhe comente, mais se você postou é pra se comentar, né?!.

    Porém esse prototipo de pessoa me tira totalmente a credibilidade e explico o por quê para mim.
    Como empregada numa empresa ou nessa que você citou (dá igual ao posto que opere) me fere como profissional que o meu companheiro ou chefe venha quando ache conveniente vir ao trabalho; qualquer empresa, colega, devería ter estabelecida umas normas, uns procedimentos e passos a seguir. Minha conclusão, é que essa empresa que te aceitou juntamente com esse mal comportamento, foi muito complacente contigo, e por isso, deveriam ser complacente com todos os outros ou demais funcionários também, e o resultado disso todo mundo já sabe: viraría um verdadeiro caos ou a “casa da mãe Joana” , tudo isso levando ao risco de fechar as suas próprias portas por purissíma incompetencia de organização e outros “ins” acordes…

    Agora como propietária numa empresa ou nessa que você citou, lamentávelmente já tinha te dado às contas há muito tempo sem nem querer saber mais nada, e posso imaginar de tanto escutar como está a Itália, talvez num seja esse sonho todo que você almeja.

    Colega, não existe “profissional insubstituível”, sempre existe um que supera ao outro, nada e ninguém é eterno, isso já sabemos. Por isso, te recomendo, a que leve cuidado com essa forma de ser e esse comportamento revoltado; pela internet tudo é possível, porém pessoalmente nem tudo é válido e motivo de aplausos.

    Violência (assaltos, homicídios), tráfico (armas, drogas, pessoas), corrupção (governamental, entre particulares e públicos), branqueio de capital, desemprego, inflação… Uff! Um cem fim de malezas que sofre o planeta terra, tá ruim einh?! Se a maioria não usa o cérebro e só sabem dizer “Isso é brasil!” ou “Isso é coisa de brasileiro!”, desculpa a expressão, merece todo mundo porrada mesmo. Se tem que saber apreciar também as coisas boas, apreciar a inigualável qualidade de vida que se tem no Brasil e que muitos brasileiros também não dão valor. O ditado mais certo que dizem: ” a gente só dar valor aquilo que se perde não o que se deixou de ganhar”…

  22. Oi Marta, Gislene e Marcia,
    Obrigado pelos comentarios. Fico feliz com discutir realidade. Dentro das coisas diferentes da America Latina, uma grande é a surrealidade. Por algum motivo, é um continente onde se discutem milhoes de ideologias e pensamentos abstratos, falsos taboos, falsos objetos de status, muita fofoca, muito julgamento… para quem ver? No final, estao todos brigados e sozinhos. Uma forma ate mais abrangente de apresentar esses problemas todos relatados no post e que sao apenas um exemplo do que vivemos cotidiano latinoamericano inclusive nas cidades e bairros povoados por latinoamericanos aqui nos EUA, como Miami, por exemplo.
    Concordo com as criticas, elas complementam o texto, dando continuidade a ideia central. Agradeco os elogios. Finalmente alguem me entendeu com relacao ao cachorro! Meu Deus. “Meu cachorro de alguém” é visto como algo até carinhoso por um leitor que fala português de Portugal. É fato que a deterioração moral e a criminalidade generalizada na America Latina de 2013 choca quem nao mora mais ai e que os governos atuais evitam apresentar referencais boas para re-educar a populacao, pois senao ficaria muito obvio que eles sao horriveis, mas tentem ler e acessar sites ou midia estrangeira, conversar com pessoas que viajam. Da mesma forma como sobrevivem os cubanos há mais de 50 anos. Assim entendem que uma boa parte do mundo nao mudou. Com relacao a educacao, moral, valores, nossos irmaos europeus, americanos, canadenses, japoneses, etc nao mudaram em nada. Tudo continua como é há centenas de anos. Certo é certo. Bom é bom. Isso tá errado, isso tá certo. Isso é bonito. Isso é feio. E existe aquela preocupacao pelo bem comum. Igual era uma boa parte do Brasil e da Argentina mesmo até algumas decadas atras. Quem convive com os avós ou latinoamericanos com mais de 60 anos, sabe bem como era antigamente nos nossos paises. Basta perguntar que eles adoram contar como era tudo antes da grande deterioraçao ocorrida nos ultimos 30-40 anos.
    Com relacao a pergunta onde moraria-se bem no Brasil, eu diria que qualquer lugar. A decadencia é geral. Entao isso de que vai se mudar para uma cidadezinha pequena na praia ou em alguma montanha ou morar num bairro famoso do Rio ou de Buenos Aires, da na mesma. O interior tá até pior eu diria. Há muita criminalidade pois os bandidos circulam facilmente de um lugar a outro. Ouvi por exemplo, que com o problema da Copa do Mundo no Rio, a criminalidade toda fugiu para as cidades do interior do estado fluminense, para Sao Paulo e para Florianopolis, por exemplo. Vai ter uma casa na praia no litoral paulista ou gaucho hoje em dia, por exemplo… Tem que colocar microondas, ventilador, almofada, tudo no carro se for sair de casa, porque voce volta e tá tudo roubado.
    Os governos latinoamericanos, com o auge do novo sitema politico, que foi diagnosticado como ‘Fraude Sistemica’ encheram o continente inteiro com favelas e criaram uma nova classe social, que hoje representa 80% da populacao latinoamericana e tem seus proprios valores, habitos, cultura, etc… Na França os chamam de ‘lupinianos’. Essa populacao nao entende a nossa cultura, nossos valores, nosso estilo de vida. Nos que somos o que sobrou da civilizacao ocidental na America Latina. Entao eles vendem seus votos para os grandes lideres da Fraude Sistemica (ou Revolucionarios Bolivarianos, tais como: Sarney, Lula, Dilma, Cristina Kirchner, Chavez, etc) e depois retiram suas pensoes nos postos de atendimento que os fraudadores instalaram em pontos estrategios em todas as novas e tradicionais favelas do continente.
    Dai estamos nós… Os que estamos fora ou nao entendemos esse novo sistema. Tanto os grandes lideres como os lupinianos nao nos entendem. Eles nos observam superficialmente e nos acham pessoas ‘complicadas’, chatas, complexas, esnobes.. Dificeis de entender. Da mesma forma que eles enxergam americanos, europeus ou japoneses por exemplo. Somos estrangeiros hoje em dia, dentro do nosso proprio continente. Entao nao tem jeito… eles vao roubar mesmo. Vao criticar, vao tirar vantagem, etc… Eles nao nos entendem e nem querem entender. Entao olha… Para sobreviver hoje na America Latina tem que entender o novo sistema e ver como se adequar. Eu, normalmente, me isolo, que é o que a grande maioria faz. Porque nao me interessa muito a nova cultura, a nova organizacao e, muito menos o novo estilo de vida Latino Americano. Sinceramente… ficar numa fila de uma instituicao para pegar uma bolsa-familia, vender meu voto para qualquer um que diz que me da essa bolsa e ficar o resto do tempo procurando gente que nao participa do esquema para tentar oferecer algum servico ou roubar mesmo é tao pequeno, tao simples. Eu prefiro ser complicado mesmo! Sempre fui assim. Há tantas geracoes. Meus antepassados italianos, espanhois e irlandeses foram para a America sem dinheiro algum. Fundaram empresas de transporte, distribuidora, fundaram cidades (sou descedente de Felipe de Caceres e há varias cidades com o nome de Caceres na America Latina) e me acomodar num sistema tao pequeno, tao bobo, tao simplista. Um sistema que ainda nem se sabe em que vai terminar. Imagina… O Lula gastou bilhoes para mandar um cidadao plantar feijao na lua. A Dilma tentou cantar ‘o mineirao voltou oh oh oh oh’, a Cristina Kirchner se jogou em um buraco na terra no Vietnam e fez um churraco com o Maradona em Dubai. Para a maioria deste novo cidadao latino-americano de 2013 tudo isso é super importante, mas eu prefiro deixar de me considerar latino-americano. Estou iniciando inclusive meus tramites para a reconstrucao da cidadania italiana e poder oficialmente assistir de fora as grandes mudancas. Estive em Buenos Aires semana passada: conseguiram encher a cidade com favelas e lupinianos. Sinceramente… nao é muito pequeno tudo isso? Aniquilar uma sociedade complexa, milenar que existia para instaurar o regime ‘bolivariano’: comer, dormir, prazer. Na França, muita gente nos chamam de ‘simple spirits’ e ‘selvagens’ mesmo. Na Italia, dizem que vivemos ‘on a daily basis’. Na Alemanha, dizem: ” porque os latinoamericanos falam tanto? parece que nao pensam’. Em ambito diplomatico, ingleses, americanos, europeus, asiaticos nao gostam de fazer reunioes com latinoamericanos pois estao sempre ‘fazendo reunioes para marcar novas reunioes’. E somos conhecidos mundialmente por ‘cucaratchas’. Em outro post, explico o porque do termo… mas nao cucaratcha nao quero ser! Ja estou em foco direto para me livrar desse carma.
    Resposta entao: se isole. Muita gente esta fazendo isso para sobreviver de forma ‘normal’ na America Latina. Nao assista TV local alguma, nao se deixe contagiar pelo negativismo, pelo sensacionalismo com os horrores que as TVs mostram repetidamente. Foque-se em noticias de violencia, corrupcao, trafico de drogas e lavagem de dinheiro que voce ouvir na sua vizinhanca mesmo, ou entre seus amigos ou algo que ocorreu na rua onde voce mora e vai ver que é bem menos do que a TV brasileira ou argentina ou mexicana mostra. Nao se deixe intoxicar por novelas financiadas com dinheiro roubado pela Fraude Sistemica que só ficam repetindo historias sobre trafico de bebes, trafico de prostitutas, e esse culto idiota ao sexo como forma principal de sobreviver, etc… Foque no que é palpavel perto de voce, pois isso é igual no mundo inteiro. Voce pode morar em Miami num lugar horrivel ou em Sao Paulo, num lugar maravilhoso. Claro que quem vive nesse lugar em Sao Paulo, vive melhor!
    E por ai vai… Un beso a todas!

