Cenários surreais nos túneis de mangues

Como ser um turista do bem em 9 dicas

Turismo é maravilhoso para alavancar a economia e encher nossas vidas de alegrias. Mas também gera impactos negativos na sociedade e no meio ambiente. Por isso é importante se informar e pesquisar maneiras de causar o menor estrago possível na hora de planejar os passeios e fazer reservas. Neste Dia Mundial do Meio Ambiente, separei algumas dicas para quem quer ser um turista do bem e continuo o texto Vida selvagem nem sempre é entretenimento.

Turista do bem em 9 dicas

Antes de fazer as reservas, deve perguntar para o estabelecimento e a si próprio questões como:

Herby foi resgatado de maus tratos quando pequeno e hoje está acostumado com pessoas. Mas vive livre em uma área enorme na África do Sul. A interação com ele é só quando ele quer e se aproxima
Herby foi resgatado de maus tratos quando pequeno e hoje está acostumado com pessoas. Mas vive livre em uma área enorme na África do Sul e não foi treinado. A interação com ele é só quando ele quer e se aproxima

1. Está ciente do sofrimento que acontece nos bastidores das atrações com animais? Tem certeza que o animal não foi arrancada da mãe ainda bebê; não foi torturado para aprender ou vive confinado em situação precária…

 

2. O que a propaganda promete é uma reação natural do animal? Por exemplo, animais não dão beijos ou batem palmas.

 

3. Os filhotes em espaços abertos para interação nasceram ali ou foram comprados para ter sempre a atração disponível? É maravilhoso interagir com essas fofuras, mas gera o comércio ilegal de venda de filhotes.

 

Quando estiver em áreas naturais conviva em harmonia com tudo ao seu redor:

Quokkas existem livres somente em ilha pequena na Austrália, por isso correm risco de extinção e não devem ser alimentados. A multa é alta pra quem o fizer. Uma possibilidade de interação é dar folhas que acabaram de cair no chão, afinal é o alimento natural deles
Quokkas existem livres somente em ilha pequena na Austrália, por isso correm risco de extinção e não devem ser alimentados. A multa é alta pra quem o fizer. Uma possibilidade de interação é dar folhas que acabaram de cair no chão, afinal é o alimento natural deles

4. Aprecie a fauna com certa distância para não perturbar nem correr riscos;

 

5. Respeite o silêncio. Permita-se escutar os sons da natureza e assim terá mais chances de perceber a rotina da vida selvagem;

 

6. Não alimente animais selvagens mesmo que eles se aproximem com cara de pidões. Se estiver debilitado, avise ou leve até um veterinário (ou responsável pelo local), se der comida vai prejudicar o seu instinto de caça e isto leva a extinção.

 

7. Informe-se sobre as regras locais quando em parques ou reservas;

 

8. Conserve resíduos com você até encontrar uma lixeira com coleta ativa;

 

9. Por fim, o clichê: não leve nada além de lembranças.

Trilhas demarcadas em parques nacionais são para reduzir o impacto do turista e devem ser utlizadas
Trilhas demarcadas em parques nacionais são para reduzir o impacto do turista e devem ser utlizadas

 

Eu já tive encontros incríveis com animais como um puma durante uma trilha na Patagônia, os simpáticos quokkas na Austrália, as viscachas na Bolívia e tantos outros. Em todas me informei e segui as regras locais de proteção deles e minha. E nas situações da América do Sul, os guias que acompanhavam tiveram a preocupação em alertar o grupo do certo a ser feito.

E você, tem mais dicas pra acrescentar ao texto? Conte nos comentários.

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais.

Roberta Martins

Roberta Martins

Publicitária, geradora de conteúdo sobre turismo, idealizadora deste site e fotógrafa. Há 11 anos relata suas experiências de viagem focando em cultura e ecoturismo.

Deixe uma resposta