Roberta Martins em Rottnest Island

Vamos pedalar? 3 cidades perfeitas para andar de bicicleta e mais

A bicicleta, ou melhor, a máquina de correr precursora do atual símbolo da mobilidade sustentável, está completando 200 anos. Aproveito a data pra mostrar três cidades perfeitas para pedalar e dez lugares onde a experiência superou as expectativas.

Onde pedalar? Três cidades perfeitas na Austrália e Europa

Pedalar faz bem para o corpo, para mente e para o meio ambiente. Mas a prática pode ser bastante perigosa nas metrópoles que não pensam a bicicleta como meio de transporte. E não basta apenas inserir ciclovias nos projetos urbanos, elas devem ser pensadas para ajudar e não atrapalhar o trânsito. Assim como a população (motoristas, ciclistas e pedestres) deve se respeitar mutuamente e se esforçar para mudar a cultura local. Durante as minhas viagens, conheci três cidades que conseguiram se transformar ou o espaço para a bicicleta se desenvolveu junto do contexto urbano:

200 km de ciclovias em Barcelona

Ponto turístico em Barcelona
Ponto turístico em Barcelona

Em Barcelona vi pela primeira vez um semáforo com desenho de bicicleta hora vermelho, hora verde. Achei o máximo e quanto mais caminhava pela cidade, mais vontade eu tinha de alugar uma bici. O motivo de estar ali era pra fazer um estágio, onde descobri que nenhum dos meus colegas tinha carro ou pegava metro, todos iam trabalhar pedalando ou a pé. Então percebi como eles eram felizes por terem este hábito econômico e saudável inserido na rotina. Claro que aluguei a bicicleta para explorar a cidade, trabalhar e me divertir. E isto mudou completamente meu conceito sobre as grandes cidades. Se era bom naquela época (2006), imagina hoje com 200 quilômetros de ciclovias. E ainda pode intercalar levando a bicicleta nos outros meios de transporte quando a distância fica cansativa.

400 km de ciclovias em Amsterdam

Então conheci a cidade movida a duas rodas, onde a dificuldade é andar de carro. Quem prefere o veículo, gasta uma grana para circular no centro, não encontra estacionamento e perde um bom tempo dando voltas até chegar ao destino. Quem pedala, não paga nada e chega mais rápido a qualquer ponto da cidade ou arredores. Em Amsterdam as pessoas já nascem ciclistas e nem a pior nevasca que já vi na vida impediu de se locomoverem. Mas me inibiu de alugar a bicicleta e pedalar em um dos cenários mais legais do mundo. Se os locais derrapavam com frequência, eu me imaginei batendo na grade e voando para dentro de um canal congelante. A experiência ficou para próxima ida, desta vez, me contentei por ter clicado uma das minhas fotos preferidas.

nevasca em amsterdam
Nevasca em Amsterdam

700 km de ciclovias em Perth

A melhor e mais extensa ciclovia do mundo fica na Western Australia e não se limita à Perth. Passando os limites da capital, é possível pedalar por, pelo menos, mais 40 km em qualquer direção. Para oeste tem o mar, mas basta pegar o ferry e continuar pedalando em Rottnest Island. Ciclovias protegidas correm paralelas à maioria das rodovias e linhas de trem, todos os parques e praias estão conectados e também pode levar a bicicleta em qualquer meio de transporte. Inclusive, existem programas de incentivo para moradores trocarem as quatro pelas duas rodas.

Respeito entre ciclistas e motoristas em Fremantle, cidade próxima a Perth com acesso via ciclovias
Respeito entre ciclistas e motoristas em Fremantle, cidade próxima à Perth com acesso via ciclovias

Onde pedalar? Passeios de bicicleta em todos os continentes

1. Atacama e Vale de Colchagua – Chile

A maioria dos passeios interessantes do Atacama não exige grande esforço físico. Portanto, escolher roteiros de bike é a melhor pedida para os não sedentários. Os cenários são incríveis e ganham uma emoção extra sob duas rodas. Recomendo o VALE DE CATARPE. Pedalar entre vinhas centenárias e montanhas do VALE DE APALTA já é um belo passeio pelo Vale de Colchagua. E fica melhor quando encontramos uma mesa e cadeiras montadas para um piquenique em grande estilo. Leia a experiência completa neste artigo.