    1. Agustin,
      Você falou tanto, quanto eu costumo fazer. Sou aposentado e preencho meu tempo escrevendo, minha grande paixão. Moro em Fortaleza, num lugar relativamente calmo, pois um tanto isolado. Você falou muito aí em isolamento, e é o que eu realmente pratico. Passo uns 99% do meu tempo em meu gabinete, trabalhando e lendo. A televisão (mesmo a por assinatura) me causa aborrecimentos cada vez maiores e mais frequentes. Os temas predominantes, em larga escala, são: violência, corrupção, miséria, bala perdida, e assemelhados. Quando vejo uma reportagem sobre o Rio de Janeiro, tenho medo que uma bala saia pelo televisor. Mesmo assim, os cariocas que conheço dizem que a coisa lá não é bem esse faroeste. Bom, como aposentado (também a minha esposa), poderia, em tese, morar em qualquer lugar (e continuar escrevendo meus livros). Pensei em Gramado, como tantos aí acima, mas lendo essas postagens cheguei à conclusão de que o mal (da violência) é generalizado, e se generaliza cada vez mais.
      Há algumas décadas, Fortaleza era uma cidade pacata, eu e meus amigos muitas vezes voltávamos para casa a pé, altas horas da noite. Hoje, dizem que é a sétima mais violenta do mundo (como chegaram a esse número cabalístico, não sei).
      Parece que procurar um “paraíso” no Brasil, é mesmo que procurar virgem na zona. No entanto, quando passo uma temporada longe daqui (principalmente na Europa), bate a saudade, não só da família, como da cultura e – talvez – até dos nossos vícios. O Sul do Brasil é tido como algo assemelhado ao primeiro mundo, mas quando olhamos de perto (“de perto ninguém é normal”, diz o adágio), vemos que as mazelas são praticamente as mesmas, se não piores. Violência ao gosto do freguês, certa discriminação com várias minorias, e – também – muita ignorância e miséria.
      Tenho um estudo sobre as origens dessa desgraceira toda. A abolição dos escravos, tida como um grande momento da nossa história, na verdade foi uma fonte de um festival de mazelas. No dia seguinte ao da Lei Áurea (nome pomposo para um erro faraônico), 13 de maio de 1888, tínhamos milhões e milhões de desempregados, analfabetos e sem qualquer especialidade profissional, vagando pelas estradas. Foi um erro colossal. Não houve qualquer planejamento, qualquer preparação, de forma progressiva e estudada com critério. Aquele contingente de ex-escravos passou a constituir um acervo fantástico de mão de obra a preço de banana, às vezes em troca apenas da alimentação. Aquilo afetou não só os negros, como toda a população pobre, que viu o salário despencar de ladeira abaixo. Na minha juventude (hoje tenho 70 anos) ainda alcancei uma instituição chamada de “sujeição”: o trabalhador rural era obrigado a dar dois dias por semana ao patrão, ao preço que este bem quisesse pagar. Bom, isso perpetuou-se até os dias de hoje, gerando o famigerado salário-mínimo, coisa de senzala. E já foi pior.
      Para não me alongar muito: não vejo saída digna para os dias que me restam. Às vezes isso me soa meio desesperador. Chego até a pensar em suicídio. Mas vou levando a vida, escrevendo meus livros, prisioneiro no meu gabinete de trabalho. Ainda bem que tenho uma família maravilhosa (que, se por um lado me dá prazer, por outro me traz preocupação). Até me conformo com a frase de Cícero: “vamos pensar na vida, porque a morte é certa.”

