voo balão quênia

Voo de balão pela savana africana

Voar de balão era um sonho
Voar de balão era um sonho

O passeio mais esperado e um dos mais emocionantes da viagem ao Quênia foi o safari a bordo de um balão em Maasai Mara, um santuário selvagem na fronteira com a Tanzânia. Uma oportunidade única de ver a grandiosidade da savana e o nascer do sol por um novo ângulo.

Foi preciso madrugar e encarar uma hora de viagem no frio para chegar ao local da partida. Mas a visão ao descer do carro logo compensa, uma lua bem fininha se destacava no céu ao lado dos tons de rosa anunciando o amanhecer. Chá e café nos esquentaram enquanto o Lennart, o piloto sueco, verificava as condições climáticas que não estavam favoráveis devido à ventania.

Sem garantias, Lennart disse que iria fazer uma tentativa e pediu para ficarmos dentro do cesto enquanto enchia o balão ou seria mais complicado entrar depois.

Homens ajustando o balão
Homens ajustando o balão

 

Emas correram rápido quando voamos baixo
Emas correram rápido quando voamos baixo

E assim começou a aventura, ficamos os seis deitados no cesto vendo, de cabeça pra baixo, o fogo esquentar o ar (além da minha cabeça) e dar forma ao balão. Eram vários homens trabalhando e o meu pensamento estava fixo na ideia de que tudo daria certo… e deu! Gritaram para eu parar de fotografar e segurar firme. O piloto pulou no cesto e lá fomos nós.

O deslocamento é muito leve e agradável, mas o espaço é pequeno e limitador de movimentos. Fato completamente esquecido quando o sol deu um espetáculo brotando lágrimas em algumas tripulantes e iluminando os outros balões que nos acompanhavam.

Planície mais bonita com os balões
Planície mais bonita com os balões

Então começa o jogo de visualizar e fotografar o máximo de animais possíveis. Pelo horário imaginei que encontraríamos vários, estava enganada, ou talvez o vento forte também tenha atrapalhado a noite deles. Passamos por antílopes, emas, elefantes e javalis. Mesmo voando alto, uma manada de elefantes percebeu a nossa presença e mudou a formação rapidamente. Fizeram um círculo, todos com a cabeça pra fora, deixando os filhotes protegidos no centro. Imagina se precisássemos pousar naquele momento! Não estaria aqui para contar esta história.

Por vezes o balão voava baixo, outras ia bem alto e parecia estar devagar, mas estávamos muito rápido, tanto que a programação era voar mais de uma hora e durou cerca de quarenta minutos. Quando nos aproximamos do rio, o piloto avisou que seria complicado a equipe de resgate nos alcançar na outra margem, por isso ele forçou a descida antes de tempo.

Elefantes
Elefantes
Tentando esquecer que eu era uma presa fácil
Tentando esquecer que eu era uma presa fácil

Segura firme de novo, esquece as fotos, agacha e reza pra não cair em cima de leões… O impacto não foi forte, mas foi se arrastando por alguns metros pela vegetação alta até parar. Estava em um dos cantos e vi tudo por uma micro janela.

Todos ríamos de nervosos, o mato estava alto e algum animal poderia aparecer a qualquer momento. Segundos de adrenalina a mil até o piloto pedir para dois subirem no cesto e acenarem com um lenço. Aos outros alertou para não se afastarem. Enquanto não havia sinal de resgate, Lennart contou histórias sobre balonismo e eu tentei me acalmar tirando fotos, mas a espera foi longa e tensa. Só de recordar o coração já acelera, mas já me viciei nesses momentos e faria tudo de novo sem pensar.

Lennart contando histórias
Lennart contando histórias

Ver o jipe correndo em nossa direção foi um alívio. Nos levaram para onde o café da manhã estava montado ao ar livre e um cozinheiro preparava omeletes na hora. Mas antes teve o brinde e mais histórias contadas pelo corajoso piloto. A nossa aventura ficou confirmada em certificado e registrada na minha memória pra sempre.

Café da manhã na savana
Café da manhã na savana

[box]

Certificado
Certificado

TOME NOTA

O passeio é salgado, mas vale ajustar o orçamento e garantir um piloto experiente como foi o nosso. O custo foi U$450 com a empresa Hot Air Safaris.

O transporte até o passeio foi feito pelo motorista do Hotel Olare Mara Kempinski, onde estávamos hospedados.

Este passeio é uma das 17 coisas para fazer antes de morrer que fiz no Quênia.

[/box]

Esta viagem foi patrocinada pelo Kenya Tourism Board.

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais. Fotos por Roberta Martins e Tarcila Ferro.

Veja todos os posts sobre os 10 dias no Quênia:

Brunch na savana africana

Luxo e vista no Hemingway’s Nairóbi

Meu encontro com os Masais

Lewa, o verdadeiro Safari Camp

Sea Safari e meus dias em Diani Beach (vídeo)

Acampamento luxuoso e selvagem no Olare Mara Kempinski

Dois dias na capital do Quênia

Um dia no Kisite Marine Reserve

O paraíso no Quênia (vídeo)

Babies africanos

Orfanato de elefantes (vídeo)

Safari a cavalo

10 dias em 1 minuto (vídeo)

Fotos da Semana : CamaleãoLeopardoContador de rinocerontesBaobáDia Mundial do LeãoEstrela do mar e Girafa.

Roberta Martins

Roberta Martins

Publicitária, geradora de conteúdo sobre turismo, idealizadora deste site e fotógrafa. Há 11 anos relata suas experiências de viagem focando em cultura e ecoturismo.

Deixe uma resposta