Tour de bicicleta em Clos Apalta
Tour de bicicleta em Clos Apalta

2. Arizona – Estados Unidos

Circular ao redor do maior cânion do mundo ganha vento na cara e uma dose extra de adrenalina sobre duas rodas. Leia a experiência completa no GRAND CANYON neste artigo.

bike no Grand Canyon
Foto clássica na beira do precipício

3. Rocha – Uruguai

Praticamente toda a extensão territorial do Uruguai é plana e um convite a pedalar por suas estradas. Não foram poucos os viajantes que cruzaram o meu caminho enquanto atravessavam o país ou tinham a Patagônia como destino final. Sempre que sobrava espaço no carro, eu levava a minha bicicleta para percorrer todo o PARQUE SANTA TERESA e cidades vizinhas na minha magrela.

Ciclista no Uruguai
Ciclista no Uruguai

4. Soweto – África do Sul

Conhecer uma favela de bicicleta é único, se for um lugar tão cheia de histórias ainda latejantes como no SOWETO, é emocionante. Leia a experiência completa neste artigo.

Eu pedalando no Soweto
Eu pedalando no Soweto

5. Vêneto – Itália

Se as metrópoles mencionadas acima tem as melhores ciclovias, as estradas italianas são as preferidas dos ciclistas atletas. Vi dezenas pela janela toda a vez que peguei a estrada em carro ou trem. A minha experiência foi um roteiro por PÁDUA, onde as ruas de pedra sacodem todo o corpo, mas te levam para uma volta ao passado medieval.

Pelas ruas de Pádua
Pelas ruas de Pádua

6. Gili Islands – Indonésia

Bicicleta é o meio preferencial de transporte em GILI TRAWANGAN. A ilha tem apenas sete quilômetros de diâmetro facilmente percorridos em uma hora. O ideal é fazer com calma parando nos lugares pra fotografar ou curtir a praia. Todos os bares tem local para estacionar e alguns tem até manobrista.

Bicicleta é o transporte oficial em Gili T
Bicicleta é o transporte oficial em Gili T

7. Rottnest Island – Austrália

A ilha em frente a Perth tem cenários paradisíacos e um bichinho icônico esperando em alguma esquina. Os quokkas são um tipo de canguru que pede comida e adora tirar selfies. Mas alimentá-los e tocá-los é proibido e tem multa. A aproximação deve ser cautelosa. Leia a experiência completa em ROTTNEST ISLAND (foto destaque) neste artigo. Os colaboradores também curtem a ideia de pedalar e trouxeram histórias curiosas e divertidas:

8. Sarasota: praia, sol e bici!

Agustin comprou uma bicicleta de um mendigo nos Estados Unidos.

Agustin curtindo o verão em Sarasota
Agustin curtindo o verão em Sarasota

9. De Villiers ao Chasseral

Gabriela viajou de uma cidade a outra na Suíça em bicicleta.

Sinalização nas estradas da Suíça
Sinalização nas estradas da Suíça

10. Todos os postais do Rio em um único lugar

E Leandro quase se matou descendo o morro encantando com a paisagem do Rio de Janeiro.

Ciclovia no Rio de Janeiro
Ciclovia no Rio de Janeiro

E, afinal, quem inventou a bicicleta?

 O inventor alemão Karl von Drais desenvolveu uma alternativa econômica ao cavalo chamada draisiana. Em 12 de junho de 1817, ele saiu correndo em cima de uma máquina de madeira (com um tipo de selim e rodas) e deu início à história da nossa querida magrela. Pedais, pneus e acessórios vieram décadas mais tarde e seguem sendo aperfeiçoados até hoje. Leia a história detalhada na matéria da DW

 ©Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais.

Se achou útil, Flip it! Se gostou das imagens, Pin it!

Roberta Martins

Roberta Martins

Publicitária, geradora de conteúdo sobre turismo, idealizadora deste site e fotógrafa. Há 11 anos relata suas experiências de viagem focando em cultura e ecoturismo.

Deixe uma resposta