      1. Verdade. É assim mesmo Mas nem pense em suicidio. Tanta coisa pra se fazer! Escreve posts com fotos das suas viagens e envia para a Roberta publicar.
        Obrigado por comentar.

  23. Gramado é lindo, mas se é assim desse jeitinho pitoresco eu não moraria nem de graça! Morei no interior e sei bem como é isso… A realeza ou os plebeus hehehe que piada!
    Seres humanos gananciosos, egoístas e hipócritas em busca de poder e só, ALMA VAZIA.

    LASTIMÁVEL

  24. Gente, como é que vcs que sao brasileiros não compreenderam que quando “ele disse” O meu cachorro da Maria, ele so quis fazer uma graça e ser carinhoso com sua amiga, pois considera o cachorro dela também seu por consideraçao !!

    Eu gostaria Augustin que se possivel vc fizesse contato comigo via e-mail pois estou justamente procurando no Brasil uma boa cidade pra morar depois de muitos anos vivendo na Bélgica. Sera que vale a pena ???

    Obrigada !!

  25. Boa Noite
    não conheço Gramado só conheço Florianópolis e Balneário de Camboriu bom minha opinião é no Brasil inteiro existe,preconceitos,os mais ricos eos mais pobres ,moro em Santos SP litoral ,moro emfrente a praia e aqui tem vários assaltos inclusive aqui ningue´m quer mais morar em casa a dos meus pais foi invadida por 3 assaltantes amarraram os 2 eo pior eles não querem mais saber de casa foram para um apt,então não venha me falar de violencia ,ricos e pobres,preto e branco,gordo ,magro porque o Brasil éum país de muitas diferenças e preconceitos falo isso porque eu e meu meu marido somos de familia italiana e pretendemos mudar para o Sul ,dificuldades em todo mundo tem não só no Brasil ,ja fui para Argentina e olha vou te falar que não éum povo muito simpático não ,e odeiam os brasileiros quando fala de futebol então meu senhor diferenças tem em todos lugares do mundo ,tanto em dinheiro,pessoas ,trabalho e etc e tem mais quando se fala em dinheiro no Brasil cada um só pensa em si próprio…Boa noite

    1. Bom dia Marta…li teu post. Se mudou para o sul ou ainda permence em Santos?

  26. Prezado Marcos, nao só Gramado, como a America Latina inteira vive em uma era das trevas moderna. Somos um continente inteiro dizimado e controlado por máfias. Devido a grande imigracao de pobres europeus, criaram-se regioes de convivencia nos padroes democraticos e libertarios atuais da Europa e de outras regioes civilizadas do mundo e isso englobou Gramado em outras epocas. Hoje, nao eh questao de quem vai morar la. Qualquer um que vai morar la, vai estar ainda na America Latina. Com 10 mil Reais por mes, voce pode morar com um padrao de classe media-media em qualquer lugar controlado por Brasilia DF. Um quesito importante para Gramado é a seguranca, por mais que ja estejam tambem por la se criando duas novas favelas importantes, a cidade tem suas tres entradas bloqueadas pelo pedagio, o que garante maior seguranca aos residentes de visitantes, coisa que nao ocorre nas outras cidades do interior do RS, onde a violencia eh bem forte. Em Caxias do Sul, por exemplo, os taxistas tem que andar com reforco a prova de bala e facadas para se proteger dos sociopatas e psicopatas que representam uma grande parcela da populacao nao soh no Rio Grande do Sul como deste nosso continente doentio e decadente, que eh a America Latina e sul dos Estados Unidos.

  27. Queira saber se ganhando 10 mil por mes eu consigo morar bem em Gramado? Quanto ao problema de relacionamento humano lá existente, dizem, isso depende muito do que carregamos no coração, pois o que levamos é que orienta o que encontraremos pelo mundo.

    p.s.: só conheço como turista de fim de ano.

  28. Olá pessoal,

    Gostaria de saber como é a cidade de Palmeira do Paraná, como é morar lá, o clima é mesmo frio, é uma cidade tranquila, enfim é uma boa cidade para se viver?
    gentileza fazer comentários direto no meu e-mail, ok?

