Saint Augustine

A cidade mais antiga da América


Foi uma surpresa descobrir que o primeiro povoado dos Estados Unidos tem o nome do mesmo Santo que inspirou minha mãe quando eu nasci: Saint Augustine. Este não é um nome muito comum por lá. É a versão inglesa para Agostinho, que, por sua vez, é a versão portuguesa para o meu nome. Deve ser por isso que eu gosto tanto dos EUA. Será influência deste Santo?

Flagler College
Flagler College
Siga @blogterritorios no InstagramSiga no Instagram
Precisa de seguro viagem?
Fique conectado o tempo todo? Leve o chip de dados desde o Brasil
Vista da Cathedral Place
Vista da Cathedral Place

Sempre politicamente corretos, os americanos evitam dizer que Saint Augustine é a primeira cidade dos EUA. Fundada em 1565 por um colonizador espanhol, preferem designá-la como sendo o “assentamento europeu” mais antigo do país, em respeito aos índios que ali estão há milhares de anos.

Esta região, por estar muito próxima das ex-colônias britânicas do norte, foi palco de diversos conflitos, além de ter uma história bem conturbada, passando por períodos de dominação espanhola, francesa e inglesa. Os espanhóis foram os primeiros e os últimos a colonizá-la. Mesmo após a independência americana, esta colônia continuou sob domínio europeu por quase cem anos até que, em 1821, Saint Agustine finalmente se integrou aos Estados Unidos junto com o estado inteiro da Flórida.

Conheça New Smyrna Beach, a segunda cidade mais antiga

Flagler College
Flagler College

A parada em Saint Augustine

Plaza de la Constitución
Plaza de la Constitución

Minha viagem para Saint Augustine foi expressa como sempre. Já havia ouvido falar sobre este pequeno vilarejo de 12.000 habitantes e tinha curiosidade. Estava viajando de carro a trabalho pela Flórida quando vi uma placa na estrada convidando os viajantes a visitarem este lugar histórico. Como estava a poucas milhas e não havia necessidade de desviar do meu caminho, não tive dúvida. Fiz uma parada de uma hora, o suficiente para curosear um pouco, como se diz em espanhol. Valeu a pena. É difícil encontrar locais históricos nos Estados Unidos, pois muito foi destruído em função do “progresso”. Esta é uma boa opção para quem quer turismo em um local tranquilo, com praias, museus, restaurantes aconchegantes e história. É uma espécie de Paraty americana.

Catedral de Saint Augustine
Catedral de Saint Augustine
A história
A história

Infelizmente, há tantas placas de sinalização de trânsito e é tudo tão limpo e organizado que você não se sente em um lugar que tem quase 500 anos. Nos Estados Unidos mesmo existem réplicas de edifícios antigos por tantos lugares e estes de Saint Augustine estão tão conservados que fica a dúvida se é um original mesmo ou se aquilo ali é um parque temático da Disney. São diversos os edifícios pitorescos para visitar, além de museus e praças. Há muito para ver.

No centro da cidade estão construções históricas interessantes, tais como:  a primeira PARÓQUIA CATÓLICA, datada de 1865, e a PRAÇA DA CONSTITUIÇÃO que é o espaço público mais antigo do país. É muito gostoso caminhar pelas ruas e apreciar as construções antigas das épocas da colonização francesa, espanhola e britânica.

Kings Street
Kings Street
Em frente ao Lightner Museum
Em frente ao Lightner Museum

Ali travaram-se muitos conflitos entre protestantes e católicos durante esse período, por isso notam-se os estilos diferentes nas construções. O prédio da Prefeitura é muito curioso, com suas torres e uma espécie de arquitetura medieval-americana.

Enfim… o “assentamento europeu” mais antigo dos Estados Unidos é uma raridade neste país dominado por highways, arranha-céus e shopping centers. E Santo Agostinho dá nome a tudo por lá, até ao banco! Amém, Santo Agostinho.

Santo Agostinho tem um banco nos EUA!
Santo Agostinho tem um banco nos EUA!

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais.

Augustin Tomas o'Brien Caceres

Augustin Tomas o'Brien Caceres

Criado em uma família onde se falava espanhol, português, portunhol, italiolo e algo de inglês. Sempre se interessou por outros idiomas e hoje mora nos Estados Unidos e trabalha com comércio internacional na LE Group Industries.

4 comentários

  1. Augustine meaning and name origin

    Augustine a(u)-gusti-ne, aug(us)-tine as a boy’s name (also used as girl’s name Augustine), is of Latin origin, and the meaning of Augustine is “great, magnificient”. Diminutive of August; English form of the Latin name Augustinus, which is itself a derivative of Augustus. Saint Augustine of Hippo (fifth century) was perhaps the greatest of the Fathers of the Christian Church. He formulated the principles followed by the numerous medieval communities named after him as Austin canons, friars, and nuns. In England, Saint Augustine (sixth century) was the first archbishop of Canterbury famous for the frank “Confessions”, in which he says, “Oh God, make me chaste – but not yet”.

    Augustine has 11 variant forms: Agoston, Aguistin, Agustin, Augie, Augustin, Augustyn, Augy, Austen, Austin, Austyn and Avgustin.

    Augustine is a somewhat popular first name for men (#806 out of 1220) and an even more popular surname or last name for all people (#2379 out of 88799). (1990 U.S. Census)

  2. “Augustine” é de origem francesa, caro amigo.
    Em tese, esta palavra não existe em inglês.

  3. Prezado Luis,
    Obrigado pelo seu questionamento e por ser nosso leitor. O diferencial do nosso site é que aqui expressam-se as opinioes e observaçoes de cada viajante livremente, as quais variam bastante de um viajante para outro.
    No meu caso, considero sim as pessoas de cultura americana como sendo sempre preocupadas em ser politicamente corretas e respeitar as diferencas. Aqui, neste texto, o que que estou dizendo é que, de forma a respeitar os povos indigenas que habitavam os estados unidos antes da chegada dos brancos, eles consideram Saint Augustine o primeiro ‘assentamento europeu’ nos Estados Unidos da America e nao a primeira ‘vila’ ou ‘cidade’, pois antes da chegada dos brancos, existiam outras sociedades ali naquele território.
    A questão do “progresso” eu menciono entre aspas, pois estou na verdade questionando se este desenvolvimento todo, sacrificando edificios históricos, compensa o desenvolvimento urbanistico e arquitetônico, mas neste caso, não estou falando de politica e sim, de arquitetura e urbanismo.
    Vale ressaltar que muitas cidades do sul dos Estados Unidos foram destruídas durante a Guerra de Secessão, além do mais muitas construções eram feitas de madeira, então não há muita construção com mais de 200 anos nos EUA. Também pela própria história, pois, antes da independência, assim como o Canadá, a Argentina, o Uruguai e o sul do Brasil, eram regiões frias e que foram pouco colonizadas pelos europeus entre 1500 e 1800. Diferentemente das regiões tropicais das américas que foram intensivamente colonizadas pelos espanhóis e portugueses nesse período.
    All the best and God bless you.
    Cheers
    Agustin

  4. Lamentável e controverso esse “Sempre politicamente corretos” e depois “É difícil encontrar locais históricos nos Estados Unidos, pois muito foi destruído em função do “progresso””. -Pergunta: Destruir em função do progresso os locais históricos é politicamente correto?

    O site é muito interessante, mas deve se ter cuidado ao expor fatos e associá-los com nossos pontos de vista. Na medida do possível seria bom ignorarmos este último.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.