    obrigadíssima,
    mila

  29. Bom dia Fabio, obrigado pelo seu comentário que reflete a opinião da maioria dos turistas inclusive gaúchos que frequentam a cidade. A questão é que quem explora mesmo os turistas são os proprietários dos estabelecimentos e os três ou quatro “senhores de engenho” que controlam toda a economia global e inclusive manipulam o mercado imobiliario para poder ter direito a usar drogas (cocaina) e comprar carrões importados no contrabando ou gerar seus negócios de forma fraudulenta e sem pagar impostos. Há um empresário famoso da cidade, por exemplo, que diz a lenda gramadense, a origem da riqueza da familia vem do trafico de drogas e falsificação de dinheiro, mas isso é só uma lenda ou boato entre as familias gramadenses. Na verdade, a maioria dos gramadenses e dos canelenses, ao redor de 58.000 pessoas, não vem cor alguma do dinheiro. Trabalham em 2 ou 3 empregos ao mesmo tempo, não tem água quente em casa e são lavados cerebralmente pelas emissoras de TV brasileiras de forma que se entregam a escravidão consensual de forma pacífica e eficiente para estes proprietarios de estabelecimentos locais. Ao mesmo tempo, muitos pagam os abusivos e disfuncionais impostos federais, estaduais e municipais e também sao vitimas de roubos, fraudes e violencia como qualquer outro cidadao do Terceiro Mundo. Uma coisa boa de Gramado, é que as tres entradas da cidade sao fechadas com o pedagios caros, mas que dao seguranca a quem esta la, pois o Rio Grande do Sul, é um estado com muita pobreza e violencia. Entao, ali pelo menos, nao ocorrem tantos assaltos, que no Rio Grande do Sul costumam ser violentos, com armamento pesado, mortes, etc. Ja que os gauchos, assim como os argentinos e os uruguaios sao um povo mais violento. Em Caxias do Sul, por exemplo, os taxis andam com reforço anti-bala para proteger aos motoristas de disparos e facadas de passageiros-ladrões. Sei que Florianopolis hoje tambem é uma cidade muito violenta e, com esse problema da Copa do Mundo no Rio, os traficantes e os contrabandistas se colocaram lá e agora estão incendiando ônibus, deram um tiro na cabeça de um médico cordobês em Canasvieira, na frente da esposa e dos filhos para poder roubar o automóvel carregado de malas, roupas e tal vez um computador. Enfim, sei que o Terceiro Mundo tá pegando fogo, mas o problema é que agora aqui nos EUA, por exemplo, 1/3 da população é nascida ou é filha de Terceiromundistas, então aqui também a coisa tá se deteriorando muito e já se sente um gostinho de ‘Brazilian way of life’ em cidades como Miami, Los Angeles, Paris, Londres, Buenos Aires, principalmente. Aqui a violencia é até pior eu diria, mas isso é outra historia. Have a nice day and thanks for posting your comments! God bless you.

  30. Oi T!
    Obrigado por nos escrever. O principal simbolo eh o Natal Luz, maior festa cristã do Brasil e que lá é celebrado nos padrões americanos e europeus.
    Te indico entrevistar um amigo que è importante na cidade. Vou pedir para a Roberta te dar o telefone em particular.
    Posta aqui teu teabalho, mas as cidades têm ‘escudos’ e não marca. E a Cidade com certeza já tem um.
    Greetings from Miami!
    Cheers
    Agustin

    Mensagem por e-mail:

    Olá! Sou a T., faço Design Gráfico na Universidade Presbiteriana Mackenzie. Li o seu post no blog “Gramado para gramadenses”
    Bom, estou fazendo um trabalho acadêmico sobre a cidade de Gramado! Iremos desenvolver uma marca para o povo gramadense. Eu gostaria de saber se há algum símbolo em que o povo se identifica. (?) Estávamos seguindo a linha da hortênsia, mas não sei se traduz bem o povo… Qual é a maior expressão dos gramadenses? Obrigada :DD

  31. Show de bola a matéria do meu amigão Augustine Thomas O’brien Kirk sobre Gramado!!!

  32. Há alguns anos, em viagem pelo interior do RGS, visitando várias cidades deste belo estado, após uma breve, muito breve mesmo, passagem por Gramado, fiquei bastante impressionado com a beleza da cidade. Gostei tanto de Gramado que ultimamente estive pensando em morar lá, em busca de paz, tranquilidade, qualidade de vida, etc. Atualmente, em busca por imóveis disponíveis nesta cidade, através de imobiliárias na internet, fiquei intrigado com a grande oferta de casas e apartamentos à venda por lá, pois imaginava que seria a coisa mais difícil do mundo encontrar alguém que quisesse vender, ou se desfazer de um imóvel naquele “paraíso”. Depois disso confesso que fiquei meio desconfiado de que havia algo de errado com a cidade, e comecei a pesquisar o porque de tantos imóveis à venda por lá. Com a leitura deste blog e seus comentários acho que comecei a entender a verdadeira razão, a compreender e enxergar a Gramado que não se vê, ou melhor: a Gramado que turista não vê!

  33. Interessante o post. Jamais imaginaria que Gramado fosse assim. Não entendi os comentários abaixo criticando.

  34. Olá!

    Moro em Gramado a mais de 30 anos e posso dizer que essa cidade mudou muito de uns anos pra cá. A vida aqui realmente é boa (mas era melhor, era uma cidade sossegada quase sem problemas), mas não excelente como muitos falam. A discriminação é grande, a diferença sócio – econômica é muito grande e sem dizer que a cidade é “comandada” por uns 2 ou 3 só.
    Os restaurantes são uma exploração, os preços nos produtos nas lojas é outra exploração.
    A saúde em Gramado é uma das piores que eu ja vi.
    A segurança em Gramado é uma das piores também.
    Os bairros nos arredores e um pouco mais distantes do Centro de Gramado são uma vergonha.
    Conheço amigos que vieram morar em Gramado “iludidos” com a cidade e logo depois voltaram embora pra suas terras de origem, pois viram que as aparências enganam.
    Aqui em Gramado tudo é pensando para o turista e esquecem do povo que realmente mora aqui.
    Gramado está começando a se tornar uma cidade grande e os problemas de cidades grandes estão vindo junto.
    Uma mensagem que eu deixo: Não se iludam, as aparências enganam.

    Abraços!

  35. Oi Danielle,
    Que comentarios horriveis. Quanto preconceito, quanta discriminaçao… Dá até cadeia o que voce tá falando. Forma de pensar bem geraçao perdida: “incorrigiveis pois se voltam contra os que os critica”.
    Eu fui craido no Brasil, sou bem mais brasileiro que argentino e nem to falando da Argentina, que tá bem pior que o Brasil hoje.
    Eu te recomendo a ler a grande maioria dos comentarios aqui embaixo escritos, onde moradores e pessoas nascidas e criadas la em Gramado falam a respeito do que é morar la. As palavras deles valem muito mais que as minhas.
    Abraco,
    Agustin

  36. Eu estava buscando dicas de viagens pra Gramado e encontrei “isso” aqui!
    Problemas dos mais diversos tipo, nós temos sim. E olha que não são poucos não. Assim, como se tem na Bolívia, Peru, Uruguai, Itália, França, EUA. Cada um com seus problemas. Pelo que li, vc é argentino. Engraçado, estive em Pipa – RN no mês passado e o que tem de argentino lá é fora do comum. Um dos maiores problemas no Brasil é aceitar aqui pessoas como vc, que vem pra cá, arruma emprego, é bem recebido, chega atrasado no trabalho e ainda se sente no direito de falar mal daqui. Hermano, volta pro teu país porque aqui vc não faz falta!

    Alô brasileiros, que nós falemos do nosso país, tudo bem, afinal, nascemos e vivemos aqui. Sabemos da nossa realidade. Mas não deixe que forasteiros como esse fale de um país tão belo como o nosso. Ainda que com problemas, mas bom demais pra se viver, caso contrário ele não viveria aqui!

  37. Olá!

    Acabei de voltar de Gramado. Passei 5 dias lá e amei! Amei a educação e a beleza do lugar. Aqui em São Paulo também tem lugares bonitos, mas a educação está bem longe de ser destaque. Fora a violência que nos causa síndrome do pânico. Tenho medo até de varrer minha calçada em frente a casa. Andamos com a bolsa colada no corpo e desconfiamos de tudo e de todos. amei Gramado pela paz que ela transmite. Queria tanto comprar uma casinha lá. Não precisava ser nada de luxo, mas quero ter uma janela no telhado ( acho que chama ático). Bem, se souber de uma casa simples com dois quartos ou aptos que permitam cachorros, me avise. Moro em São Paulo, mas queria opinião se devo investir comprando uma casa em Gramado. Ah! detalhe é que só posso ir 2 vezes ao ano para no máximo 8 dias. Depois é só lavouro em Sampa.
    Obrigada e muita luz em seu caminho.

  38. Alô, Agustin:
    Espero que estejas bem, em todos os sentidos, e que não esqueças
    Gramado, onde hoje, excepcionalmente, fez um calor incrível.
    Se posso ajudar, estou às ordens. Um abraço e votos de que tenhas um ano
    cheio de coisas boas. Um grande abraço.

  39. oi Paulao! Compete-me a dizer o velho ditado: “Gaucho que nao gosta dos gautchos da Argentina eh porque nao conhece o Brasil e nao conhece a Argentina, porque se conhecesse ambos iria se sentir muito mais argentino do que brasileiro.” Voces se parecem muito mais aos argentinos do que aos uruguaios. Ah esses argentinos enrustidos do Rio Grande do Sul… Voces sao otimos, igual os argentinos tambem sao. Abraco

  40. Gramado é feita de pessoas corretas e trabalhadoras,
    por isso que nos diferenciamos de muitas cidades,
    concerteza , tu além de argentino, e chegando atrazado todo dia não poderia gostar daqui,

  41. acabei de chegar de lá hj a noite….apesar de viver numa cidade turística(floripa)e cara por consequência… resolvi arriscar uma ida até gramado….que decepção! não com a beleza da cidade e sim com a exploração ao turista…..qualquer pousada por lá , distante do centro se acha no direito de cobra de R$ 250,00 a R$ 300,oo a diaria….isso que nem entramos em dezembro ainda…..comida absurdamente cara(almoço/janta pra 3 mínimo 100 em diante), passeios e parques carissimos!!!me achei o trouxa pagando R$30,00 pra entrar na tal cascata do caracol com esposa e filha pequena….por uma vista da cascata e nada mais além de sujeira!!!Taí um lugar que quero guardar distância…..os shows natalinos são sem nocão : R$ 55,00 per capita e nem criança não tem abatimento no ingresso…..eita gauchada sedenta de $$$$$…..o meu nunca mais eles vão ver…isso eu garanto!!!

    1. Almoço para 3 por R$ 100,00 e ainda está reclamando? Aqui no Rio de Janeiro isso é coisa de um passado que deixou saudades, kkkk.

  42. Prezado Colega:
    Comentarios de pessoas ‘anonimas’ nao podem ser considerados como serios. Otimo perceber como o artigo gerou polemica. Faz pensar e isso é ótimo!
    Eu volto sim para Gramado, quantas vezes eu quiser. Tenho alguns amigos ai e convites para voltar e adoro passear pelos Canyons. Muita sorte para voce.
    Repetindo uma das melhores frases que circulam pela internet hoje em dia: “Sou responsavel pelo que eu digo, nao pelo que os outros entendem”.
    Sobre a Revolucao Bolivariana, procure na internet textos em espanhol e ingles a respeito. Procure estudar primeiro o assunto antes de tentar personalizar como se isso fosse algo relacionado a minha pessoa. Eu apenas comento algo que já existe e que nao fui eu quem criei. Sou tao vitima quanto voce deste ‘novo normal bolivariano’.
    All the best and God bless you.
    Agustin

  43. São bizarros os comentários do tipo: os horrores do imperialismo favelista bolivariano”.

    Moro em Gramado a anos e com certeza você está certo em diversos pontos.
    Gramado é uma cidade turística, uma das mais belas e procuradas do Brasil, então por que o preço deve ser igual a qualquer outra cidade que vive da agricultura ou indústrias?
    Já que você morou em tantos lugares e tem tanta cultura, deveria saber e perceber isso nos locais que percorreu. Isso ocorre em qualquer cidade turística.

    Gramado é sim uma cidade que vive de aparência e contatos. Ou você é bem visto pela sociedade, ou não é nada aqui.

    Acho que o seu comprometimento com o fator pontualidade e comprometimento na sua empresa lhe prejudicaram ao ser tão infeliz. Todo dia chegando atrasado, não sendo ou tentando ser um “gramadense” em meio de tantas pessoas, sendo arrogante em cada atitude. Realmente, dificilmente iria conseguir se dar bem nessa cidade. Não sei como lhe deixaram ficar aqui durante dois anos.

    Enfim, tive o desprazer de conhecer essa pessoa (Agustin), e nada do que está escrito aqui me surpreende.

    Muitas e realmente muitas são as verdades escritas, mas também muitas blasfemias.

    O Gramadense é receptivo, é amigo. Essa é a vida aqui.

    Do mesmo jeito que você pensava em sair daqui no final de semana e correr pra grandiosa Porto Alegre, centenas de Porto Alegrenses correm pra Gramado no final de semana tentando fugir daquele lugar. Isso por que?? Por que é tão bom morar lá?

    Então Agusti, todos os lugares tem defeitos, todos os lugares tem qualidades. Infelizmente sua curta vivência nesse paraíso lhe mostrou mais defeitos do que coisas boas.

    Seu doce lugar é mesmo na Argentina, de onde nunca deveria ter saído.

    Do que adianta alguém tem MBA, especialização no exterior, cinco idiomas, e não tem um pingo de caratér?
    Desculpe, isso é opinião própria.

    Se cuide nesse mundão! E não volte pra cá.

    1. Concordo em gênero, número e grau com os seus comentários. A educação de verdade, e a principal a meu ver, vem do berço e não se aprende nem nas melhores universidades ou fazendo os melhores MBAs do mundo. O mundo está cheio de boçais incultos que, não raras vezes, ostentam um título de doutor e falam vários idiomas (ainda que mal, kkkk).

  44. MUITO LEGAL O TEXTO, É ISSO, ÁS VEZES , SEMPRE MORAR É DIFERENTE DE PASSEAR NO DETERMINADO LUGAR

  45. A despeito de tudo, inclusive de estar distante de
    meus familiares, Gramado é o lugar onde pretendo continuar a viver, mesmo com o
    inverno que este anos não quer terminar. Certamente que tu, vivendo
    apenas dois anos nessa cidade, aprendeste dela mais do que eu que aqui
    vivo há mais de vinte. Para mim, Gramado é aqui onde moro, com minhas
    plantas, minha casa, minhas confusões e meus cachorros. Não tenho aqui
    muitos amigos, mas tenho alguns (amigos e amigas) que me visitam,
    especialmente de Novo Hamburgo. E falando em amigos, agradeço-te a
    simpatia e o afeto que me demonstraste em teu texto. A estima é
    recíproca, esteja certo.

  46. Patético…

  47. Gostei da matéria. Traduz bem a mentalidade pequena do povo.

  48. que divino vc sempre apresenta grandes reportagens amigo, nossa fico envaidecida de ter vc como amigo, acho q sou sua fã, detesto tietagem, mas sou sua tiete pode? pode sim pessoas com talento não interessa, o tema o importante é ser diferente e vc o é parabens, amigo, poxa me manda seu email por favor, ta o meu muda apenas para gmai, continua o mesmo apenas sai o ht e entra gmail. bjos

  49. tu arrasa sempre !!! abrss

  50. oi Nicole! Obrigado pelo longo texto que muito contribui para o nosso site. Dá para voce tambem fazer um artigo para nos. Escolha boas fotos e fale da sua cidade. Atencao que eu nao discriminei turista algum. Comentei imparcialmente a realidade da cidade. Claro que os turistas sao bem vindos. O gramadense, no entanto, acha que os paulistas cansam um pouco pedindo sempre ‘um brinde’ a mais e que muitos nordestinos maltratam os garçons. Mas é o turismo e as industrias de móveis que movimentam a cidade. Outra curiosidade da cidade é que a fábrica de calçados Ortopé produzia bastante por lá, mas por problemas bolivarianos típicos da America Latina ela não existe mais. Era uma fábrica gigante e um sucesso nos anos 80. Greetings from Miami!

  51. Querido Agustin, sou portoalegrense e estou morando em Gramado a 12 anos. Concordo contigo com tudo o que disseste, exceto em discriminar os turistas, que são quem movimenta o dinheiro em nossa cidade. Sem os turistas, o que sobraria para uma cidade que tem tão poucas indústrias?

    Aqui realmente é muito difícil conseguir um trabalho, a não ser que seja por Q.I. (quem indica). E se teus amigos forem da sociedade gramadense (como é na maioria das cidades pequenas), melhor ainda.

    Percebi que o pessoal daqui dá muita importância a como tu te vestes, se tens carro, se usas jóias, se pertences a sociedade… e pouca importância a cultura… E eles discriminam quem não é igual a eles…

    Participei de um processo seletivo no ano passado, para uma das maiores empresas de Gramado, e mesmo meu currículo sendo muito bom, me rejeitaram porque eu não circulava pela sociedade! Eu não conhecia a nata gramadense… Absurdo dos absurdos! Mas, enfim, cabecinha de gente do interior é assim mesmo…

    Também estou a par da situação de tentativa de escravização dos funcionários, o que gera uma rotatitividade enorme nas empresas, especialmente no comércio. E já cansei de ouvir patrões gritando com os funcionários na frente dos clientes mesmo…

    Aliás, muitas empresas precisavam de um treinamento em atendimento, pois muitos atendentes olham o cliente de cima a baixo, e se ele estiver de chinelos de dedos (no verão), já é discriminado… O problema é que os turistas do norte e nordeste estão pouco se lixando com a boa apresentação exigida pelos atendentes das lojas para ter um bom atendimento…

    O que vejo aqui: panelinhas na sociedade, na política, nas empresas, na mídia…

    Mas, o que me mantém ainda aqui é a qualidade de vida: poder andar na rua a qualquer horário sem medo de ser assaltada (está mudando, já sei)… Dormir sem ouvir barulho de trânsito, ver a beleza das flores e da natureza…

    Ah, e o serviço do posto de saúde é elogiável! Melhor que pagar muito plano de saúde… E os gramadenses ainda reclamam!

    Quanto aos preços, atualmente para mim é proibitivo almoçar fora, mesmo os restaurantes dos nativos estão muito caros… ainda mais para mim que não como carne.

    E o preço dos víveres nos supermercados é realmente mais caro do que na capital. Mas é o preço a se pagar por viver numa cidade turística…

    Quanto as favelas, conheço a Vila Jardim, que soube ser um lugar bem perigoso e ponto de venda de drogas. Mas, é uma favela de casas muito bem ajeitadas, já que a pessoa que decide morar aqui, não pode ter a casa cheia de furos, ou morre de frio no inverno! Outra favela em Gramado desconheço.

    Parabéns pela coragem em tocar em ponto tão delicado .

    1. Nicole, tudo bem?
      Amo Gramado e gostaria muito de morar lá, minha esposa também concorda, falta-me coragem ou quem sabe um empurrãozinho. Gostaria muito de umas dicas sua.
      Um grande abraço pra ti!
      gilmaralvorada@gmail.com (esse é meu e-mail)

  52. Tinha que ser coisa de argentino..nao gostou do RIO GRANDE DO SUL?? volta para a Argentina ..e os otarios que apoiam sao outros trouxas e ainda dizem ser GAUCHOS .
    Vai a Passo Fundo e fala isso que tu vai ver !!!

  53. São incríveis os comentários embaixo, gente que vem do nada morar aqui e se considera gramadense…
    Poxa com o devido respeito… vão todos se ferrar!
    Eu sou gramadense, eu que nasci aqui, convivo com essa gentalha de nariz empinado todos os dias, estudei nas escolas patéticas daqui, vi tudo que é dito no texto e concordo plenamente!
    Tem certas pessoas que acham que a palavra ” gramadense” é um status, e de toda forma aqui só se vive disso, se não usar uma roupa de marca vc é simplesmente desvalorizado, ou seja, vc não é ninguém… conheço gente aqui que deixa de comer pra pode andar na modinha, o prefeito aqui só faz algo nos bairros em tempo de eleições e todos os prédios novos e belíssimos estão vazios, pq a população daqui jamais poderá comprar um apto no centro, vivemos a merce dos turistas, sem eles, aqui ninguém come.

    1. vc acha caro imóveis ai vem para Santos litoral de SP aqui casa de 2 a 3 qtos vc não compra por menos de 400 mil só se for no morro e apt de 2 quartos não sai por menos de 200 mil desculpa não acho caro não para uma cidade pequena …e com qualidade de vida e outra qualquer cidade turistica vive do turismo acho normal !!!!!!vem pra Santos ai vc vai ver o que é um imóvel caro …

      1. Olá Marta, este post foi escrito em 2011, com certeza custa o mesmo ou até mais que em Santos nos dias de hoje

  54. Cuidado com os comentarios do tipo que o sr. Thiago medeiro, O Sr. Edson Beglinski e a ‘Gramadense’ anonima fez. Eles representam os interesses das 100 familias que controlam as nacoes bolivarianas da america do sul e cuba. É manipulando e mentindo dessa forma que eles reprimem qualquer movimento pro democratico nessas regioes do mundo. Cuidado. É tudo mentira. Até MBA na europa eu cursei. Falo 5 idiomas fluentes e era executivo de exportacao de uma empresa importantissima de Gramado quando vivi pessoalmente os horrores do imperialismo favelista bolivariano nao só no Rio Grande do Sul, como tambem em Sao Paulo, Buenos Aires, Santa Fe e Cordoba. Isso é sério. Nao se deixem levar por esse tipo de gente. São os escravocratas de sempre querendo incinerar qualquer movimento pro-democratico.

  55. Aos que estao me acusando de nao ter educacao e de nao saber o que estou dizendo, deixo bem claro que sei sim. Tenho curso superior, estudei na Alemanha, na Argentina e no Brasil. Sempre tive altos cargos de gerenciamento e diretoria de empresas. Os casos que eu relatei sao os que eu presenciei. A essa gente que esta escrevendo mentiras aqui, por favor, que procurem uma Biblia e vao rezar antes de humilhar mais ainda. Esses gramadenses a que eu me refiro sao a massiva maioria estatisticamente falando, cerca de 30.000 Gramadenses de uma cidade que tem 30.500 pessoas. Nao venham me falar que esses 30.000 ganham o suficiente para gastar 32R$ para comer em algum lugar na cidade de plastico que os turistas vem. Faça-me o favor… Que gente esses latino-americanos de 2011. Socuerro!!!!

    1. Cidade de plástico? kkkk, e ainda quer teimar quando um morador da cidade contesta as suas colocações superficiais e inconsistentes sobre um lugar que, definitivamente, você não conheceu? Aliás, parece que estudar na Alemanha, na Argentina, no Brasil e blá-blá-blá não quer dizer nada, não é mesmo? Basta observar a (péssima) qualidade do seu português, que salta aos olhos de qualquer pessoa que tenha passado por um banco de escola, e não apenas de professores e especialistas em nosso idioma.

  56. Faltou teu video para a candidatura do BBB

  57. incrível, apesar de morta consigo ler! Gostei muito, o texto fugiu do trivial, gostei de Melinda estar nas fotos e de sua amiga Maria, parece boa pessoa (mas a legenda “meu cachorro da Maria” não ficou boa). Imagino que vc esteja muito feliz no cantinho mais latino fora da América Latina, afinal vc não ia conseguir ficar longe desse povo que tanto ama! Kisses

  58. o meo, nada a ver isso ae… eu moro meus 18 anos aki em gramado, e o povo gramadense não é problemático e nem insatisfeito… claro, tem casos a parte, como em todo lugar… eu acho que tu te deu muito mal aki, e agora ta dizendo isso, mas tbm, chegava atrasado sempre magrão!!! suadhasudhasud

  59. Quer falar mal,de gramado fale,mas do brasil.vai te lascar,vai estudar pois,isso acho que vc nao tem……

  60. Acho que não moramos na mesma cidade! Estou aqui a 06 anos, meu salario é ótimo e moro no centro da cidade (que vc disse que é lugar de turista). Acredito que a grande diferença entre nós é o grau de escolaridade. Pessoas sem instrução, ganham menos. Isso é cultural.

  61. Parabens pela peleja , vc foi bastante correto na sua avaliação tenho varios amigos de Santa Maria e P. Alegre
    totalmente diferentes desta cidade citada , como Nordestino sofri o preconceito de escolhas e ações de almas pequenas ,aqui em Salvador tem o CTG ,que sempre frequento onde gauchos mais familiarizados com a minha terra , aqui tiveram filhos e são gratos pela nossa hospitalidade , o que precisamos e de bom senso e união para engrandecer este pais tão carente . A tranformação se dá atraves da Educação matéria prima da liberdade, boa sorte ,a sua coragem me alumbra .

    1. Esse mimimi enjoativo de nordestino discriminado já deu o que tinha que dar. Por que não mostram do que são capazes e se impõem através de atitudes que demonstrem capacidade e respeito pela terra dos outros, em vez de posarem de vítimas e coitadinhos?

  62. Sou gaúcho e apesar de ter lhe achado o cara mais gato da net, não ficaria com você. Gramado é lindo, as pessoas são lindas e não tenho culpa de ser de uma família da classe mais abastada. Não é porque temos muito dinheiro que temos que ficar dividindo com este bando de pobretão de bombacha que vive aqui na serra. Para curtir a vista que temos todo dia, tem que ralar mesmo e pegar duro no batente.

  63. Olá!
    Infelizmente, não posso concordar com muitas das tuas palavras… Cheguei a Gramado há cerca de dois anos e fui muito bem recebida. Olha que já morei de norte a sul desse Brasilzão. Em poucos lugares, os próprios vendedores de lojas destinadas a turistas ofereceram e de fato me ajudaram em muitas coisas na minha chegada. Tenho grandes amigos “locais” e não troco esse clima por nada!
    Com relação aos custos gastonômicos tenho que dizer que, como em qualquer lugar, seja no Brasil ou mesmo na Europa, os locais destinados aos turistas realmente são mais caros, mas quando se mora aqui, se aprende onde são os locais muito melhores, mais aconchegantes e infinitamente mais baratos. Aprende-se onde ir para gastar R$200 por pessoa numa noite e onde se gasta R$32 em um prato com carnes na pedra, batatas, saldas e arroz para duas pessoas para um bom almoço!
    Muita gente diz que o custo de vida daqui é elevadíssimo, mas o que sempre falo é que depende do padrão de comparação. É impossível comparares o Planalto com a Restinga, em POA, por exemplo! (não denegrindo a imagem do bairro portoalegrense)
    Como você quer ser bem recebido no seu emprego se chegava reliogiosamente atrasado 30 minutos diariamente?
    Bom, com todo o respeito, essa é a minha opinião. Adoro essa cidade e acho que não saio daqui tão cedo…

    1. KKKK, gostei da observação sobre o atraso diário na chegada ao trabalho e tive o mesmo pensamento que você expressou. Chega ao trabalho “pontualmente” 30 minutos atrasado todos os dias e, no fim, todos os defeitos são do lugar e do povo que o habita? A impressão que dá é de que esse moço apenas passou por Gramado e nada entendeu. Lamentável!

  64. Infelizmente não concordo com nada que li neste texto. Sendo nossa cidade voltada para o turismo, obviamente a economia local é direcionada para o turista. E se tivestes algum problema de relacionamento a culpa não foi nossa. Somos um povo muito receptivo, porém não admitimos pessoas arrogantes, assim como a pessoa que escreveu este texto. E quanto ao que escreveu sobre o trabalho aqui na cidade: “Os locais trabalham nos hotéis, restaurantes e nas fábricas de 10 a 18 horas por dia. Há fábricas que chegam a colocar comida na portaria para fazê-los trabalhar mais, alegando que, caso não tenham faltas, irão ganhar como prêmio ‘comida’.” Seria muito bom pesquisar um pouco mais afundo antes de escrever este tipo de besteira.

  65. A propósito, o pastor alemão, é SEU..ou DA MARIA?? xD

    “Meu cachorro da Maria”, ajeita lá xDD

  66. Que coisa engracada, eu conheco a Sabrina que esta na foto contigo, trabalhei com ela a uns 5 anos atras. Morei e trabalhei em gramado, e concordo com tudo que tu falou.

  67. Gramado é definitivamente dos turistas… ouvi dizer que até o preço do medicamentos vendidos nas farmácias da região aumentam de preço em época de alta temporada, prejudicando os moradores.

  68. Ótima reportagem sobre as belezas de Gramado e região. O lugar é incrível e você, muito bonitinho. Boas viagens.

  69. Muito bem feita a matéria, sem exageros, e chega a ser até carinhosa com o povo da cidade. Muito corajoso de sua parte dizer essas coisas, acredito sim que o Brasil é o melhor lugar do mundo pra se viver, mas não adianta fantasiar, o povo brasileiro, seja gaúcho, paulistano, nordestino e afins, não se ama, cada um por sí, o empresário quer sugar todo o sangue do empregado, o empregado por sua vez fica na ignorância eterna e espera que seus filhos “estudem”, coisa que eles não fizeram ou não puderam, e fica assim. Parabéns mais uma vez, e vamos pra gramado sentir de perto esse preconceito quentinho e gostoso do nosso povo brasileiro decendente de alemão, italiano, africado, judeu, muçumano, japonês, marciano e etc…

  70. Sou gaúcho e moro na serra, próximo a Gramado. O relato é verídico sim. O povo gaúcho que vive na serra é, em sua absurda maioria, intolerante, preconceituoso e individualista. Cenário este que á bastante diferente em Porto Alegre e demais áreas do estado.

    Abraços.

  71. Pois é. Parece que alguem ligado ao governo federal brasileiro leu o artigo e agora estao me ameaçando. Esse é o Braziu, paraiso da criminalidade, da falta de respeito e da ignorancia.

  72. think carefully before using your conceit and arrogance against my country. See ya.
    My dear friend, do not underestimate the Brazil you may need it.

  73. Me encantó!!!!! a Charly le gustó mucho cuando fueron a bailar con el grupo del Club ALEMÁN.

  74. Esse eh o nosso Brasil Brasileiro!!! rs

  75. nao publica isso, que pega muito mal

  76. Thank you for your nice words, Hidiorges. I just would like to tell the reality, not the Hispanic talk virtual fantasy version of what is this town about.

  77. Meu intelectual amigo Agustin. Adorei a matéria, suas palvras, o texto estão divinos eu concordo em n° e genêro em tudo, apesar de adorar ter uma casa em Gramado, mas um dia ainda cairei fora disso e voltarei somente a passeio e qm sabe na velheci pra morar.

    Um gde abraço.

  78. Boa tarde Andreina, obrigado pelos comentarios. Nao usei expressao mlhonarios manipuladores, nem exploração acho. Meu texto fala mais das duas classes. Classe muito rica que controla a cidade e a classe pobre, que vive com o minimo. Mais enfocando que Gramado é uma cidade como qualquer outra brasileira. Tem essa aparencia ‘primeiro mundo’, mas é um povoado quase que sem classe media genuina, tal qual ocorre em qualquer outra regiao do ‘mundo em desenvolvimento’. E’ um texto bem realista e fala das Vilas, que e’ onde a populacao gramadense vive na sua grande maioria. Com relacao ao povo brasileiro, o povo brasileiro e’ bem diversificado. E’ um pais muito grande. Dificil colocar todos no mesmo grupo. Te digo que os gauchos da serra tendem a ser bem como os italianos do norte ou alemaes mesmo, nao tem tanto em comum com outros brasileiros do Rio de Janeiro por exemplo. Um traco forte do gaucho e’ preferir ser chamado de gaucho do que de brasileiro. O gaucho tem uma postura bem critica com relacao a pertencer ao Brasil e ate comemoram o 20 de setembro que foi a querra que fizeram para se independizar do pais, a Revolucao Farroupilha, etc. A Castelli tem uma fama muito boa. Estudar la vai ser uma boa experiencia com certeza. Tenho dois amigos que se formaram la. Abraco

    1. Independizar?! Ora, faça-me o favor!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.